[Report] Chipre - Um país a conhecer!

mfurtado

Membro
Olá!
Deixo-vos o report da minha viagem ao Chipre pois penso ainda não existir nenhum e poderá ajudar na programação de uma viagem a este destino.
Vou só fazer um breve enquadramento pois parece ser um destino pouco conhecido dos portugueses. Quem não quiser ler é passar para a parte das fotos :)

O Chipre é uma ilha com cerca de 9000m2 e 1,3 milhões de habitantes. Está situado a sul da Turquia, muito próximo do Líbano e da Síria. Está dividido em 2 partes: a República do Chipre – a única reconhecida internacionalmente e membro da União Europeia, utilizam o euro e falam grego, são os Cipriotas Gregos; e a autoproclamada República Turca do Chipre – ocupa quase 40% do território, utilizam a lira turca e falam turco, são os Cipriotas Turcos.
O Chipre tem um historial incrível de invasões e ocupações. Já foi dominado por vários povos e, na história mais recente, era uma colónia britânica. Tornou-se independente do Reino Unido nos anos 60 mas a influência britânica mantém-se: praticamente todos falam fluentemente inglês e a condução é pela esquerda. Atenção que também vão necessitar de adaptadores de corrente.
Lá são mais 2 horas que em Lisboa.
Tem 3 aeroportos: Nicósia (capital), Larnaca e Paphos.

A nossa viagem
Para o nosso itinerário, que seria fazer praia e intercalar com alguns passeios culturais, o aeroporto mais conveniente foi o de Larnaca.
Viajámos de 10 a 18 de junho de 2016 para 7 noites no Chipre (4 em Larnaca + 3 em Limassol) e uma noite em Bruxelas devido a escala. Pretendíamos uma viagem barata, com muita praia e com alojamento em apartamentos para poupar nas refeições.
A viagem custou-nos 350€/pessoa (voos + 7 noites alojamento em apartamentos no Chipre + 1 noite hotel em Bruxelas). Adicionalmente gastámos 110€ no aluguer de um carro para os 7 dias através da Kräftig sparen. Billige Mietwagen bei EconomyCarRentals

1.º dia
Viagem Lisboa-Bruxelas na Tap com escala de 2h30 e viagem Bruxelas-Larnaca na Ryanair com chegada às 19h00 (o voo tem duração de 4h30). A viagem teria sido ainda mais barata se tivesse conseguido a viagem para Bruxelas também em low-cost mas os horários não eram compatíveis.
Chegados ao aeroporto de Larnaca, seguimos as instruções dadas pela rent-a-car Enterprise até ao local de espera do shuttle pois as instalações são fora do aeroporto. Foi tudo muito rápido, esperámos uns 5 minutos pelo transporte e até ao local, outros 5 minutos.
Já com o carro, partimos para o nosso alojamento que se situava a 15 minutos do aeroporto. Ficámos alojados num studio com varanda, inserido num condomínio com estacionamento, bar, restaurante e piscina por… 29€/noite! Studio close to the sea and airport - Apartamentos para Alugar em Tersefanou
Escolhemos este apartamento pelo preço mas também pela localização. Como era perto do aeroporto e seria a primeira vez que íamos conduzir pela esquerda, não quisemos fazer uma grande distância logo no 1.º dia. Para o nosso itinerário também poderíamos ter escolhido ficar alojados na zona de Ayia Napa para poupar tempo nas deslocações mas nesta zona o alojamento é mais caro por isso talvez acabe por não compensar.
Depois de instalados fomos fazer as compras de supermercado necessárias e comer qualquer coisa rápida à cidade de Larnaca (a 20 minutos do alojamento).
2.º dia
No apartamento preparámos o farnel para o almoço :) e partimos para a zona de Ayia Napa. Cerca de 40 minutos de carro, por auto-estrada gratuita. A sinalização é irrepreensível.
A primeira paragem foi na Nissi Beach. É provavelmente a praia mais movimentada e muito apreciada pelos jovens locais e turistas pois tem vários bares e música alta. Encontra-se facilmente estacionamento gratuito. Apesar da agitação de pessoas é muito bonita e dá para atravessar a pé até a uma pequena ilhota para umas belas fotos.
Como era agitação a mais para o nosso gosto, ainda de manhã fomos até à Makronissos Beach. Uma praia pequena e pouco frequentada, ao fundo de uma estrada de terra. As praias são fáceis de encontrar pois está tudo muito bem assinalado. Como o areal está praticamente todo ocupado pelas espreguiçadeiras do bar, fomos para a praia do outro lado esquerdo do estacionamento onde fizemos o nosso piquenique e aproveitámos a praia só para nós!

