Novidades

[Report] Volta ao Mundo - 1ª Parte | Estados Unidos (Hawaii, Alaska, Oregon, Washington, San Francisco)

Pedro85

Membro Conhecido
Em Junho deste ano decidi fazer algo totalmente fora do normal. Na brincadeira várias pessoas chegaram-me a sugerir que devia dar a volta ao mundo. Eu sorria... Mas a ideia estava cá dentro. :D

O Estados Unidos são o meu destino de eleição, tendo estado até à altura em 18 estados, e na parte Oeste só me faltava conhecer 4: Washington, Oregon, ... Alaska e... Hawaii! Não era só fazer check a esses 4 estados, queria mesmo conhecê-los porque despertavam-me imensa curiosidade.

Assim, durante a pré-pesquisa, e já que ia estar no Hawaii (que fica do outro lado do mundo), surgiu a idea... E se viesse pelo outro lado, dando a volta ao mundo?! O voo de Honolulu para Osaka pela “low cost” Air Asia X estava a 135€ já com uma mala de porão. Não demorei muito a decidir... É que a vinda pelo outro lado desde o Japão também era ela mais barata.

Assim foi, depois de bastante pesquisa, de novo, marquei todos os voos quase meio ano antes da viagem começar.

Foram 11 voos, 2 países (Estados Unidos e Japão) + 2 com paragens técnicas (Em Espanha dormi uma noite em Barcelona e outra em Madrid. Na Rússia apenas fiz escala no aeroporto.), mais de 50 horas a voar, milhares de Km na estrada, centenas a pé, ...

Fiz seguro pela intermundial. Semanas antes de partir também subscrevi o Revolut Premium por isso também ia ter acesso ao seguro de viagem deles assim que saísse do país.

Neste report apenas vou falar dos Estados Unidos, deixo depois o Japão para a 2ª parte. Aqui segue o meu plano:

Dia 00 (08 Junho): Voo Porto – Barcelona.
Dia 01 (09 Junho): Voo Barcelona – San Francisco (Oakland). San Francisco, California.
Dia 02 (10 Junho): San Francisco, California
Dia 03 (11 Junho): Voo San Francisco – Seattle. Washington.
Dia 04 (12 Junho): Oregon.
Dia 05 (13 Junho): Oregon. Washington. Voo Seattle – Anchorage.
Dia 06 (14 Junho): Alaska.
Dia 07 (15 Junho): Alaska.
Dia 08 (16 Junho): Alaska. Voo Anchorage – Los Angeles.
Dia 09 (17 Junho): Voo Los Angeles – Hawaii. Big Island of Hawaii.
Dia 10 (18 Junho): Big Island of Hawaii. Voo Big Island - Honolulu (Oahu)
Dia 11 (19 Junho): Oahu, Hawaii
Dia 12 (20 Junho): Oahu, Hawaii
Dia 13 (21/22 Junho): Oahu, Hawaii. Voo Honolulu - Osaka
Dia 14 (23 Junho): Hiroshima
Dia 15 (24 Junho): Kyoto
Dia 16 (25 Junho): Osaka – Tokyo.
Dia 17 (26 Junho): Fujiyoshida
Dia 18 (27 Junho): Tokyo
Dia 19 (28 Junho): Tokyo
Dia 20 (29 Junho): Voo Tokyo – Moscovo. Voo Moscovo – Madrid.
Dia 21 (30 Junho): Voo Madrid – Porto.



Dia 00 (08 Junho)

Não há muito a dizer, foi o dia 0 com apenas uma paragem técnica. Voo do Porto para Barcelona, onde fiquei alojado num AirBNB perto do aeroporto.


Dia 01 (09 Junho)

O grande dia chegou. Tinha uma longa viagem pela frente, com muitas horas sentado, por isso decidi ir a pé até ao aeroporto. :)

Voei pela “low cost” Norwegian. E foi uma grande surpresa, tive a sorte de ficar numa das primeiras filas, com espaço adicional para esticar as pernas, mas nem que não fosse assim posso dizer que viaja-se com bastante conforto. Achei a comida e o serviço de excelente qualidade.

Algumas fotografias tiradas durante o voo, que merecem destaque.






