Novidades

[Report] I love Seychelles <3

Deni

Membro Conhecido
Para as férias grandes deste ano, tínhamos como ideia inicial, Malásia, contudo o período que teríamos seria primeira quinzena de Outubro e logo concluímos que para o que pretendíamos, esta não seria a melhor altura. Resolvemos então pesquisar novos destinos e entre os vários disponíveis, e depois de ler o report do @calu, não haviam dúvidas quanto ao que queríamos: Seychelles!

Quer dizer, na realidade dúvida havia uma... O orçamento que tínhamos seria suficiente?

Pesquisamos imenso, fizemos contas e achamos que conseguiríamos fazer uma viagem "low cost" para os padrões das Seychelles. Toda a programação foi feita por nós, como de costume.

As Seychelles são compostas por várias ilhas e o clima é regular todo o ano. As temperaturas máximas rondam os 30° e mesmo à noite a temperatura é agradável não sendo preciso usar casaco. Tem 3 línguas oficiais: inglês, francês e crioulo. A moeda é a rupia, no entanto em todo o lado aceitam o euro. 1€ equivale aproximadamente a 15rup.

Escolhido o destino começamos por comprar o voo. Aqui começamos com os preços low cost. Vimos que a companhia que voava mais barato para as Seychelles era a Ethiad, no entanto acabava por ter mais escalas mas como a diferença de preços era enorme, optamos por voar mesmo por esta companhia. O nosso voo com início em Lisboa e termino em Mahé, teve escala em Londres e Abu Dhabi na ida, e Abu Dhabi e Madrid na volta. Pagamos 680€/pessoa, se fossemos pela Emirates, apenas com uma escala, o valor ascenderia a mais de 1000€/pessoa.

A nossa viagem em casal foi de dia 4 a 17 de Outubro e incluiu estadia em 3 ilhas diferentes: Mahé, Praslin e La Digue.

Praslin:


O aeroporto internacional situa-se na maior ilha, Mahé, portanto desta ilha para Praslin, temos a opção de ir ou de avião ou de ferry. Escolhemos ir de ferry. A viagem entre estas 2 ilhas demora cerca de 1h e, para quem costuma enjoar, é uma viagem difícil... Além disso, é uma viagem bastante cara. Como nesta altura ainda não tínhamos trocado dinheiro, pagamos em €. Custou-nos 60€/pessoa. Compramos os bilhetes no próprio porto, sendo que é possível também comprar antecipadamente através do site da empresa: http://booking.catcocos.com/

A viagem do aeroporto para o porto foi feita de táxi e custou-nos 20€. Ou seja, um dos grandes factores que fez encarecer a viagem foram as deslocações. São todas elas muito caras. Quando pesquisávamos os valores dos ferrys, achávamos que seria impossível serem praticados estes preços e esta ser a única companhia a operar nestas deslocações, até porque os próprios locais também necessitam de fazer a travessia entre ilhas e com certeza que não iam pagar estes valores... Pois a realidade é que esta é mesmo a única companhia a operar e os residentes têm valores diferentes dos turistas.

No geral, o ferry tem muito boas condições.

Praslin é a segunda maior ilha das Seychelles. Podemos dividir esta ilha por 3 zonas: zona da Baie de Ste Anne (onde se situa o porto), Grande Anse e Cote D'or, sendo que as melhores praias situam-se nesta última.

Começamos por ficar 5 noites na ilha de Praslin. Na pesquisa do hotel, ficamos apaixonados por um que se situava na Baía de Ste Anne, contudo só tinham disponível 3 noites. Nas restantes noites escolhemos um hotel já na zona de Cote D'or. Apesar de ser chato ter de andar a mudar de hotel com a trouxa atrás, acabou por ser uma boa escolha pois assim ficamos a conhecer melhor toda a ilha.

Os alojamentos escolhidos foram então: Colibri Guesthouse e Mango Lodge, ambos apenas com pequeno-almoço incluído.

