Novidades

[Report] Singapura e Malásia, Agosto 2016 – Parte 2: Malásia

andre.doc

Membro Ativo
Depois de deixarmos Singapura (ver report aqui), tínhamos pela frente uma viagem nocturna de bus de cerca de 11 horas atravessando a Malásia rumo a Terengganu onde iríamos apanhar o ferry no cais de Shaabandar até Pulau Redang. Os autocarros são extremamente confortáveis e os assentos muito espaçosos. Desconfortáveis foram os procedimentos para passar a fronteira e entrar na Malásia os quais obrigam a esperar numa longa fila, sair do autocarro já depois de pegar no sono primeiro para sair de Singapura, voltar a entrar e depois sair novamente para entrar na Malásia, esperar numa longa fila para passar pela imigração e depois noutra para scan da bagagem. A diferença entre as economias, o nível de vida e a própria cultura destes dois países começa logo a ser notória no momento de passar a fronteira. Do lado de Singapura, estruturas modernas equipadas com tecnologia de ponta... Mas ao passar a fronteira para o outro lado, os ares condicionados são substituídos por ventoinhas, os edifícios parecem mais devolutos, as mulheres têm todas a cara coberta com o hijab.

Por termos que trocar euros por ringgits malaios, tivemos que esperar a casa de câmbio abrisse e apanhar o ferry das 10h30. Até lá, recomendaram-nos que tomássemos o pequeno almoço na Chinatown do sítio. Um caldo com pedaços de carne de porco, pele e vegetais, acompanhado por arroz e chá chinês foi-nos servido num local cujas condições sanitárias eram capazes de provocar um enfarte do miocárdio aos inspectores da ASAE… Mas a comida era deliciosa e soube-me pela vida…

Chinatown de Terengganu


Macaquinho sonolento que encontrámos antes de apanhar o ferry para Redang

Em Redang ficámos no Hotel Redang Reef Resort onde iríamos usufruir de um pacote de 3D/2N com pensão completa e excursões de snorkeling. O Hotel é muito direcionado para o mercado asiático e a comida reflecte isso mesmo. Não sendo um resort com comida fantástica, serviu perfeitamente o objectivo. O Redang Reef Resort tem um passadiço que dá acesso a uma fabulosa praia e ao Laguna Redang Island resort, o Hotel mais badalado da ilha. A água aqui é de uma transparência incrível e pujante de vida marinha.

Redang Reef Resort








A grande maioria dos hotéis da ilha concentra-se na primeira linha de praia de duas baías adjacentes, numa das quais está o Redang Reef Resort.




O snorkeling em Redang (assim como nas Perhentians) é de elevada qualidade! Para isso contribui uma vida marinha muito abundante e diversificada e uma visibilidade aquática fora de série. Vimos todo o tipo de peixes, incluindo muitos peixes palhaço (nemos), raias, tartarugas, etc e também muitos corais. No extremo oposto da praia relativamente ao Hotel vivem muitos tubarões juvenis (black tip sharks) assim como uma espectacular moreia branca. Numa das excursões de snorkeling, fomos até ao Marine Park Centre, um parque natural com uma área delimitada para snorkeling. Não impressiona tanto pelos corais mas mais pela quantidade de peixes e pela beleza da praia, apesar de muito concorrida por turistas.

Chegada ao Marine Park Centre

A transparência da água é tal que quase que dá para fazer snorkeling fora de água...

Marine Park Centre






A ilha de Redang é também um local importante para nidificação de tartarugas marinhas. Existe um programa de conservação em curso que recolhe os ovos postos pelas tartarugas e os protege até eclodirem. Ao fim da tarde assistimos à largada de tartarugas marinhas bebés no mar. Os turistas podiam-se inscrever, mediante o pagamento de 20 ringgits (menos de 5 euros) e libertar uma tartaruga bebé à beira mar.

Libertação de tartarugas bebés para o mar


(Continua...)
 

andre.doc

Membro Ativo
Numa das tardes trocámos a excursão de snorkeling por um "jungle trekking" até à praia pública junto ao Taaras Beach Resort. O percurso que deve ter cerca de 1,5km para cada lado, já o havia feito logo às 07h quando fui fazer o meu "trail running" matinal. Um trilho quase inexistente guia-nos por uma selva tropical onde o ar é pesado de tanta humidade e onde se podem ouvir os macacos nas árvores a sinalizar a nossa presença. Muito comuns em toda a ilha são os lagartos monitores (varanos), que apesar de serem bichos que metem algum respeito, fogem quando nos aproximamos. Ainda assim, deu para apanhar um susto quando um se atravessou à minha frente enquanto eu ia a correr... O trilho leva-nos até uma praia pública lindíssima, praticamente deserta (estava mesmo deserta de manhã cedo), junto ao Taaras Beach Resort (o resort tem a sua praia que, não sendo oficialmente privativa, só pode ser acedida por terra pelos hóspedes do Hotel).