13 horas depois cheguei a San Francisco. Eis a vista da baía enquanto o avião se preparava para aterrar:



Era o 5º ano dos últimos 6 que pisava o país. Só falhei em 2016 desde 2014... 3ª vez na Califórnia e em San Francisco. Decidi ficar cá 1 dia e meio, rever com calma o que já conhecia e tentar visitar algo novo.

Assim, após as formalidades da fronteira, levantei o carro no aeroporto de Oakland e dirigi em direção à Universidade de Berkeley. Sempre quis vir cá por ter estado associada ao meu curso enquanto fui estudante... Não consegui ir lá nas 2 vezes anteriores por isso, já que estava do lado de Oakland, dei lá um pulo.



Depois segui para o norte da baía, o tempo estava bom com céu azul e temperatura acima de 30º graus. A Golden Gate estava descoberta... Por isso era a altura ideal para ir até aos miradouros da ponte da parte norte da baía. Mais uma vez, não consegui ir lá nas 2 vezes anteriores e numa delas foi pelo facto da ponte estar coberta de nevoeiro.

As vistas são de cortar a respiração.





Depois atravessei a ponte para San Francisco e parei no miradouro mais conhecido, que já tinha estado nas duas anteriores vezes, o Golden Gate Bridge Welcome Center.




O dia tinha sido longo. Segui para San Mateo (sul de San Francisco), onde ia ficar a pernoitar por 2 noites, não sem antes parar em Baker Beach e apreciar (mais uma vez de uma perspectiva diferente) a vista sobre a ponte.

 

Pedro85

Membro Conhecido
Dia 02 (10 Junho)

O dia começou com uma multa de estacionamento. J Mas estava de férias no meu país de eleição, isso não ia mudar o meu mood.

Dirigi mais para sul até ao Googleplex, em Mountain View. Sendo eu da área da informática, é sempre um sítio que desperta bastante interesse. O campus onde se situa a sede da Google é enorme e está preparado para receber visitas. Pode-se andar perfeitamente no meio de funcionários, só não se pode entrar nos edifícios, o que é normal. As bicicletas também elas “são para os funcionários mas ninguém te vai impedir de andar nelas”, foi o que um segurança me disse.





Foi bom rever o Googleplex, estão a construir um centro de visitantes enorme na zona sul. Já que estava perto, segui um pouco para norte até Palo Alto para ver a sede do Facebook. Aqui, tudo diferente. Os visitantes não podem (ou não devem) entrar no campus deles. Ao ver que estava a tirar umas fotografias, uma segurança veio ter comigo e disse-me, educadamente, que o Facebook era “uma empresa privada e que não era permitido estar e tirar fotos e estar dentro do campus”. Disse-me que podia estar à vontade na zona da placa principal de boas vindas. Assim fiz... Mas ela não sabia que tinha estacionado no parque deles! :D




Segui para norte até San Francisco para passar o resto do dia, onde pude (re)visitar alguns locais onde já tinha estado. Estava calor, 35ºC em San Francisco com céu azul em princípios de Junho é mesmo muito raro.












Mais uma vez não fui até Alcatraz, ficará para a próxima. :)
 

Pedro85

Membro Conhecido
Dia 03 (11 Junho)

Dia de acordar cedo e ir para o Aeroporto Internacional de San Francisco. O voo era para norte, mais concretamente para Seattle, estado de Washington.

Durante o voo fotografias dignas de registo. Uma delas especial... como já vou falar mais adiante.





Chegado ao aeroporto levantei o carro alugado, o segundo desta viagem. Não tinham disponível um da gama que eu tinha indicado, tiveram de me dar um GMC. Que chatice! :D

Fui então em direção ao centro de Seattle, onde passei algumas horas. Primeiro passei algum tempo na zona do Pier 55 (onde está a Seattle Great Wheel), onde acabei por almoçar. Adorei a zona, muito ao estilo do velho oeste americano...





Depois visitei mais alguns locais conhecidos, como a torre de Seattle (Space Needle), o muro de chicletes (the Gum Wall) e o Kerry Park, onde se tem uma das mais belas vistas da cidade com o Mount Rainier ao longe, entre outros.






O tempo passado em Seattle foi curtíssimo, acabei por gostar mais da cidade do que pensava devido ao seu “vibe”. É daquelas cidades que sei que vou voltar, talvez um dia quando vá à parte Oeste do Canadá, já que fica “perto”. :)

Segui para sul, estava muito trânsito. Ia passar a noite em Portland, já no estado de Oregon.
 

