[Report] Jamaica, passando por Nova York, Maio 2018

M@loveci

Membro Novo
Nova York e Jamaica

Sendo um novato no site e pelas histórias de viagens que li aqui à procura de novas ideias de viagens, aqui vai a minha experiência que tive o ano passado, me, myself and I, em Maio/18 entre Nova York e Jamaica.

Fui neste circuito via empresa de viagens NiceTravel em Setúbal (viajo com eles desde 1997, ainda tinham o nome de Mil Destinos), durante o período de 12/Maio a 20/Maio, tendo ficado 4 dias em NY e 5 dias na Jamaica. Pode-se escolher os dias entre cada sítio.

Jamaica era um destino de sonho desde sempre, ou melhor, desde o filme “Cocktail” com o Tom Cruise (Jamaica maaann!!) e NY foi apenas porque o circuito incluía o mesmo, mas superou as expectativas!!!

De 12/Maio a 15/Maio – NY

Voo directo para o aeroporto JFK, onde tinha à espera guia/motorista até ao Hotel. 1h à espera no controlo aduaneiro para entrar. Na vinda apenas esperei 15 min. Depende assim dos voos que naquele momento chegam ao mesmo tempo que o nosso.

Fiquei no hotel Park West Hotel, mesmo em frente ao Central Park , o que me permitiu logo no 1º dia começar por aí a descoberta da Big Apple (cheguei ao hotel eram 16:30, hora local).

Fiz o Central Park a pé de um aponta à outra (aconselho levar sapatos/ténis confortáveis para quem vai andar muitooooooo), e fiquei espantado com o esplendor e enormidade daquele sítio, sempre bem policiado. Ainda bem que agora as fotos são tiradas por telemóvel com espaço p/ milhares de fotos e não por máquina com rolos de 24/48 fotografias J. Durante este percurso via ao fundo os enormes arranha-céus e só pensava : “ é já ali”….mentira……o é já ali é mesmo longeeeeeee!! Os prédios por serem altos, dão a noção de ser já ali, ah ah ah ah, o que me “fartei” de andar. Nunca senti nenhum receio em andar em NY, seja de dia ou de noite, ou mesmo no Metro.

Neste 1º dia (tarde), visitei a Grand Central Station (encontrei por acaso e foi uma agradável surpresa encontrá-la do tipo: “olha é a Central Station!”), Times Square, St. Patrick´s church.

No 2º dia, já tinha o programa pensado desde Portugal. Comprei um Tour de 1 dia (+/-60€), em mini bus por NY, que incluía visita à Estátua da Liberdade. Comprei aqui NY SEE IT ALL! – New York City Tours e valeu a pena porque o mini bus parava nos locais de interesse, o guia saía connosco e explicava a história desses locais. Adorei saber de onde veio o nome e o porquê de se chamar Wall Street, espectáculo!! Este tour pela cidade permitiu-me nos outros dias andar a pé por NY sabendo os sítios onde já tinha estado.
Neste dia visitei, Wall Street, Estátua da Liberdade, Ground Zero, Times Square (obrigatório lá ir todos os dias, ah ah ah ah), Top of The Rock à noite (observatório no Rockefeller Center, bilhete de +/- 39€), voltei de metro para hotel. Fiz download da app para telemóvel “New York Subway MTA”, e bastava colocar a estação do meu hotel e ele apartir da localização onde estamos, diz o metro mais perto, tudo em off-line. Aconselho.

No 3º dia fiz Brooklyn bridge, Ground zero 9/11, Flatiron building, Times Square, Bryant Park fui de metro directamente para o outro lado da Brooklyn bridge, pelo metro linha C, estação High Street, onde comprei o peq. almoço num café e levei para me sentar em frente à Brooklyn bridge com aquele vista lindaaaaaa para NY e os seus arranha-céus. Fiz a pé a Brookling bridge até ao outro lado e é das melhores vistas que se pode ter de NY, além da Estátua da Liberdade. Podia ter ido ao bairro chinês que fica ao lado direito quem saí da ponte, mas já tinha o meu percurso destinado e com tempo marcado.

Fui de seguida ao 9/11-Ground zero e é de longe um sítio obrigatório a visitar. “Todos nós” que vimos o que se passou naquele fatídico dia, visitar O SÍTIO em pessoa, mete respeito a qualquer um. O bilhete salvo erro foram 20€ ($24), imperdível não visitar. poupei uns 7€ ao fazer o down load da app para o 9/11, em português, com o wi-fi deles. Em todo o espaço há wi-fi. Quem saí de lá, saí em silêncio L. A sala onde estão colocadas todas as fotos daqueles que lá morreram, mete respeito/dor (não tirem fotos, por uma questão de respeito).