Um dos muitos varanos que encontrei no caminho...


Jungle trekking



Praia pública junto ao Taaras Beach Resort


O mapa da ilha mostra a tracejado o percurso pela selva que nos levou à praia pública antes do Taaras. O trilho começa nas traseiras do Resort Sari Pacifica, no extremo de uma de duas praias adjacentes onde se concentram quase todos os hotéis da ilha (e onde se encontra o resort onde ficámos). Caminho pavimentado propriamente dito só há um, que liga o Taaras, à pequena aldeia (tem uma mesquita), aeroporto (em tempos chegou a haver voos comerciais para a ilha) e ao jetty do Redang Island Resort, do qual se avista o Marine Park que visitámos.

Na ilha de Redang fomos numa pequena excursão para nadar com tartarugas marinhas ao largo da mesma praia onde tínhamos estado horas antes. Quando chegámos ao destino, o guia assobiou e não demorou muito até que começassem a chegar duas tartarugas verdes, as quais já sabem que àquela hora os guias têm pedaços de lula para lhes dar. Foi fabuloso poder nadar e contactar de perto com estas criaturas marinhas tão graciosas.


Depois de 2 noites passadas em Redang, chegava a hora de rumar ao próximo destino: Pulau Perhentians, mais concretamente a Perhentian Besar (Big Island). O transporte, feito de lancha rápida, demorou cerca de 50 minutos. Ficámos alojados no Coral View Island Resort por 4D/3N. O resort tem duas praias, uma que dá acesso àquela que é a melhor praia da ilha, a praia do Perhentian Island Resort. E outra, que fica virada para a ilha de Perhentian Kecil (Small Island). Tirando um trilho pela selva que liga o Perhentian Island Resort ao Arwana Resort no sul da ilha, também aqui não existem muitos caminhos. O transporte entre praias não ligadas por terra é feito por water taxi.

Mapa das Ilhas Perhentians

A chegar ao Coral View Island Resort



Praia do lado do Perhentian Island Resort, o melhor cartão de visita das Perhentians






Praia virada para Perhentian Kecil (vê-se a mesquita da ilha de Kecil)

Muita vida selvagem a vaguear livremente: macacos, osgas, morcegos (tão grandes que mais parecem gnus com asas!), varanos, esquilos (aos pontapés). Também aqui a vida marinha é luxuriante (vi a maior concentração de peixes palhaço a viver em autênticas urbanizações de anémonas, muitas raias, tubarões, etc). Pena foi que a máquina aquática tenha avariado :-/ Também aqui, enquanto fazia snorkeling, pude nadar de perto com tartarugas marinhas que se alimentavam de algas ao largo da praia do Perhentian Island Resort.









(continua...)
 

andre.doc

Membro Ativo
Vale a pena explorar outras praias na ilha, quer seja através de excursões de snorkeling ou de water taxi. Uma delas, a turtle beach, visitámos na companhia de um casal de portugueses super simpáticos com quem nos cruzámos na ilha. A turtle beach, é uma praia em que só é permitido estar até ás 18h, pois a partir dessa hora as tartarugas vêm aqui depositar os seus ovos. O snorkeling aqui é muito bom.

Turtle beach



Outras praias que visitámos na ilha de Besar




Numa das tardes fomos de water taxi até à ilha de Kecil e visitámos a Long Beach (a principal praia da ilha) e Coral Bay

Long beach









Coral Bay

O tempo em Redang e nas Perhentians variou entre o nublado e céu limpo, sendo que o calor tanto de dia como de noite era avassalador Em duas noites, caiu uma chuvada tropical (acompanhada de trovoada) que mais parecia que o São Pedro tinha esvaziado a banheira! Nas Perhentians não tínhamos as refeições incluídas pelo que optámos quase sempre por comer num restaurante chinês junto ao resort que servia comida muito barata e deliciosa. Fiquei fã de uma sobremesa chamada "mango sticky rice", um arroz glutinoso com leite de coco e manga a acompanhar! As nossas refeições não passavam geralmente dos 5 euros. Há alguns resorts e restaurantes que não servem álcool (a Malásia é um país muçulmano) e uma cerveja custa mais de 2€ (o que é caro quando comparado com o custo da comida).

