[Report] Brasil - Salvador da Bahia - Janeiro 2019 - Grand Palladium Imbassaí

AntonyS

Membro
Olá Viajantes,

Venho deixar o report da última viagem de férias com a minha esposa, realizada na semana de 12 - 19 Janeiro/2019, cujo destino foi Salvador da Bahia, mais concretamente na região de Imbassaí.

Ficámos alojados 7 noites no resort “Grand Palladium Imbassaí Resort & Spa”, que dista cerca de 70 km de Salvador, encontrando-se localizado numa reserva natural exuberante.

O voo foi directo, de Lisboa, operado pela TAP, com a duração de cerca de 8h00, sem atrasos, com saída às 17h00 de Sábado.

As condições do voo eram razoáveis: sistema de entretenimento para cada ocupante; refeições de qualidade mediana; espaço que chega para as pernas; assistentes de bordo atenciosas q.b..

No aeroporto de Salvador as coisas funcionaram relativamente bem: o tempo de espera pelas malas foi o normal; tínhamos o transfer à nossa espera à saída, o qual gentilmente aceitou esperar mais uns minutos por forma a permitir que trocássemos dinheiro (euros por reais) na casa de câmbio existente (a taxa geralmente é melhor do que no resort, e aqui não foi excepção).

O transfer até ao resort demorou cerca de 1h, pois a caminho ainda fomos deixar alguns casais noutros resorts, nomeadamente no Iberostar Praia do Forte e no Vila Galé.

Chegámos ao Grand Palladium por volta das 23h00. O check-in foi rápido, tendo sido prestada toda a atenção e esclarecimentos iniciais necessários.

Realizado o check-in, ficaram com as nossas malas e fomos até ao “sport’s bar” que permanece aberto até cerca das 2h00, onde confecionam refeições rápidas na hora, estilo “fast-food”, disponibilizando também uma grande variedade de snacks (o buffet já tinha encerrado).

O cansaço começava a dar sinais, pelo que regressámos à recepção onde estavam as nossas malas já colocadas no típico carro-golf para nos levar até ao edifício onde estava localizado o nosso quarto.

Apesar do pouco que circulámos pelo resort nessa noite, deu para perceber que o mesmo é enorme, com muitos espaços jardinados e muito bem cuidados, e uma serie de infraestruturas.

O mesmo em relação ao quarto, localizado no R/c, com um tamanho bastante generoso, WC espaçoso, banheira de hidromassagem com ligação directa para o resto do quarto, minibar com diversas bebidas e chocolates diariamente repostos, e a tradicional varanda com cadeiras, mesa e penduradores para a roupa.





Parte da manhã do dia seguinte, após um pequeno-almoço bastante diversificado, foi dedicada a conhecer as zonas envolventes do resort e ao agendamento das excursões que tínhamos definido realizar.






Em relação às excursões, na zona do lobby encontram-se diariamente, num determinado horário, diversos operadores com os quais podemos contratar excursões e diversas actividades.

No nosso caso, já levávamos definidas as excursões que pretendíamos realizar: visitar Praia do Forte; e Salvador da Bahia.

Agendadas as excursões, fomos efectuar as marcações para os restaurantes temáticos (a marcação é necessária, sendo recomendável que se faça no primeiro dia por forma a assegurar que usufruímos de todos durante a nossa estadia).
 
Última edição:

AntonyS

Membro
O resort disponibiliza 3 restaurantes temáticos: Sumptuori (Japonês); Bahia e Brasa Rodízio; Porto Fino (mediterrâneo), todos com uma qualidade muito boa e um serviço simpático e com atenção aos detalhes.

Em relação ao Japonês, o mesmo funcionava de duas formas (para usufruir de ambas é necessário reservar duas vezes, em dias distintos): o tradicional show-cooking e à la carte.

Para além destes, à noite funciona diariamente uma magnífica área de restauração ao ar livre, junto à praia, designada “Poseidon” onde permanecemos com os “pés na areia” e no qual são servidos pratos mais exclusivos e “frescos”, incluindo marisco (lagosta, de qualidade), e outros mais correntes mas com um certo requinte adicional, nomeadamente ao nível da confeção, preparação/apresentação dos pratos, entre outros, risotos, massas …

Este mesmo restaurante localizado junto à praia também funciona à hora do almoço, no entanto com uma configuração mais simples, maioritariamente do tipo “buffet” e com saborosos grelhados feitos no momento.

Ainda ao nível da restauração, para além destes quatro e do “sports bar” que falei inicialmente, existem outros dois espaços de restauração do género “buffet”, um localizado junto à zona piscina que funciona à hora do almoço “designado Oxum”, e outro que funciona à noite no enorme espaço onde de manhã é servido o pequeno-almoço.

Em relação a este último (pequeno-almoço), a diversidade é imensa, como parece que é habitual na cadeia “Grand Palladium: todo o tipo de pães, bolos, cereais, fiambres, queijos, etc., panquecas, crepes, ovos mexidos, enfim, tudo e mais alguma coisa, bem ao nível dos bons resorts do Caribe (ou até superior…).




















































 
Última edição:

AntonyS

Membro
[Continuação]

Voltando aos espaços do resort, o mesmo disponibiliza uma ampla zona de piscinas, incluindo um parque aquático para as crianças e uma piscina exclusiva para adultos localizada num espaço mais “Zen” onde impera o sossego, sendo que em todos elas existem os tradicionais bares com refrescantes bebidas, entre elas as tradicionais caipirinhas, caipiroscas (a de maracujá e de coco são particularmente fenomenais, confecionadas com “matéria-prima” local), água de coco, pina-coladas, mojitos, daiquiris, etc...































