[Report] Lanzarote (Canárias) - Hotel Iberostar Lanzarote Park julho 2015

Tópico em 'Reports das Ilhas Canárias' iniciado por SEDA a 17 Mar 2016.

  1. SEDA

    SEDA Membro Conhecido

    369
    422
    103
    Dados da Viagem

    Destino: Lanzarote – Canárias
    Datas: 11 a 18 de junho 2015
    Hotel: Iberostar Lanzarote Park 3* Hotel Lanzarote niños | Hotel IBEROSTAR Lanzarote Park | Hotel Playa Flamingo
    Regime: TI
    Agência
    : Abreu
    Operador: Travelplan
    Companhia Aérea: Orbest
    Preço: €1420 (para duas pessoas. Inclui €20 de reserva) – Mundo Abreu
    Visto: Não se aplica

    Excursões: organizadas por nós
    Aluguer do carro (3 dias): €65,79 na PlusCar - Fiat 500 (reserva feita pela net)
    Bono Turístico (6 centros): €30 (por pessoa)
    Passeio de Camelo (Timanfaya): €12 (para 2 pessoas)
    Casa José Saramago: €8 (por pessoa)
    Ferry Lanzarote – Fuerteventura (ida e volta): €160,65 (para 1 carro e 4 pessoas)

    Outros Gastos
    Cofre:€16.90 + €5 caução (devolvido no fim da estadia, contra entrega da chave e de um talão que entregam inicialmente)
    Gasolina: €37 (para entregarmos o carro com o mesmo nível de combustível que nos entregaram quando o levantámos)
    Almoço El Diablo: €101,45 (para 4 pessoas)
    Almoço Jameos del Agua: €71,55 (para 4 pessoas)
    Almoço Fuerteventura: €16,60 (para 2 pessoas)

    Embora tivéssemos pesquisado muito sobre Lanzarote, o que podíamos visitar, como podíamos fazê-lo, o hotel que escolhemos (e outros hotéis), as praias, etc., etc., etc., não tínhamos nenhuma expetativa sobre o que íamos encontrar, tanto a nível de ilha, hotel e pessoas.

    Chegamos ao aeroporto um pouco antes das 8h00 e o check-in, que já se encontrava aberto, foi feito tranquilamente sem muita confusão. Levantamos voo à hora prevista, 10h00, e chegamos a Lanzarote pouco antes das 12h. Ao chegarmos a Lanzarote também não esperamos muito tempo pelas nossas malas e depois fomos informados de qual o autocarro que devíamos apanhar para o nosso hotel. Fomos dos últimos passageiros a ser deixados no hotel (só ficou mais um casal dentro do autocarro depois de nós sairmos) e a sensação com que ficamos é que demos a volta a metade da ilha para deixar os outros passageiros. Assim que chegamos ao hotel os nossos amigos já nos esperavam (eles foram pela operadora Soltour), fizemos o check-in, deixamos as malas na receção, pois os quartos ainda não estavam prontos, e fomos almoçar. O calor já se fazia sentir e bem. A reunião com a operadora foi efetuada ao final da tarde, por volta das 18h30, na receção do hotel. Entregaram-nos um mapa da ilha, mas não compramos nenhuma excursão porque tínhamos alugado carro para 3 dias. Quem foi pela Soltour teve reunião às 19h.


    O Hotel – Iberostar Lanzarote Park 3*

    Dentro dos preços que procurámos este foi o hotel que nos chamou à atenção e o que escolhemos para passar uma semana de férias. O facto de já conhecermos um hotel da cadeia Iberostar (Iberostar Club Boavista, na Ilha da Boavista em Cabo Verde) e os reviews que lemos no TripAdvisor (o hotel está em 10º lugar em 35 hotéis de Playa Blanca) foram também os impulsionadores para finalizar a escolha.

