[Report] Londres… a Pé!!!

Tópico em 'Reports do Reino Unido' iniciado por petrus a 4 Out 2018.

  1. petrus

    petrus Membro Ativo

    208
    81
    28
    Olá Comunidade,

    Como há também tanta alegria em dar e não apenas em receber, partilho convosco aquela que foi a nossa mais recente escapadinha. Neste caso à capital de Sua Majestade.
    O título da crónica é algo chocante, mas foi deliberado e real, embora para ser concretizável implique alguns pré-requisitos que os dois (fomos em casal) cumprimos, além dos próprios requisitos do destino em si, a saber:
    Os viajantes têm que gostar de andar a pé, ter alguma resistência física para o efeito e estar preparados para que, mesmo com telemóvel ou mapas possa ocorrer (vai ocorrer) sempre algum imprevisto que até pode ser interessante já que ao andar a pé estamos a “sorver” mais o ambiente e a realidade que nos rodeia e ter gratas surpresas como um pequeno jardim ou uma arquitetura fantástica de um qualquer edifício;
    • Por outro lado, não é fácil pensar em fazer férias “a penantes” em cidades com uma orografia mais complicada, tipo a nossa lx. Nisso Londres é francamente melhor já que é bastante mais plana e as vias de comunicação para peões não são más (apesar de algos escorregadias, se molhadas) e grande parte dos pontos de interesse centrais não ficam muito longe uns dos outros;

    • Além disso, não se pode andar a pé (mais ainda de noite) em ambientes que não sejam minimamente seguros e sem alguma iluminação e Londres tem ambos pelo que nunca nos sentimos desconfortáveis ou inseguros, mesmo andando à noite, mas também não facilitamos demais;

    • Também o clima é um aspeto muito relevante. Londres com 30º será certamente um sufoco para caminhar e as temperaturas abaixo dos 7 ou 8º (mínimos que apanhámos) começam a ser desconfortáveis. A chuva (que apanhámos com alguma em abundância em especial no dia antes do regresso) também não ajuda em nada, mas se não for em modo de temporal… a coisa faz-se;

    • Escusado será ainda dizer que, quem tomar esta decisão deve levar roupa e calçado confortável, além de evitar andar com grande bagagem. Uma mochila é o ideal e convém não esquecer o habitual: óculos de sol, protetor solar, garrafa de água, mapas, telemóvel, pequeno guarda-chuva…

      Vamos agora à viagem, tendo por base várias seções:

      VIAGEM:
      Ida a regresso com a Easy numa quarta e regresso no domingo (4 noites). A Ryan consegue melhor preço, mas não foi opção por causa dos horários (desajustados para nós) e por causa da atual instabilidade. Voos comprados cerca de 3 meses antes e custaram um nadinha mais de 200 aéreos para os dois. Ida para Luton e regresso por Gatwick, mera questão pessoal. Ambos os voos com algum atraso, mais significativo no regresso. Aterragem em Luton muito ventosa e algo complicada. Controlo de entrada não muito rápido, pior ainda para quem, como nós, tem o passaporte caducado, mas nada de grave e o CC serve perfeitamente…

      Adquiridos previamente no site da Easy os transfers para Victoria e no regresso de Vauxhall Park para Gatwick. Ambos feitos pela National Express e o custo total para ambos ficou em menos de 20 euros! Mais que bom! Nem sei como ficou tão barato, mas funcionou! Cuidado que as viagens são algo demoradas. No nosso caso 1,5 horas para cada lado! Joguem com isso no regresso para não perderem o voo! Por comboio será bastante mais rápido, ainda que mais caro!

      HOTEL:
      Sempre algo complicada a escolha. Procurávamos algo central com um mínimo de condições e que não nos desse cabo do orçamento! Seguimos a sugestão do Red Wish e a escolha caiu no Days Inn. Ainda que na “margem sul” é bastante central e sossegado. O preço para 4 noites passou os 400 euros (não comprado no respetivo site, nem no booking, mas antes no Zen). Depois lá decidimos se valia pena optar pelo PA e acabámos por o fazer, embora não seja barato: quase 6 libras por pessoa (continental), mas é cómodo, prático e dá para repetir o que se quiser… dentro do que há. O preço é cerca de 8 libras, mas dão uns talões de desconto e ficam a perto de 6. Total das 4 noites quase 48 libras.

      O hotel em si é um 3 estrelas grandinho e como há uma esquadra perto pelo que pedi antes um quarto sossegado e foi-nos dado um no 5.ª piso virado para uma rua lateral.