Passámos a tarde na zona de Kapparis (a 20 minutos de carro), na Louma Beach. É uma praia bonita, com uma igreja tradicional grega à entrada. Pouco movimentada, aliás como praticamente todas as praias que estivemos. De uma forma geral, encontrámos mais cipriotas nas praias do que turistas.
Logo ao lado, está a praia Agia Triada, também pequena e com uma igreja grega à entrada.
Regressámos a Larnaca e jantámos num restaurante libanês – Maqam Al Sultan. Maqam Al Sultan, Cidade de Lárnaca - Comentários de restaurantes - TripAdvisor
No Chipre é típico a chamada mezze que consiste em vários pequenos pratos, com comida típica, que vão sendo levados à mesa. Como isto é o habitual, nos restaurantes de outras cozinhas (italiano, libanês, grego,…) adaptam o conceito mezze aos seus pratos por isso, é comida com muita fartura e dá-nos a possibilidade de provar vários pratos diferentes.
Saímos a rebolar do restaurante e gostámos muito da primeira experiência com comida libanesa. Mezze + bebidas + sobremesa + café 20€/pessoa
3.º dia
Demos uma pausa na praia e fomos conhecer logo pela manhã a capital Nicósia (a única capital do mundo dividida em 2 territórios), situada a 50 minutos de carro de Larnaca. Estacionámos num parque mesmo à entrada do centro da cidade velha (existem inúmeros parques com preços entre 1,5€ a 3€ por 4 horas de estacionamento).
Andámos pela Ledra Street – tipo Rua Augusta: sem carros, muitas lojas internacionais, restaurantes e lojas de souvenirs – mas com a enorme particularidade de ser aqui que a capital se divide entre a parte Cipriota e a parte Turca. Para perceber todo este contexto histórico e para obter uma panorâmica das 2 partes da cidade é fundamental conhecer o Museu Observatório, numa transversal da Ledra Street. Vista para a parte turca, assinalada com a bandeira nas montanhas.
O museu está aberto todo o ano, entrada 2,5€. Faz parte da visita a visualização de um vídeo que conta a história do Chipre e as sucessivas invasões até à história mais recente dos conflitos e invasão militar da Turquia que levaram à divisão do território, em 1964. Ledra Museum - Observatory
De seguida fomos até ao crossing point, no fundo da Ledra Street para atravessar para a parte Turca. Existe um controlo à entrada e à saída mas para os cidadãos europeus basta mostrar o cartão do cidadão.
Assim que se atravessa encontramos imediatamente outra realidade. Além de estarmos claramente em território muçulmano (não há mulheres na rua, as que há estão cobertas, ouve-se o chamamento para a mesquita) a cidade parece que parou no tempo. Os prédios não estão cuidados, têm uma aparência velha, as ruas são sujas, vê-se muito mais pobreza. A vantagem é que tudo é mais barato, alimentação, bebidas, souvenirs. Os preços estão apresentados em liras turcas e em euros.
Andámos à volta da Catedral de Santa Sofia, agora adaptada em mesquita mas, sinceramente, não nos quisemos afastar muito do crossing point.
Importa lembrar que para ir a pé à parte turca é um processo muito simples mas de carro já é mais complicado. A começar pela rent-a-car que só garante o seguro do carro na parte Cipriota. Tínhamos muita vontade de conhecer o norte do Chipre, nomeadamente a zona de Kyrenia mas, se o fizéssemos, estaríamos por nossa conta e não nos pareceu valer a pena arriscar.
Bebemos uma cerveja turca numa esplanada e voltámos a “atravessar” a fronteira.
Demos mais umas voltinhas e regressámos a Larnaca, com destino à Mackensie Beach, uma praia citadina, muito popular entre os locais. A areia é escura e a praia tem pouco interesse mas só queríamos dar um mergulho e arrefecer do imenso calor que fazia.
Antes de regressar ao apartamento, passámos pelo centro de Larnaca onde destaco a Igreja de São Lázaro.
4.º dia
Mais um dia de praia! Fomos até à zona de Protaras (logo depois de Ayia Napa), uma viagem de 50 minutos.
Começámos para praia Sirena Bay, pequena e bonita.
No caminho até à próxima praia parámos na Igreja do Profeta Elias, que fica no alto de um monte. É conhecida pela tradição de se deixar laços coloridos nos ramos das árvores em memória dos entes queridos que já partiram.
Paragem para beber um frappé (café gelado com cubos de gelo) bebida muito popular na Grécia e no Chipre que ajuda, e muito, a suportar o calor e rumo à Fig Tree Bay. Mais uma praia pequena e muito bonita!
A última praia foi a Konnos Bay, a nossa favorita! É necessário deixar o carro no parque (gratuito) e descer uns 5, 10 minutos.
 