    Entrada Principal Hotel Iberostar Lanzarote Park

    Vista da Receção

    O hotel é grande, com um total de 332 quartos, divididos por 3 blocos de 4 pisos cada. O bloco central é onde se encontra a receção (piso 1), o restaurante e o bar principal (piso 0). Os outros 2 blocos têm quartos em todos os pisos. Os do piso 0 são todos familiares com portas de acesso direto à piscina. Todos os pisos superiores (1, 2 e 3) têm varanda virada para o mar. O hotel está rodeado de jardins arranjados e limpos diariamente. A partir da zona das piscinas temos acesso direto ao passeio marítimo que vai, pelo menos, até ao centro da Playa Blanca (era até onde íamos todas as noites depois de jantar). Havia um cuidado constante em ter o hotel limpo e havia sempre alguém a tirar folhas das piscinas, a arranjar alguma lâmpada, a limpar um canteiro, etc. Uma coisa que reparámos, e ainda não tínhamos visto em nenhum outro local, foi que, de manhã, os nadadores salvadores (havia 1 por piscina) passavam a ronda às espreguiçadeiras por causa das toalhas que ficavam a marcá-las. Na primeira ronda deixavam um papel onde indicavam que era proibido pelo hotel fazer a marcação de espreguiçadeiras. Na segunda ronda se as espreguiçadeiras ainda estivessem vazias, tiravam as toalhas e arrumavam, se já estivessem ocupadas falavam com as pessoas (penso eu que fosse a dizer novamente o que estava no papel). Ao final do dia se eram deixadas toalhas nas espreguiçadeiras, também eram recolhidas e guardadas.

    O hotel tem sete piscinas, três no bloco central (uma de crianças, uma para adultos – com profundidade entre os 30cm até aos 2,40m se não estou em erro – e outra mais pequena junto ao passeio marítimo – com profundidade de cerca de 1,40m) e duas em cada um dos outros blocos (uma para adultos – com a mesma profundidade que a do bloco central – e outra para crianças).

    Piscinas Edifício Central

    Piscina Edifício Lateral

    Piscina Edifício Lateral

    Piscina Edifício Lateral

    Piscina Edifício Central à Noite

    Relativamente aos quartos, à chegada foi-nos atribuído um quarto no piso 0 do edifício 3 (de frente para a entrada do hotel é o que fica do lado direito). O quarto (3024) era um quarto familiar e, segundo eles, tinham-nos feito um upgrade ao que nos era para ser atribuído inicialmente pela reserva. O quarto familiar tinha uma sala com porta para um pequeno terraço e acesso à piscina, uma Kitchenette (que se encontrava fechada à chave, mas todos os quartos têm uma), WC completo e um quarto. Quando vimos o quarto não achamos piada ao facto de o quarto de dormir ser logo à entrada virado para o corredor onde é feito o acesso aos restantes quartos do edifício e a janela existente não dar luz nenhuma porque também estava virada para as portas de serviço. Na sala de estar não era possível ter qualquer privacidade a menos que mantivéssemos sempre os cortinados fechados, pois sendo o terraço virado para a piscina todas as pessoas que lá estivessem podiam olhar para dentro e ver o que se passava por lá. Além disso, nunca iriamos fazer o acesso à piscina por aquele lado uma vez que a porta não dava para fechar por fora.

    Como fomos com um casal amigo pedimos para ver o quarto deles, que era no piso 2, e não tinha nada a ver com o que nos foi atribuído. Era mais pequeno mas muito mais luminoso, por isso fomos à receção e pedimos para trocar. Falamos com o Gerard (um senhor 5 estrelas, super disponível e simpático) e explicamos que não nos tínhamos sentido confortáveis no quarto por ser no piso 0 e se era possível trocar por outro num piso superior, mesmo que inferior ao que nos tinham atribuído, e que não nos importávamos de pagar essa alteração. Deu-nos a chave de um quarto no piso 3, para ver se nos agradava mais, mas que só estaria disponível no dia seguinte. Fomos ver e adoramos o quarto, para nós muito melhor que o primeiro, e combinamos logo a troca para o dia seguinte após o pequeno-almoço. No dia seguinte quando fomos buscar o cartão para o novo quarto, o Gerard informou-nos que não tínhamos de pagar nada pela alteração que solicitamos (caso tivéssemos de pagar seria €7,50/dia).