Depois de uns dias bem passados, hora de rumar ao cais de Kuala Besut e apanhar o transfer para o aeroporto de Kota Bharu, onde iríamos apanhar o voo para Kuala Lumpur, que iríamos visitar numa breve passagem.

Incontornável numa visita a Kuala Lumpur, é visitar ou, pelo menos apreciar, as famosas Torres Petronas. Optámos por ficar alojados numa zona central no "Le Apple Boutique Hotel" junto ao parque KLCC onde estão as Torres Petronas. O bilhete para as Torres inclui uma paragem na "Skybridge", o passadiço que liga as duas torres e comporta apenas 40 pessoas de cada vez, e também no "observation deck" no nível 86.

Torres Petronas

Vista desde a Skybridge e do Observation Deck








(Continua...)
 

andre.doc

Membro Ativo
Após visitarmos as Torres, atravessámos o KLCC park em direcção ao Hotel Traders, onde no Skybar tínhamos uma mesa reservada junto à janela com vista privilegiada para as Torres. Aqui ficámos a beber uns copos na mais pura descontracção a apreciar as vistas das Petronas. O bar tem uma piscina no interior.

Traders Skybar






Descemos novamente para o KLCC Park para assistirmos ao espectáculo musical de água e luz nas fontes em frente ao Suria KLCC



Em Kuala Lumpur visitámos também a Praça Merdeka, Bukit Bintang (uma espécie de Times Square lá do sítio com muitas lojas e comércio local), Chinatown (espectacular para comprar recuerdos e onde se encontram muitas e boas imitações) e as Batu Caves.

Merdeka Square, onde se encontra a famosa torre do relógio do edifício Sultan Abdul Samad. Neste dia estava a haver um ensaio geral para uma cerimónia importante que iria decorrer passados uns dias.


Chinatown e a famosa Petaling Street


Batu Caves e os macaquinhos que ali vivem e andam sempre à cata de comida e outros bens de turistas mais incautos...








No meu checklist de viagem constava ainda uma coisa: experimentar o famoso Durian, conhecido como a fruta mais fedorenta do mundo, sendo inclusivamente proibida nos transportes públicos de Singapura e em hotéis em Singapura e na Malásia. Podem saber mais aqui. Chamem-lhe masoquismo ou curiosidade mórbida, mas estava determinado a provar este fruto: objectivo superado e com direito a registo de vídeo:
https://www.youtube.com/watch?v=tWrZDRh8hto&feature=share


Não o sabíamos na altura, mas as emoções da viagem estavam longe de terem terminado. Distraímo-nos com as horas e quando fomos a dar por ela, estávamos na iminência de perder o voo de volta para Singapura... Nem uma viagem alucinante de táxi, nem o record dos 1000m batido a correr com a bagagem pelo aeroporto de Kuala Lumpur fora, foram suficientes para evitar que perdêssemos o avião... Por descuido nosso estávamos metidos numa situação desesperante até porque dali a umas horas partiria o voo de Singapura para o Porto com escala em Istambul que nos levaria de volta a casa... Foram momentos stressantes e após várias diligências lá conseguimos por um triz arranjar um voo de substituição pela Malindo Air de Kuala Lumpur para Singapura (ficou apenas a 75€ por pessoa, nada mau para um voo comprado com uma antecedência de menos de uma hora!), empreender uma correria maluca para apanhar esse voo no outro terminal, e depois outra correria no aeroporto em Singapura para mudarmos do terminal 3 para o terminal 1 e apanhar também por uma unha negra o voo para Istambul... Foi uma aventura que poderia ter-se transformado numa tragédia (€€€) mas que recordaremos para sempre, assim como esta viagem que nos encheu as medidas :)
 

PauloNev

Moderador Sénior
Staff
Grande viagem e belo report.
As ilhas Redang e as Perhentian são lindíssimas.
Mais uma vez muito obrigado pela partilha.
Boas viagens ;)
 

Lipe

Membro Conhecido
Muito bom report ( na continuação do anterior ) e de facto são 2 países que pela proximidade proporcionam uma viagem conjunta e única! Essa aventura no final foi poderosa.. mas ainda bem que conseguiram o voo! Obrigado pela partilha :)
 