Última edição por um moderador:

mfurtado

Membro
Continuando o 4.º dia, na Konnos Bay...
No final do dia, fomos até a Cape Greco a 10 minutos da praia. É uma área protegida, bonita para fotografar.
Jantar em Larnaca no Kalamaki Bar, restaurante com comida tipicamente grega. Doses muito bem servidas, comida excelente e bom atendimento. Entrada + prato + bebida 15€/pessoa. Kalamaki Bar, Cidade de Lárnaca - Comentários de restaurantes - TripAdvisor
5.º dia
Fizemos o check-out e o destino final do dia seria Limassol, para a segunda parte das férias. Pelo caminho, queríamos conhecer as Montanhas de Troodos, algumas vilas das montanhas e o Monte Olimpo (parte mais alta do Chipre). Foi o dia mais cansativo pois foi a maior distância percorrida de carro. Sempre a subir até à primeira paragem, Kakopetria, uma vila a caminho das Montanhas de Troodos, a 1h30 de Larnaca. É uma vila pitoresca, com algumas pequenas cascatas, natureza verdejante, casinhas e ruas estreitas, típicas de uma pequena aldeia.
Seguimos para o Monte Olimpo, mais 30 minutos de carro, que se situa a 1950 metros de altitude onde estavam uns refrescantes… 25ºC. Pois é, no Chipre está sempre um calorão de primeira e, mesmo no ponto mais alto da ilha, 25ºC foi o menos calor que apanhámos. Para nós foi uma desilusão subir até ao Monte Olimpo. Anda-se pela montanha, numa paisagem sempre igual, até que se chega a uma parte que está vedada, penso que por uma base militar, e nem há um sítio para se desfrutar a altitude em que nos encontramos, ou seja, nem nos apercebemos que chegámos ao topo.
Voltámos a descer até a uma zona de piquenique onde comemos e descansámos um pouco.
Continuámos a descer em direcção a Omodos, 35 minutos de viagem. Uma vila pitoresca mas totalmente virada para o turismo. Está pejada de lojas para turistas onde chegam carradas de autocarros com excursões.
Se fosse hoje, talvez tirava toda esta parte das montanhas ao roteiro. As vilas até são engraçadas mas não compensam os quilómetros até lá chegar.
Continuámos a descer já em direcção a Limassol para a última paragem antes do alojamento: Kourion, entrada 8€. Um importante sítio arqueológico com muito para ver e explorar mas, infelizmente, quando chegámos lá, além de estarmos cansadíssimos das voltinhas pelas montanhas, estavam 32ºC, sem qualquer sombra. Era insuportável estar ao sol, tirámos umas fotos na zona do Teatro de Kourion e foge para o ar condicionado do carro! Uma dica é ir só ao final do dia, esqueçam a manhã! Às 8h30/9h já estão 28ºC.
Fomos até ao alojamento, um apartamento a 5/10 minutos de carro do centro de Limassol. Muito espaçoso e acolhedor. Fica numa espécie de anexo da vivenda dos proprietários mas deram-nos toda a privacidade. Foi dos apartamentos mais completos que fiquei através do airbnb, por 34€/noite. Cozy 1BD little house with parking - Casas para Alugar em Limasol