    O novo quarto (3307) tinha uma vista brutal para o mar e para a piscina. Não temos fotos do primeiro quarto, nem nos lembramos de tirar.

    Quarto 3307

    Quarto 3307

    Quarto 3307

    Quarto 3307

    Casa de Banho Quarto 3307

    Fomos em regime de TI e podemos dizer que as refeições eram espetaculares e isso foi umas das coisas que nos fez escolher este hotel (baseados em experiência Iberostar passada e reviews). O hotel só tem dois restaurantes e dois bares, um dentro do bloco central no piso 0 (de um lado é o restaurante e do outro é o bar) e outro restaurante e bar perto piscina do bloco central. São ambos self-service, mas o junto à piscina normalmente não tinha grande variedade, por isso optamos sempre pelo do edifício central. Todos os dias havia coisas diferentes para comer, tanto ao pequeno-almoço, como ao almoço e ao jantar. Lanches podiam ser feitos no bar da piscina ou então tinham umas sandes preparadas e já embaladas no bar principal. Nós nunca lanchámos porque comíamos mesmo bem ao almoço.

    Bar Edifício Central

    Bar Edifício Central

    Podemos dizer que no geral vimos muito satisfeitos com a nossa escolha. Os empregados sejam os da receção, os do restaurante e bares, sejam as senhoras que faziam a limpeza dos quartos, eram todos simpáticos e esforçavam-se imenso para satisfazer as necessidades dos hóspedes e o que lhes era solicitado. A comida era variada e de boa qualidade e estavam sempre a reabastecer, era raro esperar-se muito tempo por algo.

    O hotel em si nota-se que necessita de ser atualizado, mais a nível de mobiliário e decoração (aquilo que se vê nas fotos do site do hotel, é o que se tem ao chegar ao mesmo), mas nada que seja impeditivo de passar umas boas férias.

    As coisas menos boas do hotel a apontar são: os quartos não terem ar condicionado (nós ficamos virados a oeste e o nosso quarto tinha sol a bater toda a tarde o que o tornava bem quente, mas que resolvemos com a abertura de janelas enquanto tomávamos banho), não terem toalhas para piscina/praia (tivemos de levar toalhas nossas, mas se não tivéssemos levado encontrava-se toalhas de praia a €5 em lojinhas perto do hotel), a animação é fraquinha (ao todo são 6 pessoas e houve dias em que não chegamos a perceber quais as atividades que estavam a decorrer, embora houvesse um calendário exposto. Mesmo os espetáculos da noite não eram nada de especial). Outra coisa é que não existe limpeza de quartos à quarta-feira, por isso às quintas praticamente todos os hóspedes pedem para trocar toalhas e pode acontecer não haver toalhas para repor em todos os quartos – nós não tivemos problemas mas os nossos amigos tiveram de ir, por duas vezes, pedir para reporem as toalhas à receção (tirando isto a limpeza dos quartos é bem feita e têm por hábito deixar bonecos feitos com toalhas em cima da cama, ou os pijamas arranjados de alguma forma mais bonita).

    O hotel tem ainda uma sala onde podemos deixar as malas guardadas após o check-out e com chuveiros para se tomar banho. É um bocado estranho porque não é o habitual quarto de cortesia (embora eles lhe chamem assim), mas mesmo assim dá para aproveitar a piscina até ao último minuto. E foi o que fizemos, uma vez que só nos foram buscar ao hotel depois das 19h. Ainda questionamos quanto custava fazer o late check-out, para estarmos mais à vontade, mas considerámos que não compensava pois pagávamos, creio que, €25 (mais ou menos) e tínhamos de sair até às 14h30. As toalhas para usar neste quarto de cortesia têm de ser solicitadas na receção.
     