Os alojamentos foram todos reservados ou pelo booking ou pelo hoteis.com. Foi a primeira vez que usei o hoteis.com e devo dizer que fiquei bastante satisfeita. A empresa para a qual trabalho tem uns protocolos com este site e devolvem-me 10% do valor da compra, por isso sempre que podia usava o site. Os preços são praticamente iguais aos do booking, com taxas já incluídas e o apoio ao cliente por telefone funciona bem melhor do que o do booking.

Colibri guesthouse

Vista do hotel a partir do ferry:

Vista do jetty a partir do hotel:

Este foi o alojamento mais caro da nossa estadia mas depois de ver as fotos, queria mesmo ficar por lá uns dias. Este hotel é muito perto do jetty e o trajecto entre os dois foi feito a pé. Existe um pequeno caminho junto ao mar construído para ligar os 2 locais. E ainda bem pois já estávamos a ver a nossa vida a andar para trás, ao pensar que teríamos de pagar cerca de 20€ cada vez que nos tivéssemos de deslocar de e para ferry/aeroporto.





Depois de tantas horas de voo + transfers + ferry só queríamos tomar um banho nas águas quentinhas das Seychelles. Chegamos à hora de almoço, fizemos check in e aproveitamos para ficar pela zona da piscina do hotel onde almoçamos. Este hotel não tem praia, no entanto situa-se à beira mar, tendo acesso à água através de umas escadinhas. Deu para ter contacto com as águas quentes de Praslin.

Aproveitamos para dar uma volta pela zona e vimos que haviam algumas pequenas mercearias (onde iríamos abastecer-nos nos próximos dias) e um take away que já teríamos lido que era bastante barato e servia comida crioula. Acabamos por lá ir jantar 1 ou 2 vezes. Chama se Coco Rouge. Preço médio para 2 Pessoas era de 100 rup.

A forma que encontramos para nos deslocarmos nesta Ilha foi de autocarro. Tínhamos uma paragem mesmo junto ao jetty e o horário dos autocarros no hotel. Apesar de serem autocarros bastante antigos e de os motoristas conduzirem bastante mal em estradas super estreitas e com bastantes inclinações, revelou-se uma óptima opção, dado que o valor de cada viagem é 5rup. A alternativa seria alugar um carro que custa no mínimo 45€/dia (coisa que acabamos por fazer num dos dias) ou apanhar táxis que são extremamente caros. Estes autocarros são os mesmos que os locais usam e há que ter em atenção que não é permitido transportar malas de viagem.

Um dos sítios que mais ansiava conhecer era Anse Lazio. Depois da primeira noite, resolvemos ir visitá-la.


Chegamos a esta praia bastante cedo e para nosso contentamento estava deserta . Ficamos maravilhados com a cor da água. Tiramos muitas fotos, fizemos um pouco de snorkel e ficamos por aqui o dia todo. Levamos farnel que compramos nas mercearias em Ste Anne, havendo no entanto 2 restaurantes nesta praia.

Fiquei com pena de não ter visitado a Anse Lazio mais do que uma vez pois esta acabou por se tornar uma das nossas praias favoritas em toda a viagem.








Já tínhamos decidido cá, que num dos dias iríamos alugar um carro para nos dar mais flexibilidade e podermos conhecer melhor todas as zonas da ilha. Solicitamos no nosso hotel e no nosso último dia completo no Colibri tivemos direito a um jipe. A ideia era ir andando sem destino certo e ir parando conforme nos apetecesse... E assim fizemos. As paisagens que se vão encontrando ao longo das estreitas estradas que percorrem a ilha são magníficas. Paramos em algumas praias completamente desertas e foi um dos meus dias preferidos. Almoçamos numa pizzaria espectacular na Grande Anse e acabaríamos por voltar a esta zona para vir jantar também.
 