Pedro85

Membro Conhecido
Dia 04 (12 Junho)

Um dias dias mais aguardados da minha viagem. Quando marquei os voos não contava em fazer o que fiz neste dia, e estive em dúvida até alguns dias antes de iniciar a viagem, no entanto já que estava lá não podia perder a oportunidade de ir até aquele lugar que me deixava de queixo caído cada vez que via uma foto de lá. Crater Lake ficava já no sul do estado de Oregon, a umas 4 horas e tal de Portland... Saí às 6h e dirigi pelo interior de Oregon por mais de 5 horas. A entrada norte do parque estava fechada por ter nevado ainda há poucos dias por isso tive de dar a volta e entrar pela porta Sul/Oeste. Não tenho muitas fotografias de durante a viagem, arrependi-me de não parar mais vezes (estava focado em chegar ao longínquo destino), mas passei por aquelas típicas povoações do velho oeste americano com antigos motéis, carros, etc.




Curiosidade, algo que se vê nos Estados Unidos. Podemos “adotar” uma estrada e dar-lhe um nome... desde que paguemos por isso claro! J



Finalmente, por volta das 11h30, chego ao destino. Crater Lake National Park, na minha opinião um dos sítios mais bonitos à face da Terra.

Ainda se via neve, o parque ficava numa altitude elevada e tinha nevado ainda há poucos dias. Nesse dia estava bom tempo, pouco mais de 20ºC.



Esta cratera foi formada há milhares de anos. A grandeza, o reflexo das nuvens na água cristalina originária do degelo... Não há muito mais para descrever, deixo as fotos falar por si.









Este lugar merecia um dia inteiro para explorar toda a cratera. Não tive tempo, por exemplo, de visitar os seus miradouros desde cima. Ficará para uma próxima oportunidade, vinha de longe e tinha um longo caminho até Portland.

No caminho de regresso decidi parar para ver as Salt Creek Falls.




Dia longo a cansativo, mas não estou arrependido de ter optado por visitar Crater Lake. Mesmo tendo de conduzir mais de 10h...
 

Pedro85

Membro Conhecido
Dia 05 (13 Junho)

O dia começou com um pequeno almoço típico americano, na típica cadeia de restaurantes Denny´s.



A intenção era visitar a zona das (várias) quedas de água que ficavam a Este de Portland. Assim foi, comecei por Horsetail Falls.




Depois foi a vez da zona dos postcards. J Estava já muito trânsito naquela zona. Estou a falar de Multnomah Falls.




Aquela zona é muito verde, e pelos vistos histórica.



Por fim, um pouco mais à frente, é a vez das Latourell Falls. As cascatas ficam um pouco afastadas da estrada principal... E posso dizer que foram uma surpresa, são ao estilo das que se podem encontrar na Islândia, dá para caminhar até atrás delas e tudo!






Existe muitas mais quedas de água naquela zona, alguém que vá com tempo pode despender à vontade, pelo menos, 2 ou 3 dias só para explorar aquela zona.

Parei um pouco mais à frente das Latourell Falls, na Vista House, onde tive uma vista esplêndida daquela região. O rio Columbia separa os estados de Oregon e Washington.




Depois do almoço segui em direção a Seattle, onde à noite ia apanhar o próximo voo. Pelo meio parei em Olympia, que para quem não sabe, é a capital do estado de Washington.



Houve alguns pontos menos importantes que tive de saltar. Se fosse hoje retirava um dia a San Francisco, que já conhecia, e adicionava a Oregon/Washington, porque esta zona merece. De certeza que vou voltar, houve muita coisa que ficou por ver e fazer.

Apanhei então o voo para Anchorage, Alaska.
 

Pedro85

Membro Conhecido
Dia 06 (14 Junho)

Cheguei a Anchorage por volta da 1h30 da madrugada, hora local. O voo desde Seattle durou cerca de 3h30. No Alaska é menos 1 hora que California/Oregon/Washington, menos 9 horas que Portugal continental.

Formalidades de aeroporto, aluguei um carro por 3 dias (o 3º desta viagem) e seguir para uma povoação a norte da Anchorage, onde ia dormir. Pelo menos pensava eu... Mas já lá vamos. :D

Durante os meses de verão, nesta zona, não chega a anoitecer completamente.