    Editado por um moderador: 17 Mar 2016
    Flecha e Oscar Reis gostam disto.
  2. SEDA

    SEDA Membro Conhecido

    369
    422
    103

    Os passeios


    Para passear pela ilha decidimos alugar carro durante 3 dias. Alugamos carro na PlusCar pela internet no dia 7 de julho, ao final do dia, e às 8h, do dia seguinte, tínhamos um mail deles a confirmar a reserva para o carro que escolhemos (um Fiat 500). No mail indicaram-nos que nos iam buscar ao hotel, mas, no nosso caso, a agência da PlusCar ficava mesmo ao lado do hotel, por isso fomos a pé. Levantamos o carro às 8h30 de dia 13 e entregamos por volta da mesma hora de dia 16. Pagamos €65,79. No aluguer do carro estava tudo incluído (seguros) e mesmo que acrescentássemos algum risco, aos já existentes na pintura ;), não havia problema.

    Dia 13

    Depois de pequeno-almoço tomado e carro alugado, fomos em direção ao Parque Nacional de Timanfaya (Montanãs del Fuego). Foi por aqui que começámos as nossas visitas e a volta à Ilha de Lanzarote. À entrada do parque comprámos um Bono Turístico que custa €30 e inclui 6 parques. Os parques são: Parque Nacional de Timanfaya - €9, Jameos del Agua - €9, Cueva de Los Verdes - €9, Mirador del Rio - €4,50, Jardín de Cactus - €5,5 e Castillo de San José - €4. Este Bono Turístico compensa pois ao pagar as entradas individualmente em cada local ficaria a €41.

    A visita ao parque é feita de autocarro e parece mesmo que estamos noutro mundo. A paisagem é impressionante e ao mesmo tempo que o autocarro passeia no meio dos vulcões vai passando uma gravação a dar-nos informações sobre o que se passou e provocou aquela paisagem que estamos a ver. Vale mesmo a pena. Já tínhamos decidido antes do passeio almoçar no restaurante do parque (El Diablo). Considerámos que era uma oportunidade, quase que, única comer algo cozinhado pelo calor do vulcão (além de termos uma vista privilegiada sobre o parque) e valeu bem a pena. Fica a cerca de €25/pessoa e este preço já inclui vinho, sobremesa e café.

    Do parque seguimos para a Laguna de los Clicos/El Golfo. Trata-se de um lago de cor verde junto ao mar. É possível descer até ao lago e ainda molhar os pés no mar.

    O local seguinte escolhido foi Los Hervideros. O barulho do mar a bater nas rochas e o efeito visual que é criado com este embate, parecendo que é água a ferver, é um espetáculo digno de ser visto.

    Seguimos caminho até às Salinas del Janubio e depois para a Casa/Museo Monumento al Campesino. Este não estava na nossa lista como sendo obrigatório visitar, mas vale a pena. O espaço está engraçado e permite perceber como era a vida dos camponeses na ilha.

    O Castillo de San José foi a nossa escolha seguinte mas sinceramente não vale a pena pagar para visitar. O espaço é pequeno e tem pouco para ver. Para quem comprar o Bono Turístico esta visita está incluída.

    La Geria foi o último lugar visitado no primeiro dia. É um local bonito de se ver. Vale a pena ver a forma diferente como plantam as vinhas e provar o vinho que é produzido a partir dali.

    Ainda passamos por Arrecife (capital de Lanzarote), mas a cidade não tem nada para se ver.

    Dia 14

    Neste dia começámos novamente o nosso passeio por Timanfaya, pois quisemos ir andar de camelo. O passeio tem um custo de €12 por duas pessoas e a volta não é muito grande. Nós nunca tínhamos andado de camelo/dromedário e achamos o passeio giro, mas acredito que para quem já tenha tido outras experiências possa não ter grande graça. Existe ainda a possibilidade de tirarem uma foto que é vendida no final por €5. Aqui eles questionam quem quer a foto antes da partida, não tirando a todas as pessoas, mas apenas a quem solicita este serviço.