      Quarto pequeno (para o nosso padrão), mas com tudo o essencial, incluindo uma razoável casa de banho e um secador de cabelo cooperante. Apenas não tem ac, mas não fez falta. Do nosso quarto via-se uma pequena parte da “roda gigante”.

      A limpeza não compromete, mas podia ser melhor. O quarto tem cafeteira com chá e café gratuitos que repõem depois se usarmos. Bem simpático. Tem ainda um bar no rc (com happy hour ao fim da tarde) e pode-se pedir jantares, mas há apenas um prato. Tem duas estações de metro próximo (a menos de 10 minutos) e a de Waterloo é gigante e tem pato donald fora de horas. Ainda mais perto do hotel numa esquina e perto de uma igreja há um restaurante oriental onde se come muito bem e barato! Há ainda alguns cafés, supermercados (tesco) e afins, tudo bem pertinho.

      Tem ainda parque de estacionamento, mas recordo-me que era carote, mas como não usámos. O wifi funciona bem em todo o hotel e na receção tem mapas, folhetos, impressos para descontos além de serem solícitos para ajudar. Costuma ainda haver uma taça com maçãs (rijas e sumarentas) que comi várias vezes!

      acdn1.imggmi.com_uploads_2018_10_4_498b426560899d9235ae9123db9daff6_full.

      COMPRAS/DINHEIRO

      É uma questão recorrente e lógica. Comprámos algumas libras cá (200) e custaram cerca de 230 euros. Também cambiámos lá (bandas de Oxford Street onde há imensa oferta) e o câmbio foi ligeiramente melhor, mas uma diferença insignificante. Nota-se diferença nos diferentes locai de câmbio sendo que vimos 100 euros a valer 82 libras, mas também 88! Seja como for, não são diferenças abissais, mas convém andar atento e evitar o câmbio no aeroporto. Já agora, as moedas podem algo complicadas de “interpretar” comparadas com as nossas, isto confirmado por um empregado que costuma ele próprio propor aos turistas o acerto de trocos…

      Nunca chegámos a usar cartões em momento algum, nem mesmo cartões mais específicos como Revolut (que não temos) e apenas se justificam para quem viaja bastante...

      Dada a “fraqueza” relativa atual da libra nem se pode dizer que os preços são muito piores que os nossos, mas isso não é geral. O café custa facilmente o triplo de cá e não presta em lado nenhum (dito pela patroa que experimentou em uma dezena de sítios e sempre em versão small). Uma cerveja num qualquer pub facilmente custa 5 ou 6 libras, mas há compras (roupas, calçado, perfumes) que são bem mais baratas que cá! A taxa de serviço na restauração é prática habitual (10%), exceto nos lugares em que vamos nós mesmos buscar a comida!

      Vamos agora a uma análise dia a dia:
    • roda.
     

    Ficheiros Anexados:

    Editado por um moderador: 5 Out 2018
    Ticha Maria, TREPADOR, Pedro85 e 3 outros gostam disto.
  2. petrus

    petrus Membro Ativo

    208
    81
    28
    DIA de CHEGADA:

    O autocarro é mesmo à frente do aeroporto de Luton, mal olharam para o print da reserva e saímos na última estação em Victoria. Depois fomos caminhando até ao hotel (cerca de 40 minutos que se fazem bem), começando já a sorver o ambiente londrino. Rápido check-in e toca a aproveitar o resto do dia para conhecer as redondezas, indo logo visitar o War Museum que fica praticamente do outro lado da rua! Grande deceção verificar que o Big Ben está “entaipado”, tal como parte do Parlamento. Pouca sorte! Já nos aconteceu algo parecido em Paris! Jantámos “na rua” e voltámos ao hotel para desfazer as malas. Km’s percorridos: 10!

    acdn1.imggmi.com_uploads_2018_10_4_7e5890a315b24ba3ed407cd759bc159f_full.

    acdn1.imggmi.com_uploads_2018_10_4_1e1bdbb919b4ac84daf71e37bb71bddf_full.