Ao início da noite fomos dar uma voltinha à cidade e percebemos que era muito mais interessante que Larnaca.
6.º dia
Primeiro destino do dia: Petra Tou Romiou, também conhecida por Rocha de Afrodite, a 35 minutos de Limassol. Segundo a mitologia, é o local onde surgiu, do mar, a deusa do Amor, Afrodite. Antes de chegar à praia há um miradouro com vista muito bonita para a praia.
Já na praia, é uma zona extremamente turística. Chegam autocarros cheios de turistas, que tiram umas fotos, e vão embora. É importante ir com transporte próprio para poder desfrutar da beleza da praia. Reza a lenda que quem der 3 voltas a nadar à rocha terá amor eterno! Era ver todos a darem voltinhas no mar, eu e o meu marido incluídos :) Os casais também deixam corações com as iniciais feitos com pedras da praia!
No fim da manhã, avançámos para a Coral Bay Beach, em Paphos. Uma praia com um extenso areal, mas que não tinha nada de especial. Foram mais quase 40 minutos para lá chegar, que se fosse hoje, saíam do roteiro.
Ao fim do dia, passámos pela cidade de Paphos, na zona da Marina.
Ficou por ver o Parque Arqueológico de Paphos (entrada 4,5€ que inclui os Mosaicos de Paphos) e as Tumbas dos Reis (entrada 2,5€).
Em Limassol, das vezes que jantámos fora foi num “fast-food” grego, com gyros e souvlakis, iguaizinhos ao que comemos na Grécia. Não sei o nome pois estava em grego e não é nada turístico, estava sempre à pinha com a população local. Fica numa rua escondida e nem têm ementa em inglês. Descobrimos o sítio numa reportagem dos Portugueses pelo Mundo, tirámos foto à fachada durante a reportagem e fomos à procura! Valeu muito a pena porque era o que se quer: bom e barato, 5/6€ gyros + dose batatas + bebida.
7.º dia
Para este dia tínhamos planeado ir até à zona de Polis, passar tempo nas praias de lá e conhecer os famosos Banhos de Afrodite. Seria 1h30 de viagem mas, no momento, não nos apeteceu voltar a fazer tantos quilómetros e ficámos pela Governor's Beach, a 20 minutos de nós.
Gostámos imenso da praia. É de areia escura mas o contraste com as rochas brancas, faz um cenário muito bonito!
Como íamos passar o dia todo na mesma praia, alugámos 2 espreguiçadeiras e 1 chapéu por 7 euros.
8.º dia
Era o último dia no Chipre mas como o voo só partia às 18h30, tivemos tempo para aproveitar a manhã toda na praia Governor's Beach, almoçar e seguir viagem para o aeroporto de Larnaca, a 50 minutos de Limassol. Fizemos tudo com calma e por volta das 16h estávamos a devolver o carro e a regressar no shuttle para o aeroporto.
No total fizemos 1200km e percorremos uma parte significativa do país.
O nosso voo chegava a Bruxelas às 20h30 e ficámos 1 noite no Hotel Queen Anne. Official website | The hotel | home | Hotel Queen Anne, Brussels, Belgium
Escolhemos um voo de regresso a Lisboa ao fim do dia seguinte, às 18h45, para podermos matar saudades da cidade e rever alguns pontos turísticos!