Chego então ao hotel onde tinha reservado por 3 noites. Achei estranho. Estaciono o carro e vejo que parte do hotel está em obras. Tento entrar, a porta está fechada. Toco às portas, ninguém responde... Ligo para o hotel e ninguém atende.

Fico surpreso e sem saber exactamente o que se estava a passar ali... Quando reservei dizia que o check-in podia ser feito até às 4h da manhã. Dentro estava uma luz acesa e havia sinais de que estavam em obras.

Decidi ligar para o suporte do hotels.com, que foi por onde fiz a reserva. Estive quase 1 hora com a chamada activa , através de Skype (bendita plataforma e bendita mania que eu tenho de comprar sempre que possível um cartão de dados). Eles foram muito prestáveis, tentaram ligar para o hotel e quando viram que não atendiam, realocaram-me noutro hotel, que ficava em Anchorage. Lá tive eu que voltar para trás... Ah, mas tive que pagar o suplemento de 280€ pelas 3 noites! Ainda reclamei mas... eram 4 e tal da madrugada, estava cansadíssimo e só queria tomar um duche e dormir algumas horas. Acabei por aceitar.

2 semanas depois, quando voltei de viagem decidi investigar o que se passou com o hotel. Aparentemente ficou um pouco destruído há uns meses devido a um sismo e fechou para obras. Mas o hotels.com não me avisou e continuava a deixar reservar quartos para lá. Eu reclamei e o melhor que consegui foi que me devolvessem o dinheiro pago no hotel que tinha fechado e um voucher de 100€ para gastar no próximo ano. Feitas as contas acabei só por perder 30€... para além de algumas horas de sono e dores de cabeça!

Foi um dos maiores contratempos que tive em viagens mas tudo se resolveu. Quando acontece isto, deve-se manter a calma e pensar que para tudo há solução. J



Voltando à viagem, dormi umas 3 horas nessa noite.

Segui depois em direção a Denali National Park. Pelo caminho as paisagens verdes do Alaska daquela altura do ano. Parei também para tirar algumas fotos engraçadas.




Estive algumas horas no parque, não cheguei a chegar perto das maiores montanhas (a maior montanha dos Estados Unidos situa-se lá) por ser ainda longe, mas andei à volta dos lagos e miradouros.








É uma zona muito bonita, mas vou ser sincero, não é o que mais me atraia no Alaska. Voltei para Anchorage, mas antes fiz um pequeno desvio para ir até ao Glacier Point, onde se tinha uma vista soberba sobre a capital do Alaska.

 

Pedro85

Membro Conhecido
Dia 07 (15 Junho)

O dia começou cedo, para variar. :) Tinha marcada uma viagem de barco de 6h a partir de Seward, a sul de Anchorage, na península de Kenai. A viagem demora cerca de 2h mas eu dei mais tempo... Já sabia que ia ter de parar para apreciar a paisagem. :)




Cheguei cedo por isso andei a descobrir a pequena cidade de Seward.






Depois fiz check-in para a viagem de barco. Reservei online algumas semanas antes na Kenai Fjords Tours, que me pareceu ser a que fazia um preço / qualidade / tempo melhor.

Começou então a viagem. Tive oportunidade de ver a costa daquela parte do Alaska, animais (focas, baleias, entre outros), glaciares, ... enfim, o Alaska REAL! Foram cerca de 150€ mas na minha opinião bem gastos! Deixo algumas fotografias.













Eles deram um almoço ligeiro durante a viagem. Acabei por vomitá-lo todo :D, não estou habituado a andar de barco, nem sou aquele tipo de pessoa que passa mal (pensava eu), por isso não me preocupei em tomar comprimidos anti enjoos/náuseas. Foi a parte menos boa da viagem... Fica a nota para quem estiver a pensar em fazer o mesmo. :)

Algumas fotos da viagem de volta a Anchorage.




Ainda tive tempo de visitar o Earthquake Park, o epicentro de um grande terramoto que aconteceu no Alaska em 1964.

 

Pedro85

Membro Conhecido
Dia 08 (16 Junho)

Último dia no Alaska. Este dia era mais “livre”, não tinha nenhuma agenda rígida para seguir, embora tivesse marcado alguns pontos de referência. Dediquei-me a apreciar as paisagens, lagos e parques daquela zona a este de Anchorage.