Deni

Membro Conhecido

Deni

Membro Conhecido
Uma das praias mais afamadas em Praslin é a Anse Georgette. Dizem que é equivalente à Lazio em termos de beleza. O problema é que o acesso é feito através do Hotel Lemuria e tínhamos lido que nem sempre é facultada a entrada por parte do Hotel. De qualquer forma resolvemos tentar. O porteiro informou-nos que o hotel estaria encerrado para manutenção por 2 meses e que não seria permitida a entrada. Perguntei se não havia outra alternativa para aceder à praia e ele explicou que sim, que havia um parque de estacionamento junto a última paragem de autocarro e que daí se teria de ir a pé. Lá fomos nós na nossa santa ignorância... Seguimos a estrada sempre a subir, encontramos o dito estacionamento (Mont Plaisir) onde deixamos o carro e vimos um estreito caminho repleto de vegetação com uma placa que indicava o acesso à praia. Sempre a subir no meio das árvores, raízes, pedras e nós de chinelo no dedo. Passados 10 minutos, já a pingar por todo o lado, encontramos um casal francês e perguntamos quanto tempo ainda faltava para chegar à praia e eles disseram (quase sem fôlego): uns 50 minutos!!!!!! Bem já tínhamos começado, íamos até ao fim. Além disso achamos que nós, como jovens que éramos e bem preparados a nível físico, que faríamos em menos tempo do que o casal de "cotas" franceses... Puro engano!! Depois de tanto subir, com um calor abrasador tem-se uma vista muito gira lá de cima. Vê-se um pouco da Anse Lazio e do lado oposto vê-se o pequeno aeroporto de Praslin. Depois de subir, há que descer e devo dizer que neste trajecto fui severamente atacada pelos insectos :S (levem repelente de mosquitos!). Ás tantas já não viamos trilho nenhum e andávamos por lá meio perdidos, mas ao longo do caminho, vai-se encontrando esporadicamente umas marcas de tinta branca nas pedras a indicar com uma seta o trilho.




Início do caminho para a Anse Georgette:







Vista da Anse Lazio ao fundo:







Pista do aeroporto den Praslin




Quando finalmente chegámos a Anse Georgette, tiramos umas fotos, usufruímos da praia e ainda vimos umas raias, mas tivemos de voltar cedo pois ainda tínhamos de fazer o regresso antes que anoitecesse...




Na zona da Côte d'Or (ou Anse Volbert) ficamos hospedados no Mango lodge. Este alojamento fica situado no alto de uma colina e como tal tem de se subir uma grande rampa. Em compensação tem-se umas vistas espectaculares.





O quarto era aberto, haviam muitas osguinhas a entrar e sair durante a noite:



Vista do quarto:






Este hotel tem acordo com uma barraquinha de praia de nome " Sagitarius" que aluga espreguiçadeiras, pranchas de padle, kayaks e fazem boat tours. Como estávamos hospedados no Mango lodge podíamos usar as espreguiçadeiras à vontade e os kayaks e as pranchas quando não estivessem a ser usados.



Esta praia é ideal para banhos, pois tem um areal enorme e a água é super transparente e foi a mais quente que experimentamos. Ao fim da tarde parecia mesmo sopa de tão quentinha que estava.












Enquanto estivemos na Côte d'Or, combinamos com o senhor do Sagitarius para nos levar à ilha Curieuse para vermos as tartarugas.


A ilha Curieuse é uma reserva onde cerca de 200 tartarugas andam em total liberdade, podemos ver imensos caranguejos de todos os tamanhos e é também uma das únicas ilhas (juntamente com Praslin) onde crescem as palmeiras que dão o "Coco de Mer", o caricato coco símbolo das Seychelles.




Pagamos por este serviço 25€ + 200rup de taxa de entrada na ilha, cada um. O serviço incluía apenas o transporte de e para a ilha e na volta pararíamos ao largo da St Pierre island para fazer snorkel.