    Depois do passeio de camelo seguimos para a Casa José Saramago. Uma visita que vale a pena ser feita. A sensação que temos é que a casa ainda se encontra habitada. A visita é guiada e ao mesmo tempo levamos um aparelho onde podemos ouvir a história de cada divisão e informações sobre os objetos e fotografias expostos (têm várias línguas, incluindo Português). Quase no final oferecem um café português (mesmo bom) e, antes de passarmos à biblioteca e local de trabalho de Saramago (onde termina realmente a visita), terminamos a visita à Casa no jardim, onde ainda se encontra a cadeira onde se sentava a contemplar o mar.

    O local seguinte escolhido foi o Jardín de Cactus. Catos de todas as espécies e feitios e que nós nem sabíamos que existiam. A visita é engraçada mas o calor que se faz sentir neste local acaba por nos apressar na mesma.

    Próximo local: Jameos del Agua. Mais uma obra de Manique e de uma beleza impressionante. Almoçamos neste local, num restaurante escavado na rocha e onde conseguimos descansar do calor que se sentia lá fora. Aqui encontramos os caranguejos albinos (únicos no mundo) e que parecem fazer a água brilhar, e um auditório impressionante também escavado na rocha. Um pouco mais à frente dos Jameos del Agua encontra-se a Cueva de Los Verdes. O passeio é feito por baixo de terra, por túneis formados pela lava de uma das últimas erupções do Vulcão de La Corona. Parámos num auditório de acústica única no mundo e ainda tivemos direito à revelação de um segredo... Segredo esse que deve ficar guardado com cada um dos visitantes ;). Esta visita vale mesmo a pena.

    Por último visitamos o Mirador del Río, mas apanhamos nevoeiro cerrado e não conseguimos ver nada. Na entrada indicaram-nos que poderíamos voltar noutro dia se quiséssemos não tendo que pagar mais por isso, mas não conseguimos fazê-lo.

    Dia 15

    No terceiro dia de aluguer de carro, e como já tínhamos visto tudo o que queríamos em Lanzarote, decidimos ir até Fuerteventura de ferry.

    Em Playa Blanca existe uma marina de onde saem os ferries que levam carros e passageiros até à Ilha de Fuerteventura. Pelo carro e 4 pessoas pagamos €160,56, ida e volta. Fomos no ferry das 9h da manhã (convém ir um pouco mais cedo para se comprar bilhete, a nós deram-nos a indicação de 45 minutos antes do ferry sair) e pedimos para regressar no das 20h (na compra temos de indicar o horário de regresso).

    Ao chegar a Corralejo, em Fuerteventura, fomos em direção à praia, onde estivemos até à hora de almoço. As praias são melhores que as de Lanzarote, com uma maior extensão de areia.

    Fomos almoçar a La Oliva e após o almoço conduzimos até ao Farol em El Cotillo (El Faro del Tostón). Depois desta visita voltamos a Corralejo para apanhar o ferry das 18h para voltarmos a Lanzarote. Embora tivéssemos bilhetes para o ferry das 20h, eles permitem a troca de horário para mais cedo. O contrário é que já não é possível.

    Confesso que Fuerteventura não me encantou da mesma forma que me encantou Lanzarote. A zona por onde andámos pareceu-nos mais banal, menos cuidada. Talvez a melhor parte da Ilha seja para sul, não sabemos. Mas nada como voltar um dia, com mais tempo para conhecer mais a ilha e a outra parte.

    No regresso a Lanzarote ainda fomos visitar a Playa Papagayo e as outras praias ali à volta. Como já entrámos depois das 18h não tivemos de pagar nada.

    Dia 16 e 17

    Entregamos o carro a dia 16 de manhã, por volta da mesma hora a que o levantamos, e a partir desse dia foi mesmo aproveitar o hotel, a piscina, o sol, até à hora de regresso, no dia 18.