Também estive no Alaska Wildlife Conservation Center, um parque de animais típicos do Alaska. Podíamos ver bisontes, ursos pardos, ursos pretos, entre outros.




Por fim, antes de seguir para o aeroporto, dei uma volta pelo centro de Anchorage.





A aventura no Alaska tinha acabado ali. Era hora de seguir para outro sítio... O quarto, nessa noite, foi no avião. Cerca de 4h30 até chegar ao aeroporto de Los Angeles, onde ia fazer escala.
 

Pedro85

Membro Conhecido
Dia 09 (17 Junho)

Depois de uma breve escala, hora de seguir para o destino final do dia. Mais um voo de 4h30 para chegar até ao Hawaii, mais concretamente a Kona (é mesmo assim que se escreve), a Big Island of Hawaii.

Na chegada ao aeroporto já se podia sentir o “vibe” daquela zona... Um aeroporto totalmente aberto! Nunca tinha visto...




Formalidades de aeroporto e de aluguer de carro (mais um, o 4º), almoçar e lá sigo eu para sul. O objetivo do dia era visitar o parque Volcanoes National Park, que ficava no sul da ilha.

Diga-se que é a maior ilha do arquipélago, ainda demorei um par de horas para chegar ao destino... Mas claro, durante a viagem lá parei para tirar umas fotografias.




O Hawaii Volcanoes National Park era um dos sítios em que tinha mais expectativa desta viagem. Sempre me fascinou o fenómeno dos vulcões e o Kilaueua tem feito das suas em anos recentes. Infelizmente para mim, nestes últimos meses, quase que adormedeu, pelo que não pude assistir ao expectáculo de uma erupção, nem de fogo nem de lava para o mar...

No entanto, é bem visível que continua activo. Mal cheguei perto da grande caldeira foi possível notar o fumo do vulcão a sair da terra.







Era possível caminhar em trilhos no meio da caldeira, mas não consegui devido a limitações de tempo. Ainda queria descer até ao mar, e contemplar as paisagens que pareciam quase que do outro mundo, que foram sendo moldadas ao longo dos anos após várias erupções do Kilaueua...





Dormi num AirBNB perto do parque, numa zona um pouco isolada. Começou também a chover, aliás aquela zona sul e sudeste (perto de Hilo), e pelo que pude perceber, é conhecida por isso e alvo de piadas por estar quase sempre a chover
 

Pedro85

Membro Conhecido
Dia 10 (18 Junho)

A idea era explorar a zona de Hilo (sudeste) e a zona central da ilha.

Comecei pelas Rainbow Falls, e a caminho passei por um parque que deixa bem patente a influência portuguesa na ilha. Calcula-se que entre 5% a 10% da população do Hawaii, principalmente da ilha maior, seja de origem portuguesa. O ukulele, um dos instrumentos típicos hawaianos, foram os portugueses que o levaram para lá. As malasadas (pão doce) são um doce típico de lá também.



Cheguei então às Rainbow Falls. Umas cascatas que supostamente formam um arco iris quando lhe dá o Sol, o que não era o caso. Achei a zona envolvente também ela muito bonita com árvores centenárias.





Depois fui visitar a Akaka Falls, uma cascata com uma altura de cerca de 150m. Nesta tive de caminhar por uns passadiços no meio da floresta tropical.




Decidi então ir até meio da ilha para subir às duas grandes montanhas, ou dois grandes vulcões adormecidos. À medida que ia subindo fui deixando a chuva para trás, na região de Hilo. Comecei por Mauna Loa, a mais baixinha. O caminho parece do outro mundo, muito ao estilo do que tinha visto no dia anterior no Kilaueua, com aquele aspecto das rochas pretas deixando bem explícito que apenas poucos anos atrás eram magma. A estrada não era muito larga, quando aparecia um carro do outro sentido alguém tinha de se arrumar para passarmos os dois.





Quando cheguei ao topo (3700m) fiquei um pouco desiludido, pois não deixavam ir até ao cume nem ver a cratera. Mas a vista era fantástica!



Desci e decidi subir à outra montanha, o Mauna Kea, que tem 4200m e pode-se subir até ao cume. A estrada também ela era melhor, embora houvesse uma parte de terra e em que só os 4x4 eram aconselhados a subir.