Estivemos na Curieuse toda a manhã. Contactamos com as tartarugas, vimos um berçário para tartarugas bebés e para finalizar fomos por um passadiço no meio do pantanal até uma praia de nome "Anse St Jose". Esta praia tem das cores mais lindas que vimos durante toda a viagem, porém nesse dia estava super ventoso, o que se tornou um pouco desagradável.






 

Deni

Membro Conhecido
Anse S.Jose





No regresso, o mar não estava muito favorável para fazer snorkel na zona combinada, então acabamos por fazer ao largo da praia "Petit Coeur". Devo dizer que este deve ter sido o único ponto que nos desiludiu nas Seychelles. Não somos experts, mas gostamos de fazer snorkel e tínhamos lido que aqui nas Seychelles era um bom local para o fazer. Não sabemos se foi pela altura do ano, mas não vimos nada de especial... há quem tenha nadado até com tartarugas, mas nós não tivemos grande sorte.






Nesse mesmo dia quisemos visitar a praia Petit Coeur que é a praia a seguir á Cote Dor. Na nossa pesquisa prévia tínhamos nomeado esta praia como uma das praias a visitar pela sua beleza apesar de ser uma praia pequenina. Mais uma vez esta praia tem acesso por um hotel, o Domaine de la Reserve. Fomos a pé e chegamos à portaria, cumprimentamos o porteiro e continuamos a andar tentando agir naturalmente como se fossemos hóspedes. De repente o porteiro começou a esbracejar e muito educadamente referiu que as ordens da direcção do hotel era para não deixar entrar ninguém de fora do hotel, nem mesmo para se consumir algo no bar/restaurante... Fomos embora muito desiludidos. Aqui a opção será contratar serviço de táxi boat para nos ir deixar e buscar a praia.




No dia seguinte era dia de dizer adeus a Praslin e olá a próxima ilha: La Digue!



La Digue




O ferry para La Digue demora apenas 15 minutos e custaria à volta de 25€. O nosso amigo da barraquinha Sagitarius disse que nos faria o serviço por 35€/pessoa. Ponderamos uma vez que se fossemos de ferry ainda teríamos de pagar mais o táxi até ao jetty. Por comodidade fechamos com o nosso amigo Kevin.


La Digue é uma pequena ilha com 5 km de comprimento e 3 de largura. Tem a particularidade de praticamente não haver trânsito a motor. (Digo a motor pois sem motor existe e muito!). A melhor forma de nos locomovermos nesta ilha é de bicicleta. O aluguer pode ser feito em qualquer hotel e custa 100rup/dia (cerca de 7€).


Os hotéis nesta ilha são essencialmente pequenos alojamentos familiares. Ficámos alojados no Belle Amie Self catering, onde tivemos um quarto enorme, com casa de banho, uma pequena cozinha e uma varanda. É um alojamento recente bastante barato e que fica perto de tudo, visto que é uma ilha pequena. Mesmo ao lado existe um supermercado onde nos abastecemos. As nossas refeições nesta ilha foram feitas quase todas num take away chamado Gala com comida crioula muito boa e barata que era diferente todos os dias e que também servia hambúrgueres e tostas.




Esta é uma ilha única e muito especial. É conhecida muito em parte devido à afamada praia Anse Source d'Argent que aqui fica situada.


Esta praia é linda. Está inserida numa reserva e como tal a entrada é paga. O bilhete custa 100 rup (cerca de7€) e é diário, ou seja, podemos entrar e sair quantas vezes quisermos durante o dia. Ao fim de 3 dias de visita a esta praia, temos direito ao quarto dia gratuito basta que para isso se conserve os 3 bilhetes anteriores.










Ao entrar nesta reserva, não se tem apenas acesso a praia propriamente dita. Temos oportunidade de ver o primeiro cemitério de La Digue, uma zona com imensas tartarugas gigantes, plantações de baunilha que deixam um aroma no ar inesquecível, para além do próprio caminho que é por si só maravilhoso...