    Dia 18

    O dia de regresso foi uma pequena aventura. Como fomos pela Travelplan foram-nos buscar ao hotel às 19h10 para irmos para o aeroporto. Quem foi pela Soltour só saiu às 19h25. No entanto, no caminho para o aeroporto tivemos de parar a meio pois a camioneta onde seguiam os passageiros Soltour avariou. Ao chegarmos ao aeroporto, passavam pouco depois das 20h, e ao fazer o check-in fomos informados que o nosso voo para Lisboa estava com um atraso, na altura de cerca de 30 minutos. Para nós tudo bem, nem nos preocupamos com isso. Mas cada vez que olhávamos para os monitores do aeroporto para verificar os horários e possíveis alterações, verificávamos que o nosso voo atrasava mais. Inicialmente atrasava de 10 em 10 minutos, depois atrasou 1h e assim sucessivamente até estar previsto para a 1h da manhã. No aeroporto não havia ninguém para nos dar informações, até que um dos passageiros se exaltou com uma senhora que pertencia à EasyJet e foram chamar colaboradores do próprio aeroporto. Soubemos que o nosso avião ainda não tinha saído de Lisboa (isto já passavam das 23h). Também nos apercebemos que se não levantássemos voo de regresso até à 1h da manhã, já não podíamos levantar nessa noite pois o aeroporto fecha. O avião aterrou em Lanzarote eram 00h25, fizeram o nosso embarque sem que os passageiros saíssem do avião, estávamos na manga para embarcar e vimos os outros passageiros a saírem depois do avião. Meteram-nos no avião e era 1h10 quando levantamos voo. A meio do voo foi-nos indicado que por contingências do aeroporto de Lisboa tinham sido obrigados a mudar a rota para a Madrid e por esse motivo íamos passar a noite nessa cidade. Por nós tudo bem, mas a grande maioria dos passageiros ficou bastante insatisfeito com esta situação e alguns até foram bem mal-educados com o pessoal de bordo. É provável (ou mesmo certo) que a tripulação já deveria ter a informação de que o aeroporto de destino seria Madrid e não Lisboa, mas acredito que se tivessem informado os passageiros desta alteração antes de partimos, provavelmente o avião não teria levantado voo de Lanzarote. Creio que isto também aconteceu pois a ocupação turística nos hotéis para essa noite estava no máximo, não havendo disponibilidade para nos alojar a todos por mais uma noite, sendo mais fácil levar-nos até Madrid e ficarmos lá durante a noite.

    Chegámos a Madrid por volta das 4h da manhã (é 1h a mais que em Lanzarote e Lisboa) e só entramos no quarto de hotel passavam das 6h (os primeiros passageiros a serem atendidos e encaminhados para os quartos foram os que tinham crianças pequenas). Às 10h tínhamos de estar prontos porque nos iam buscar para seguirmos para o aeroporto. Ficamos no Hotel Auditorium Madrid, que fica mesmo junto ao aeroporto e é até bastante agradável e algo luxuoso.

    Passavam das 13h em Madrid quando embarcámos em direção a Lisboa. E assim terminou a nossa viagem.

    No geral, gostámos imenso de Lanzarote, das pessoas, do hotel e de todos os locais que visitámos. Tal como disse inicialmente, não íamos com grandes expetativas para esta viagem e, talvez por isso, tudo o que esperávamos foi superado.

    Carro de Aluguer - Fiat 500

    Vista do Quarto do 3º Andar

    Vista do Quarto do 3º Andar

    Vista do Quarto do 3º Andar

    Vista do Quarto de 2º Andar

    Vista do Quarto de 2º Andar

    Passeio Marítimo em Frente ao Hotel
     
    Karlos, Gartefiel, Flecha e 8 outros gostam disto.
  3. Cristina Sousa

    Cristina Sousa Membro Conhecido

    5.473
    8.238
    323
    @SEDA :)
    Que belo report.
    O hotel tem muito bom aspecto. E gostei bastante desta última foto, do passeio marítimo.
    Deve ser um local muito agradável para umas férias tranquilas.
    Com boa comida, sol, calor e água com boa temperatura, se as expectativas foram superadas, é porque valeu a pena!
    Obrigada pela partilha! Nós gostamos sempre de novos testemunhos. ;)
     
    SEDA gosta disto.
  4. Ricardo_7

    Ricardo_7 Membro Conhecido

    2.531
    2.169
    223
    Olá,

    Muito obrigado pela partilha. Que grandes fotos que tiraste, parabéns! Fantásticas mesmo!