Acho que foi o máximo de altitude que alguma vez estive, e notava-se pois era mais difícil respirar e estava um vento bastante fresquinho! :)

A vista era de cortar a respiração!






Por fim segui para o aeroporto. Tinha um voo de 30 minutos para Honolulu, a próxima ilha, Oahu, a mais conhecida, mais turística e com bem mais pessoas!

Não tive tempo para mais nada, apenas para as formalidades de aeroporto e para alugar o 5º e último carro da viagem.
 

Pedro85

Membro Conhecido
Dia 11 (19 Junho)

Dediquei o dia a conhecer a parte este da ilha. Oahu é menor que a outra ilha mas tem muito que ver, há muita mais gente a viver lá e tudo é muito mais condensado.

Comecei por visitar e fazer o trilho de Diamond Head State Park, uma cratera que é visível desde Honolulu. Mesmo indo cedo, o Sol já queimava que bastasse e sobrasse... e eu tinha-me esquecido do protector solar em casa! :D

O trilho leva a um dos topos da cratera e as vistas são...




Segui para o próximo trilho da minha lista para esse dia, que ficava relativamente perto. Koko Crater Railway Trailhead, uma suposta linha férrea antiga que levava ao topo de uma montanha com uma mini cratera. Visto de baixo parece inofensiva, não?



Pois bem, posso dizer que é nível “hard”, mesmo eu sendo forte fisicamente e habituado a este tipo de coisas, custou um pouco! :) O trilho é muito acidentado e por vezes é difícil, e até um pouco perigoso, caminhar por cima da madeira e ferros.
Aconselho a levar água, bastante água!





Finalmente lá em cima, a vista é, mais uma vez, magnífica!





Estive à vontade uma meia hora lá em cima... a apreciar a vista, tirar fotografias e descansar. Afinal, tinha de descer aquilo tudo ainda!




Depois desse trilho parei em alguns miradouros da parte mais este da ilha.





Estava já na parte nordeste da ilha e o aspeto era do género:



Depois segui até Lanikai, perto da praia. O objectivo era mais um trilho, o Lanikai Pillbox. Não era tão difícil como o tinha feito de manhã mas demorou o seu tempo. Mais uma vez, a vista desde cima era digna do esforço!





Segui um pouco mais para norte com a intenção de visitar o Byodo-In Temple e os jardins circundantes, mas àquela hora tinha acabado de fechar.

Por fim, atravessei as montanhas em direção ao último miradouro do dia, o Tantalus Lookout, também conhecido como Puu Ualakaa State Park. Desde este ponto podia-se ver quase toda a parte sudoeste de Oahu, principalmente Honolulu e a cratera que tinha subido de manhã cedo.


 

Pedro85

Membro Conhecido
Dia 12 (20 Junho)

Dia dedicado à parte noroeste da ilha. Fui passando por várias praias paradisíacas ao estilo do que é conhecida aquela zona.

Sunset Beach:



Chamou-me à atenção uma placa a dizer que vendiam Açaí. Como adorei quando estive no Brasil alguns meses atrás decidi comprar, descobrindo que a dona era uma jovem brasileira e que tinha um irmão a morar cá em Portugal! :)



Shark´s Cove:



Laniakea Beach, onde se podem encontrar tartarugas. Tive a sorte de ver uma:




Haleiwa Town, cidade histórica e um pouco “alternativa”:





Mermaid Caves, uma praia e uns rochedos que formam algumas caves. Também era uma espécie de cemitério, e alguns dos que estavam lá a descansar eram de origem portuguesa:




Após a visita às praias decidi passar por Pearl Harbor, o icónico porto onde aconteceu o incidente que fez os Estados Unidos entrar na 2ª Guerra Mundial. Hoje é um museu, interior e a céu aberto, explicando passo a passo o que aconteceu na altura, com memoriais, submarinos, etc.



Depois segui em direção a norte de Honolulu, às montanhas. A ideia era fazer o trilho das Manoa Falls mas depois de perguntar ao porteiro quanto tempo levava a fazer o trilho acabei por desistir. Já tinha algo marcado para o final da tarde. :)



Vou então em direção a Waikiki, a zona mais conhecida e turística de Honolulu. Primeiro, passei pelo porto, onde já se podia ver o extenso areal da praia de Waikiki.