Vimos vários casais vestidos de noivos nesta praia a fazer sessões fotográficas.







Aqui existem algumas barraquinhas que servem sumos e coktails de frutas.






Anse Severe é também uma das praias mais frequentadas em La Digue. Costuma ser boa para o snorkelling pelo que pesquisamos. Fica situada imediatamente a seguir ao jetty da ilha.
 

Deni

Membro Conhecido
No único dia em que alugamos bicicleta em La Digue, percorremos as 2 únicas estradas da ilha para termos uma vista geral. Mais uma vez, íamos parando para descansar e tirar fotos conforme nos apetecesse.


O fim da estrada:


Primeiramente fomos para o lado da Anse Severe e percorremos toda a estrada até ao seu limite. Posteriormente voltamos para trás e fizemos o caminho até à Grand Anse (existe uma Grand Anse em todas as ilhas :p). Chegados à Grand Anse "estacionamos" as bicicletas no parque e seguimos a pé até à praia. Esta praia é bastante grande, mas não é a ideal para banhos. Tem correntes muito fortes, mas não deixa de ter a sua beleza. Logo a seguir temos um curto caminho até à Petit Anse e depois a Anse Cocos. Ainda chegamos a ir até à Petit Anse mas já não conhecemos a Anse Coco, que dizem ser a mais bonita das 3. Fiquei com pena mas nesta altura já estava exausta de andar a pedalar durante toda a manhã e não sabíamos ao certo se a distância da Petit Anse até à Anse Coco era grande, então resolvemos ficar pela Petit e fazer uma sesta numa barraca feita de folhas de palmeiras e saborear uma refrescante água de coco.


Petit anse:



A caminho da Petit Anse



Grande Anse:




Levava também escrito no meu caderninho de viagem que gostaria de visitar nesta Ilha a Anse Marron. No entanto esta praia não é de fácil acesso e é recomendado apenas com recurso a um guia local. Acabamos por não a conhecer.




Mahé



Os últimos 2 dias seriam passados na maior ilha onde iríamos apanhar o avião de regresso a casa.



Apanhamos mais uma vez o ferry direto de La Digue para o Porto de Victoria cuja travessia demorou cerca de 1h. Custou-nos à volta de 75€/pessoa. Chegados aqui teríamos de apanhar um táxi para a zona de Beau Vallon onde iriamos ficar. Aqui o valor do taxi foi espremido até à última e ficou-nos por 250 rup. Foi tão espremido que ninguém nos queria levar por esse preço até que um senhor que devia ser o boss lá do sítio mandou um dos taxistas levar-nos por esse valor.

A zona mais turística de Mahe é Beau Vallon e foi aqui que decidimos ficar. Acabamos por não sair desta zona e conhecer outras partes da ilha pois as deslocações iriam ficar bastante caras. Não exploramos a questão do autocarro nesta ilha, dado que as dimensões de Mahé já não são as mesmas de Praslin. Além disso já eram os últimos 2 dias e seria para aproveitar para relaxar.

Beau Vallon é uma grande baía de águas claras com vista para a ilha Silhouette.



Aqui ficamos alojados no Lemongrass. Foi o hotel mais barato de toda a viagem e o único com Wi-Fi gratuito. Ficamos num quarto superior com vista para o mar, com wc privativa. Era o único quarto no primeiro andar e tínhamos acesso à cozinha e à sala que, nestes dois dias, acabamos por ser os únicos hospedes a utilizar. Mais uma vez havia que subir uma subida super íngreme. Acho que nunca na minha vida tinha visto uma subida assim.... :eek:

Uma das vantagens que acho que Beau Vallon tem em relação as zonas em que ficamos nas outras ilhas, é que na estrada pedonal junto à praia existe muita street food e a preços muito convidativos. Foi o local onde gostei mais de comer.