JJPPMM

Membro Conhecido
Olá
Fantástica viagem e aventuras.
Acabo de vir da Tailândia e fiquei apaixonado pela Ásia.
Estas Ilhas que agora nos mostras e que eu não conhecia são uma excelente alternativa a outros destinos na Ásia.
Obrigado pela partilha
Adorei a forma descontraida e as imagens do report.
Abraço
 

dmarques

Membro Novo
Grande report, nem eu esperava outra coisa.
Jungle trekking em redang?? lol há gajos malucos, até os malaios tinham medo de o fazer! LOL Perenthians é qualquer coisa.
 

zb007

Membro Conhecido
Muito bom excelentes fotos
Estievram em todos os sítios que nós estivemos em Kuala Lumpur adorei voltar a ver nas vossas fotos. O bar no hotel tem uma vista deslumbrante sobre as Petronas, o melhor sitio para se verem sem duvida.
Redang, e Pulau Perhentians que coisa :) um dia será destino
 
Última edição por um moderador:

yara

Membro Conhecido
Que óptimo report. Parabéns!
Redang e Perhentian está na minha lista, só nao fui ano passado porque fui em Novembro e em Novembro estão fechadas, então optei por ir a Langkawi.
Mas um dia tiro férias em Maio e decido ir ás Perhentian ou Redang, um dia será o dia... :rolleyes:
 

andre.doc

Membro Ativo
Grande report, nem eu esperava outra coisa.
Jungle trekking em redang?? lol há gajos malucos, até os malaios tinham medo de o fazer! LOL Perenthians é qualquer coisa.
Nas Perhentians fiz também o jungle trekking ao nascer do dia (tem mais ou menos a mesma extensão que em Redang) mas aí há zonas em que a vegetação é arbustiva e muito densa e tu não vês onde pões os pés (ainda mais a correr). Por acaso, tive algum receio de pisar alguma serpente ou assim, mas acho que a probabilidade é baixa :-D


Podes informar qual o valor médio por noite nós hotéis, assim como foi feito a reserva e com quanto tempo de antecedência?
Obrigado.
Hugo, os custos (já com taxas de cartão de crédito e conversãode câmbio) seguem abaixo. A reserva dos voos Porto - Singapura - Porto fizemos através do site bravofly, após uma pesquisa inicial no momondo (foi a opção mais económica para o tipo de pagamento que selecionámos, mais barato que reservar diretamente na companhia aérea) e foi feita em início de março, quase com 6 meses de antecedência (tínhamos já esta viagem sobre olho e umas semanas antes estava até mais barata). Os voos da Air Asia reservámos diretamente no site da companhia em abril (4 meses de antecedência), são super baratos!!! A reserva dos hoteis foi feita através de email pela agência local Anjung Holidays. Inicialmente reservámos apenas o pacote nas Perhentians, depois adicionámos o pacote de Redang (estivemos à espera que o Redang Reef Resort, que era o resort que queríamos para o orçamento disponível, lançasse os pacotes para o verão de 2016 que na altura em que reservámos o pacote nas Perhentians ainda não estava disponível) e o transfer por lancha rápida e finalmente o transfer para o aeroporto também. Recomendo esta agência, pois tem as tarifas mais baixas que encontrei e a pessoa com quem fui correspondendo regularmente era muito solícita e eficiente a responder aos emails e o pagamento foi transparente e eficiente também. Qualquer dúvida dispõe

No Durian challenge...o André assim "é muita bom!!" e até lhe vinham lágrimas aos olhos lolol @andre.doc
He he he, primeiro estranha-se... Depois entranha-se!!! Então o cheiro entranha-se a sério :D:D:D
 
Última edição:

Hugo Furtado

Membro Ativo
Olá @andre.doc
Muito obrigado pela informação, os valores são muito bons para o destino escolhido........ Estou a pensar ficar uns 16 dias por essa bandas.
Provavelmente volto a chatear lá para Abril;)
Obrigado e Boas Viagens
 

Copas

Membro Ativo
Muito bom report @andre.doc ! Obrigada por me fazeres recordar e sonhar mais um pouco com um possível regresso ;).
Por pouco que não nos cruzamos, saí das Perhentians (Besar) no dia 12 de Agosto após 6 noites! Aquela água e fauna é qualquer coisa!!! Também comemos muitas vezes (e bem!) no restaurante chinês :p. Não fomos a Redang porque queríamos descansar e já andávamos há mais de uma semana com as malas às costas pelo Vietnam, quem sabe para uma próxima...
 

Bee

Membro Conhecido
A Ásia fascina-me, mas Malásia talvez seja aquele em que me vejo mais depressa. Aquelas praias fascinam-me!!!
Obrigado por este report detalhado.
Para um viagem em Agosto achei o preço bastante acessível. Além destes gastos tiveste a alimentação, certo?
 
Top