Depois de sair dali fui ao Flatiron building (prédio em formato triangular), e comi qualquer coisa em frente no Madison Square park, para repor energias para o resto do dia. Dali fui a pé até ao Bryant Park, onde se pode apreciar de um lindo jardim cheio de pessoas completamente no relax/chillout J, para beber um café, comer algo, ou visitar a biblioteca pública de NY que fica virada para o parque.. Zona excelente para ver as fotos do dia e partilhar/falar com a família, porque o parque tem wi-fi em todo o lado.

Depois novamente Times Square, para as compras/souvenirs de último dia, onde inclui a loja M&M´s, que acho que os adultos ficam mais maravilhados que as crianças J.

No último dia de manhã, 3ªfeira dia 15/Maio, andei a passear pelo Central Park e ver a 2ª maior actividade dos novaiorquinos, depois do jogging….passear os cães J . Depois…aeroporto de la Guardia, voo para Atlanta, onde vi o aeroporto com maior tráfego do mundo, 12 mil passageiros por hora, 100 voos por hora…2 pistas para aterrar e 2 para levantar voo, todas em simultâneo, uma loucura!!! Cheguei à Jamaica/Montego Bay eram 19h. Aqui perde-se um dia inteiro entre voos e aeroportos. Mas valeu a pena.













De 15/Maio a 20/ Maio - Jamaica

Fui de táxi do aeroporto para o hotel (já incluído no programa/preço), e aí entra-se num novo mundo. Na zona do aeroporto, local onde mostrei o voucher para me levarem para o hotel…música reggae em todo o lado, toda a gente a cantar e com um sorriso fácil no rosto. Cheguei a perguntar se aquele sítio era um aeroporto ou a happy land. Resposta imediata “Ya man! Este era um novo mundo. O taxista que me levou para o hotel, a meio do percurso, parou num minimercado à beira da estrada para comprar comida porque a mulher tinha-lhe pedido. Eram umas 20:30, noite cerrada na Jamaica e eu sozinho no meio da estrada dentro de um táxi, lol. Foi aqui que ouvi do taxista uns dos lemas da Jamaica: “ In Jamaica we don´t drink and drive, we smoke and fly “ Ah ah ah ah ah. A partir daqui o meu lema foi “Jamaica no problem”.

-->16/Maio, hotel Sunscape Splash Montego Bay, dia inteiro para relaxar dos dias anteriores de longas caminhadas. Finalmente chinelo no dedo e calções de banho.

O hotel está vocacionado tanto para adultos, como para crianças. Existem 2 piscinas para adultos e 1 BIG piscina para crianças onde têm escorregas e um barco pirata no meio. Brutal!! Vejam as fotos.

-->17/Maio, comprei no looby do hotel na véspera os passeios para onde queria ir. 1 dia inteiro para os Dunn's River Falls (cascatas) e casa do Bob Marley (74€). Ambos os sítios na zona Este da ilha. Fui de mini bus, e por ser pequeno vais metendo conversa com os turistas (como eu), para saber de onde são. EUA, Canadá, França, Croácia, Reino Unido, Finlândia e aqui o Tuga :). Este tour leva o dia todo mas vale o preço. Aconselho comprarem uns sapatos especiais para andar nas quedas de água, porque sem os sapatos, aquilo é muito escorregadio. Como já sabia, fui daqui prevenido e comprei uns na Decathlon (5€),mas lá em qualquer loja de souvenirs, podia-se comprar por 8/10€. Tive para comprar uns com a bandeira da Jamaica, que calçados, parecia que tinha os ténis do Usain Bolt :) . Nota: Depois do Bob Marley é a pessoa mais acarinhada da Jamaica.

Dunn's River Falls, são umas cascatas de água doce, que começam na montanha e descem até ao mar. A subida começa pela praia até lá acima, todos em fila e com um guia no início e fim da fila, para ninguém se perder, no qual têm este lema “nesta fila, tu olhas por mim e eu olho por ti, para lá em cima chegarmos todos juntos”. Achei brutal!!! Existe um guia que leva uma câmara de filmar, para depois poder vender o filme em DVD a quem queira, isto porque não dá para levar telemóvel. Quem tiver uma GoPro, aconselho levar, porque o DVD que eles gravam custa uns $10 e gravam o grupo todo e não um a um. Eu levei uma capa impermeável para o meu tlm e fez o mesmo efeito, desde que não deixem cair. Dunn's River Falls, é brutaaaal!! .