    DIA 2:

    Estamos de férias pelo que também não é preciso madrugar em excesso, mas há tanto para visitar! PA reforçado e toca a ir para norte do Rio! Há imenso para ver e fica ao gosto de cada um! Trafalgar Square tem sempre algo a acontecer e a Galeria é gratuita e chegava para um dia inteiro. Só ver o auto-retrato de Rembrandt ou os girassóis de Van Gogh e já valeu a pena a viagem! Bandas de Picadilly nos aguardam com paragem obrigatória nos M& (só o cheiro já é bom, mas comprar e comer é melhor) e na casa ao lado dos Legos idem! Nova caminhada pela Regent e depois a Oxford (perdição de quem gosta de compras a preços mais humanos que a anterior). Desvio para ir ver o British Museum onde eu podia ficar um dia inteiro. Tinha que ver a “Pedra Roseta” e só essa já me satisfazia, mas havia tanto, tanto mais! Egito, Idade Média, Extremo Oriente… deambular novamente pelas ruas, parar para comer ali ao lado do London Eye (que tem ao lado o Dungeon e o Shrek) e regresso ao hotel já com algumas compras. Km’s percorridos: 15!

    acdn1.imggmi.com_uploads_2018_10_4_c3d3a7082aa738f135b34510ac619c96_full.

    acdn1.imggmi.com_uploads_2018_10_4_8bd6e50d20361d689b7af6ac167daab1_full.

    acdn1.imggmi.com_uploads_2018_10_4_34af81deb5e68a7789e26947ca5f8fd7_full.

    acdn1.imggmi.com_uploads_2018_10_4_c11a598e6176e4fce62d331a94baa8a3_full.
     
    Última edição: 4 Out 2018
    Ticha Maria, TREPADOR, d3ci0 e 2 outros gostam disto.
  3. petrus

    petrus Membro Ativo

    208
    81
    28
    DIA 3:

    Neste dia o programa era mais ambicioso em termos de distância. Começámos pelo Sul com a visita à Catedral de St. George (onde estava a decorrer a Missa do início do ano escolar e ficámos a assistir em parte por culpa dos cânticos) depois fomos em direção ao Tate Modern (para mim foi meh), mercado de Borough (cheio de pessoas, cores, sabores e cheiros), apreciar o Shard (imponente) e até pensar em ir visitar o navio de guerra ali ancorado (Belfast), mas alguém me disse: – Mais guerra não! Atravessar a ponte da Torre, visitar a pequena igreja ao lado (gratuita e com cripta obrigatória). Tínhamos ficado por decidir a ida ou não à Torre de Londres 8quase sem fila para bilhetes), mas optámos por não fazer já que a patroa tem um domínio muito reduzido da língua e ia-se perder a explicação dos “comedores de carne” (aka beefeaters). Andámos pela city que faz um contraste enorme entre o antigo e o recente e perceber que ali trabalham mais de 350.000 pessoas, mas residem menos de 5.000 é surreal! Chegou a hora da visita ao Sky Garden e um vendaval enorme enquanto estávamos na fila com ventos de mais de 100 km/hora. Se pensarem em ir reservem ANTES os bilhetes! Vimos várias pessoas a tentar sem sucesso ao não terem reserva! Lá de cima a vista é sublime e o jardim ajuda! Aproveitem para tirar fotos, beber ou comer algo e disfrutar do espaço que está dividido por 3 pisos.

    No regresso passámos pela Catedral e meu plano era entrar para subir à cúpula, mas como a minha companhia já se ressentia dos pés acabámos por não ir e ficámos com a vista à volta, ida à cave para os recuerdos e ainda a convivência com um atrevido esquilo…

    Chegámos já bem tarde ao hotel (jantámos no asiático acima mencionado) e com as pernas a pedir misericórdia. Km’s percorridos: 23!
    banco.
    londres.
    shard.
    esquilo.
     
    Ticha Maria, TREPADOR, d3ci0 e 3 outros gostam disto.
  4. petrus

    petrus Membro Ativo

    208
    81
    28
    DIA 4:

    Nesta noite chove e sabíamos que não iria ser diferente ao longo do dia, sobretudo da parte da tarde o que nos trocou um bocado os planos que eram ir a Hyde Park, Notting Hill, Museu de História Natural, não ao Tussaud (já conheço um e é meh, mas faz falta um em lisboa)… acabámos por encurtar algo do trajeto. Fomos à Catedral Católica, a Buckingham Palace (sabendo que não havia render da guarda nesse dia) e por pressão da patroa voltámos às bandas de Oxford para novas compras (!) e fomos andando para ir ver o mercado de Covent Garden (apinhado de gente). Depois rumámos ao hotel para mudar de roupa e de calçado que a chuva nunca nos abandonou. Depois de jantar toca a regressar e começar a preparar a tralha que no dia seguinte era a despedida! Km’s percorridos: 18!
    catedral.
    harry.