Depois de estacionar o carro dei finalmente uma volta pela praia de Waikiki.






Era quinta-feira, um dos dias da semana (para além de terça-feira e sábado) em que acontecia o Hula Show das 18h30 às 19h30. Basicamente era uma performance típica Hawaiiana com danças e música à mistura.


 

Pedro85

Membro Conhecido
No intervalo das danças iam explicando o seu significado e também a história do Hawaii. Uma surpresa foi ouvir o que a senhora de idade que se vê nas fotos teve para dizer... Supostamente ela era portuguesa (ou descendente direta de portugueses) mas não sabia falar português. E disse isso na sequência da história do ukulele, que foi introduzido no Hawaii pelos portugueses, que foram para lá trabalhar em campos de ananás e açúcar.

Entretanto foi anoitecendo e quando o “show” chegou ao fim, pude apreciar um dos mais bonitos pores do Sol que alguma vez tive memória!




Após o jantar, caminhando por Waikiki, na típica animação que existe em todos os locais turísticos, coisas curiosas que me chamaram à atenção...




Dia 13 (21 Junho)

Último dia no Hawaii. Andei a deambular pela zona de Waikiki, o tempo não dava para mais.





A caminho para o aeroporto, uma placa com publicidade às tais malasadas (pão doce)



E assim terminou a minha aventura no Hawaii e nos Estados Unidos. Mais uma vez confirmei porque razão é o meu destino de eleição. Praticamente todos os sítios por onde passei deixaram uma sensação de que tinha de voltar um dia. Falando particularmente do Hawaii, de certeza que estarei de volta para conhecer as outras ilhas, pois as (altas) expectativas foram completamente superadas!

Com a primeira parte da volta ao mundo completa, era tempo de dar início à próxima, a viagem para o Japão. A companhia escolhida foi a Air Asia X, uma low-cost bem conhecida da região asiática. Não tive direito a nada, excepto ao assento, por isso fui bem abastecido de água e comida. O preço (Honolulu - Osaka) foi de 135€ já com bagagem de porão. Uma curiosidade, sai de Honolulu por volta das 16h de 6ª feira e cheguei (8 horas depois) a Osaka às 20h de Sábado. Ou seja, “perdi” um dia com esta viagem pois passei a linha imaginária onde começa o dia em direção Oeste.

A 2ª parte da volta ao mundo (no Japão) deixo para outro report. :)
 

Mel C

Moderador
Staff
Bem, não tenho grande vontade de ir aos EUA, mas confesso que adorei este report!!! :D Adorei o Googleplex e as fotos de São Francisco mas acima de tudo as paisagens naturais!!! E nunca pensei ver aqui Kona, a terra que dá o nome a um dos meus CDs favoritos!! Espectáculo esta viagem!
 

NunoCorreia

Membro Conhecido
@Pedro85 👏👏👏
É o melhor report que li nas últimas semanas.
Reparei pela quantidade de fotos e descrição que sim, gostaste muito do Hawaii e superaste expectativas.
Tenho-te a dizer que foi um report muito completo e conheci sítios que nunca tinha visto ou ouvido falar e são estes reports que tornam o fórum muito apetecível para visitas e angariação de utilizadores.

Tenho 1 pergunta a fazer: Que máquina ou telemóvel usaste para as fotos?

Sendo 22 dias de férias no total, e com climas diferentes como fizeste com a roupa? Calculo que só tenhas levado uma mala de porão e uma de mão penso eu.
 

Antonia.M.S.

Membro Conhecido
Olá @Pedro85 😊
Não precisamos de muitas palavras para descrever este report, é só Magnífico!
Tudo, as fotos, o roteiro, a informação, as descrições, curtas e muito precisas, está tudo perfeito.

Muito obrigada por partilhar connosco e continuação de boas viagens! 😊😉
 

Ricardo_7

Membro Conhecido
Olá,

Obrigado pela soberba partilha :)
Dos melhores que já vi por aqui. Isto é que foi uma aventura daquelas que qualquer um de nós devia fazer na vida, fantástico :D
O Crater Lake National Park é qualquer coisa de fenomenal, mas o Hawaii diz-me tanto! Foi bom viajar com este report!

Boas viagens :D
 
Top