De seguida almoço a meio caminho da casa do Bob Marley, e a guia que vai no mini bus, vai contando a história da Jamaica. Casa/museu do Bob Marley é um complexo, como se fosse uma vivenda enorme, com vários anexos num espaço rodeado de imenso arvoredo (canábis incluído of course, mas lá dentro não se fuma nada…). Antes de entrarmos neste complexo, cá fora existe uma barraca de uns “man´s” que vendem o produto de renome na Jamaica, quer seja em rolos, bolos, chá, cigarros, tablets. Desde que não tragam na bagagem para o aeroporto, e se forem discretos pode-se experimentar o “produto” em qualquer sítio. Os guias dentro da casa do Bob Marley, contam a história do cantor e o significado/porquê das letras das músicas mais conhecidas, com aquele sotaque de reggae/inglês à mistura, top !! O caminho de mini bus até lá e voltar não é dos mais famosos, muitas curvas e perigosas, haja estômago!

-->18/Maio, dia dedicado ao relax, praia, bebidas e o famoso Jerk Chicken, em português o sabor é do nosso frango no churrasco, mas sempre acompanhado com picante. Todos os dias há Jerk Chicken, todos!!

-->19/Maio, segundo tour à ilha, desta vez na parte Oeste/Negril, para visitar 7 miles beach e Rick´s Café (75€) ,mais um dia inteiro de passeio. 7 miles beach é a maior praia da Jamaica e a mais espectacular. Nesse dia o sol não quis aparecer e não tive a melhor vista, mas a água quente, quente e as bebidas frias, frias, compensaram :) . À chegada a 7 miles, almocei no Fireman´s Losbter pit, restaurante à beira da praia, onde a lagosta é o mais apetecido, mas também existem outras opções. Encomenda-se a comida, vai-se para a praia enquanto se espera, e quando está pronto é só voltar, apreciar a comida em frente aquele paraíso. A lagosta feita na hora +/- $35. De resto, existem quesadillas, pizzas, hambúrgueres, peixe, para outras carteiras. O preço anda entre $12/$15.

Depois de almoço, volta ao mini bus para ir a outra atracção principal na Jamaica que só soube que era famosa, aquando da programação desta viagem, o Rick´s Café em Negril, que existe desde 1974. Votado como o “best beach bar” pelo Travel Channel. Fica no topo de umas rochas, onde a principal atracção são os “jumpers” que saltam das rochas, directos para aquele mar azul turquesa. Todos podem saltar, seja de 3 metros de altura ou de uma altura de um prédio de 6 andares, haja coragem. Eu não fui e arrependi-me, lol.

O bar a meu ver é uns dos melhores cartões de visita da Jamaica, porque o reggae é cantado ao vivo, num palco virado para o mar, o ambiente reggae de “no stress” está sempre no ar, brutal !!! Pode-se comer também e apreciar uma bela cerveja na varanda do bar para um excelente pôr-do-sol.

-->20/Maio domingo, último dia. Saí do hotel eram umas 12h, voo Jamaica/NY/Lisboa, cheguei a Lisboa eram 10h de dia 21/Maio 2ª feira.

Foi uma das melhores aventuras/férias que fiz até hoje, 9 dias, 5 voos. Para quem tinha medo de andar de avião no início de 2017, considero uma grande vitória.
Desculpem o texto longo, empolguei-me! :). Façam as perguntas que quiserem
 
Última edição:

M@loveci

Membro Novo











 

Ricardo_7

Membro Conhecido
Olá :)

Muito obrigado pela partilha!

Foi muito bom rever NYC, uma cidade simplesmente mágica! Combinar esta cidade com depois um destino de praia, foi qualquer coisa =D

Boas viagens ;)
 

PauloNev

Moderador Sénior
Staff
Muito obrigado pela partilha.
Muito bom rever NY, e ver/ler sobre locais que conheci e espero voltar brevemente.
A Jamaica um destino que quero conhecer e que as fotos deixaram ainda mais vontade de ir.
Boas viagens ;)
 

CristinaBF

Membro Conhecido
Olá
Parabéns pelo report, 2 locais que quero conhecer, a Jamaica tem sido adiada pelo preços
Belas fotos
Obrigada pela partilha
Boas viagens:)
 
Top