    Continua a partilhar e boas viagens :)
     
    SEDA gosta disto.
  5. PauloNev

    PauloNev Moderador Sénior Membro do Staff

    4.228
    3.582
    273
    Muito obrigado pela partilha.
    Boas viagens ;)
     
    SEDA gosta disto.
  6. SEDA

    SEDA Membro Conhecido

    369
    422
    103
    Obrigada Cristina!
    As Canárias nunca nos provocaram grande interesse, mas tínhamos uma semana de férias em julho e precisávamos de descansar (além de ter de ser com saída a sábado e regresso no máximo no domingo seguinte, porque não conseguíamos alterar as datas de férias) e para as Canárias existiam voos com as características que pretendíamos...de todas as ilhas, Lanzarote foi a que gostamos mais, porque além de praia podíamos também passear....e foi mesmo uma boa surpresa...tanto que já falamos na possibilidade de ir conhecer as outras ilhas...
    Gostamos imenso...e mesmo do hotel foi 5 estrelas....

    Obrigada Ricardo! O meu namorado (e eu também) adoramos fotografia...e gostamos de perder algum tempo com essa parte...
     
    Ricardo_7 gosta disto.
  7. Oscar Reis

    Oscar Reis Membro Conhecido

    7.352
    3.990
    323
    Obrigado pela partilha ;)
     
    SEDA gosta disto.
  8. Bee

    Bee Moderador Membro do Staff

    2.912
    1.377
    223
    Obrigado pela partilha.
    Eu partilhava da tua opinião acerca das Canárias! Nunca tive grande interesse! A verdade é que visitei Tenerife em 2014 e gostei bastante! Dessa forma não coloco de parte a possibilidade de voltar para conhecer Lanzarote, Fuerteventura ou Gran Canária. Não é dos destinos mais belos do mundo mas para o efeito pretendido é bastante agradável. Claro que o hotel onde se fica também ajuda na avaliação geral do destino, talvez por ter ficado num excelente hotel em Tenerife a minha opinião tenha mudado acerca das Canárias.

    Gostei do que vi!
     
    SEDA gosta disto.
  9. Dfer

    Dfer Membro Ativo

    284
    152
    43
    Bonito report!
    Quando estive em Fuerteventura, visitei Lanzarote e adorei! São ilhas tão próximas e tão diferentes, mas ambas são muito interessantes.
     
    SEDA gosta disto.
  10. SEDA

    SEDA Membro Conhecido

    369
    422
    103
    Igual deste lado...já andei a pesquisar sobre as outras ilhas para programar uma viagem de regresso ;)

    Nós fizemos ao contrário...ficamos em Lazanrote e visitamos Fuerteventura, confesso que não gostamos tanto, nós só fomos até ao farol El Cotillo, mas acredito que mais para sul o encanto da ilha seja outro...

    Obrigada a todos pelos comentários. Qualquer questão disponham ;)
     
  11. baguera

    baguera Membro Conhecido

    562
    390
    103
    Parabéns pelo report.
    Eu gostei muito de Lanzarote, é uma ilha diferente mas bonita por isso mesmo, uma ilha adormecida :)
     
    SEDA gosta disto.
  12. Lipe

    Lipe Membro Conhecido

    919
    1.190
    173
    Obrigado pela partilha! Tal como tenho dito a outros reports de Maiorca e Menorca... quando chegar a altura em que não dê para outros destinos mais caribenos.. já sei que posso contar com algo aqui mais perto (nem sempre mais barato, se olharmos a Julho e Agosto).
     
    SEDA gosta disto.
  13. Gartefiel

    Gartefiel Membro Novo

    18
    8
    3
    Excelente report ;);););)
     
    SEDA gosta disto.
  14. SEDA

    SEDA Membro Conhecido

    369
    422
    103