Considerações finais:
No geral foi uma viagem que correu bastante bem e onde acabamos por gastar menos dinheiro do que o que pensávamos inicialmente.

Na realidade, não houve hotéis luxuosos, nem restaurantes caros... Poderíamos ter alugado um veículo durante mais dias ao invés de utilizarmos o autocarro... poderíamos ter feito mais excursões, boat tours e island hopper... No entanto, tudo isto iria encarecer bastante a viagem e o fulcral para nós, e o que gostamos mais, foi de graça... as paisagens, o calor, o mar e a praia e o contacto com as pessoas.

Assim sendo, aqui ficam os nossos gastos:
Voo - 1361€
Hotéis - 1202€
Extras - 837€
Preços por casal. (Extras incluem refeições, transfers, seguro, excursões, aluguer de carro, etc...)
Significa que gastamos 1700€ por pessoa numa viagem às Seychelles... ;)
Espero que tenham gostado deste pequeno testemunho da nossa viagem. Nós adoramos as Seychelles <3

 

Cristina Sousa

Membro Conhecido
Olá @Deni :)
Que delicia de report, de fotos, que ar de tranquilidade aparentam.....
Seychelles é daqueles locais de sonho, e este report só vem confirmar que para quem gosta de praia, deve ser o paraíso.
Muito obrigada pela partilha, mais um excelente contributo para o enriquecimento deste cantinho. ;)
 

ALTF4

Membro Conhecido
Sem dúvida um lugar fantástico... e praticamente deserto.... um paraíso...
Obrigada pela partilha...
 

yara

Membro Conhecido
Parabéns pelo report, @Deni , está simplesmente fantástico.
E fica provado que se pode ir as Seychelles por preços bastante convidativos.
Foram 13 noites lá?
 

valter_2014

Membro Conhecido
Olá Deni
Mas que bom report, parabéns :)
Conseguiste visitar um paraíso com um preço atractivo, acho que também vou seguir o exemplo ;)
 

d3ci0

Membro Conhecido
Muito obrigado por partilhares este paraíso!!!:rolleyes::rolleyes::rolleyes:
Adorei muito! É sem dúvidas uma viagem de sonho!!!:)
 

CristinaBF

Membro Conhecido
Olá @Deni
Parabéns pelo report, belas fotos do paraiso, parece, e excelentes praias .... aquele azul transparente diz tudo ;) para quem como eu gosta de praia com água quente:)
Obrigada pela partilha
Boas viagens para continuação de bons reportes ;)
 
Última edição por um moderador:

rmonteiro

Membro Conhecido
Olá. Gostei imenso do report e das fotos.
Não tem sido muito o tipo de destino que tenho procurado nas minhas viagens, mas sem duvida que fica aquela vontade de ir até um local assim ;)
Obrigado pela partilha da vossa viagem !:)
 

Jorge Gonçalves

Membro Conhecido
Olá,
Report fantástico, com belas paisagens e bem descritivo. Um dia destes tenho de colocar a Seychelles na short list! :)
Obrigado pela partilha.
 

PauloNev

Moderador Sénior
Staff
Muito obrigado pela partilha.
Belas fotos de um mais um paraíso na terra.
Esteve quase para ser o meu destino de férias este ano, mas acabei por não avançar.
Fica o report para estudar.
Boas viagens ;)
 

TREPADOR

Membro Conhecido
Parabéns pelo report.
Se olha-se apenas para as fotos de forma isolada, diria que eram postais promocionais de um destino paradisíaco, tal é a beleza das paisagens.
Obrigada pela partilha.
 

Deni

Membro Conhecido
Obrigada a todos. E mesmo um paraíso... A ideia do report foi mesmo para ajudar outros a planificar um roteiro para este destino, visto so haverem 2 reports sobre as Seychelles aqui no portal. Além disso, tentar desmistificar a ideia de que é impossível fazer férias neste destino com "pouco" dinheiro...
 
Top