    DIA 5:

    Confirmou-se que o dia ia acordar com chuva. Eu quis voltar ao museu da guerra para ver uma parte que tinha estado fechada e assim fiz. Perguntei-lhe se queria ir ver o florence nightingale museu (enfermeirices), mas ela optou por ficar hotel. Ficámos um pouco na sala do hall a “fazer tempo” e por volta das 13:00 fomos apanhar o autocarro ao park Vauxhall sendo que parou de chover quando saímos do hotel…

    Viagem algo demorada para Gatwick e no controlo lá são mesmo CHATOS! Tive que me descalçar, passar os meus líquidos para o saco deles (que o que levava não servia e assim e assado). Tínhamos cada um seu perfume de 100 ml e não cabia nos sacos deles, já queriam que voltasse para trás para ir deixar em bagagem de porão e nós a ficar sem tempo! Lá se abriu as embalagens, tirou-se a tampa e mesmo assim passava do tamanho, mas lá passou no saco que nos dão. Uma cena muito desagradável! A minha patroa estava possessa! Tínhamos os nossos saquinhos com tudo prontinho, devidamente fechado e tudo aquilo poderia ser evitado se fossem um nadinha flexíveis! Com este atraso tivemos que nos despachar e nem deu para “gastar” umas quantas libras sobrantes no duty… está mal que agora não me servem para nada e não vale a pena cambiar! Melhor mesmo é voltar a Londres!!!

    O voo ia cheio que nem um ovo e nem sequer era Easy (tinham avisado por mail). O A321 fora fretado à Titan e saiu quase uma hora atrasado que aquele aeroporto, mesmo fora de época alta, tem voos que nunca mais acaba!

    As companhias, a avaliar por esta, estão cada vez pior! Vendem comida, depois perfumes, bonecos de peluche, relógios e, no final, ainda têm tempo para um peditório para as crianças… Km’s percorridos: 8!
    big.
     
    Ticha Maria, TREPADOR, d3ci0 e 3 outros gostam disto.
  5. PaulaCoelho

    PaulaCoelho Membro Conhecido

    934
    1.302
    173
    Londres é para mim aquela cidade onde posso ir várias vezes que acho que não me canso :)
    Isso é que foi dar aos pezinhos... também acho que é a pé que se conhece melhor uma cidade mas no regresso ao hotel prefiro o metro.
    Gostei muito do relato e da desculpa de sobrarem libras para regressar :D... também tenho para cá umas perdidas :rolleyes:
     
  6. Leonorb

    Leonorb Moderador Membro do Staff

    1.184
    833
    153
    @petrus
    Belos passeios a pé! :) Obrigada pela partilha
     
  7. NunoCorreia

    NunoCorreia Membro Ativo

    569
    221
    43
    Boas. Qual a app para saber os kms que usou?
    Os vícios em Inglaterra são caros face ao nosso poder de compras mas os bens essenciais são mais baratos. Existem umas lojas chamadas poundlands que as mulheres devem evitar pois trariam este e outro mundo dentro da mala.
    Os produtos de higiene e as guloseimas são muito muitos baratas.
     
  8. ploferreira

    ploferreira Moderador Sénior Membro do Staff

    3.998
    4.019
    273
    Gostei muito de rever Londres, isso é que foi dar corda aos sapatos! :D
    Recordo-me que quando lá estive fiz em média 15-20 km por dia, mais do que isso só mesmo em NY mas ainda assim Londres é uma cidade que se faz muito bem a pé.
    Continuação de boas viagens ;)
     
  9. petrus

    petrus Membro Ativo

    208
    81
    28
    Obrigado a todos/as pelas palavras simpáticas.

    Em especial para o NunoCorreia, não instalei nenhuma app pois já vinha previamente com o telemóvel, neste caso um LG X (creio que não comercializado no nosso país). Contabiliza passos, distâncias, calorias, faz comparações... resumindo é um Chato!:eek:

    Deixo-vos com o leão vermelho de Trafalgar Square. Tive que pesquisar para perceber o porquê da cor tão berrante ...
    New Trafalgar Square lion roars poetry
    20180920_123510.
     
  10. NunoCorreia

    NunoCorreia Membro Ativo

    569
    221
    43
    Ah ok, sim, realmente esses telemóveis são chatos mesmo, mas a malta quer é coisas dessas agora. As Smartbands estão também na moda :D:D
     
    Editado por um moderador: 8 Out 2018