O report já vai longo, gostaria só de deixar clara a ideia que o Chipre é um destino muito interessante, tanto para quem gosta de praia, como de cultura, um destino barato, seguro e os cipriotas são um povo muito acolhedor!
Qualquer questão, se poder ajudar, contem comigo!
 
Última edição por um moderador:

ploferreira

Moderador Sénior
Staff
Olá,

Obrigado por enriquecer o Portal com um destino não muito falado por aqui mas que parece muito interessante pelas fotos partilhadas.

Continuação de boas viagens ;)
 

Cristina Sousa

Membro Conhecido
Parabéns!!!!
Adorei. :)
O Chipre é um destino que está no meu radar há muito tempo e gostei muito do que vi.
Já me tinham dito que a parte turca é muito diferente da grega. É pena não ter as mesmas condições para poder circular com o carro, seria bastante interessante pois diz-se que é mais bonita.
Fantásticas praias, as fotos ficaram óptimas.
Presumo que circular à noite também seja seguro, pela sua descrição.
Muito obrigada por esta bela partilha, enriqueceu bastante o PV. :)
 

PauloNev

Moderador Sénior
Staff
Muito obrigado pela partilha.
Um pais pouco falado por aqui, e pelas fotos e descrição merece uma visita.
Boas viagens ;)
 

Nika

Membro Conhecido
Olá @mfurtado
Parabéns pelo report e obrigada por teres partilhado connosco a tua viagem. :)
Já tinha o Chipre "na minha lista" e este report só veio confirmar a minha ideia de estar perante um destino bem interessante: culturas diferentes a conviver lado a lado e praias lindas.
 

lfdm

Membro Conhecido
Obrigado pelo report, pela aula de história e geografia.
Já tinha pensado no Chipre, mas agora fiquei com mais vontade...;)
 

mfurtado

Membro
Parabéns!!!!
Adorei. :)
O Chipre é um destino que está no meu radar há muito tempo e gostei muito do que vi.
Já me tinham dito que a parte turca é muito diferente da grega. É pena não ter as mesmas condições para poder circular com o carro, seria bastante interessante pois diz-se que é mais bonita.
Fantásticas praias, as fotos ficaram óptimas.
Presumo que circular à noite também seja seguro, pela sua descrição.
Muito obrigada por esta bela partilha, enriqueceu bastante o PV. :)
Olá!
Para circular de carro na parte turca é necessário adquirir um seguro extra para o carro o que acaba por encarecer o aluguer mas não é impossível. Nas minhas pesquisas sobre o Chipre encontrei algumas referências a pessoas que fazem as duas partes e tudo decorreu com normalidade.
À noite não podia ser mais seguro. É mesmo um país muito tranquilo!

Belo report. Já agora a temperatura da água como é?
A temperatura da água, em junho, está entre os 23ºC e os 25ºC.
 
Última edição por um moderador:

d3ci0

Membro Conhecido
Muito obrigado pela partilha!
Sinceramente nunca me tinha passado pela cabeça ir a Chipre... Não sei porque :eek: Mas depois de ver este report, fiquei extremamente interessado, gostei muito do que vi :)
Belo report!!!!;)
 

mfurtado

Membro
Muito obrigado pela partilha!
Sinceramente nunca me tinha passado pela cabeça ir a Chipre... Não sei porque :eek: Mas depois de ver este report, fiquei extremamente interessado, gostei muito do que vi :)
Belo report!!!!;)
A mim também nunca me tinha passado pela cabeça até perceber que, além do bom tempo, boa praia e boa comida, os voos eram baratos!
 
Top