 

AntonyS

Membro
[Continuação]

Em relação à praia: água quente (ao nível do caribe), limpa, com alguma ondulação típica de “mar aberto” (oceano atlântico).

O resort assegura um bom suporte à praia: disponibilizam um serviço de deslocação das pessoas até à praia através dos típicos carros de golf, para quem não quiser fazer a caminhada a pé pelos passadiços de madeira; um excelente bar de praia com todo o tipo de bebidas; espreguiçadeiras e toalhas (trocadas diariamente) que cheguem para toda a gente (o mesmo em relação às piscinas).

Na praia estão instaladas as tradicionais “barracas”, cerca de 3 ou 4, nada de exagerado que “incomode”, onde podemos comprar algumas lembranças, incluindo as tradicionais “havaianas” a bom preço.

Ainda na praia, é possível realizar as tradicionais actividades, as quais são asseguradas por colaboradores do resort, incluindo aulas de “surf”; asa delta; …

Os diversos animadores do resort circulam durante o dia pelo mesmo, organizando as habituais actividades junto à praia e à piscina: entre elas, dança; volley; alongamentos; “futebol aquático”; “Bingo”…

Enfim, quer em relação às piscinas, quer relativamente à praia, nada a apontar de negativo (no caso da praia, se o mar tivesse menos ondulação, seria perfeito).



















 

AntonyS

Membro
[Continuação]

Voltando às infraestruturas do resort, a zona do lobby é bastante ampla, fresca, disponibilizando diversos espaços para repouso e convívio, e um excelente bar, aberto praticamente 24h, com todo o tipo de bebidas.

No centro do lobby, realizam-se diariamente, à noite e após os espetáculos, festas com os animadores, com um estilo de música diferente de dia para dia (anos 80 / 90 / white party …).















 
Última edição:

AntonyS

Membro
[Continuação]

Em relação ao espetáculos, os mesmos realizam-se num espaço amplo adjacente à zona do lobby, e apresentam boa qualidade, com animadores muito profissionais e incansáveis.











A zona envolvente do resort é maioritariamente preenchida com extensos e cuidados espaços verdes, nos quais existem diversas zonas “lounge” para descanso.

Em todos os dias da nossa estadia o tempo esteve excelente (Janeiro = pico do Verão): às 5h30 já é de dia, muito calor, com o típico “bafo” tropical; 18h30 anoitece.

Ainda no que toca ao resort, o mesmo disponibiliza um fantástico serviço de SPA (cobrado à parte), com diversas terapias disponíveis, áreas de hidroterapia (jacuzzis, piscina e sauna) e sala de descanso no final, com direito champanhe e chocolates. Nós usufruímos e gostámos bastante.





 
Última edição:

AntonyS

Membro
[Continuação]

Finalmente, quanto às excursões, começando pela Praia do Forte, trata-se de uma simpática vila com bastante comércio, incluindo diversas áreas de restauração, e boas praias.

Começámos por visitar a praça de S. Francisco, onde está localizada a Igreja de São Francisco, e seguimos para o projecto Tamar (o bilhete de entrada está incluído no preço da excursão), onde pudemos observar e conhecer um pouco sobre tartarugas, os diversos tipos que existem, os ninhos …

Da parte da tarde, fomos conhecer a “famosa” Praia do “Papa Gente”, que é conhecida pelas “piscinas naturais” que se formam na maré baixa, com corais, onde podemos observar espécies marinhas (devem ir preparados com o equipamento necessário, mas adquirir lá também é possível).

Aí permanecemos uma boa parte da tarde a aproveitar a praia, o sol e a(s) água(s) de coco, regressando ao final do dia ao centro da Praia do Forte para explorar um pouco mais do comércio e aproveitar para comprar algumas lembranças.

Por volta das 18h30 regressámos ao resort, que dista cerca de 10 km da Praia do Forte.




























 
Última edição:

AntonyS

Membro
[Continuação]

Relativamente à excursão a Salvador, a mesma foi realizada em grupo, com hóspedes de outros resorts próximos do nosso.

A viagem faz-se bem, cerca de 1h00 de autocarro, e passou num instante, pois ao longo do trajecto o guia apresentou-nos um pouco da história e da cultura baiana, e informou-nos do roteiro que tinha traçado.

No geral, esta excursão revelou-se uma excelente aposta.

É uma cidade que muito embora tenha bastante tráfego, o mesmo até flui razoavelmente bem dado existirem poucos semáforos.

A cidade é grande e com muita coisa para visitar e aproveitar.

Ficou a sensação de que 1 dia “sabe a pouco”, pois há locais em que apenas foi possível passar, sem parar, por forma a termos tempo para cumprir o roteiro traçado pelo guia.

A visita guiada começou na conhecida zona turística do Elevador Lacerda, que é um ponto alto da cidade e com uma vista panorâmica magnífica sobre a Bahia.

A excursão estava organizada no sentido de não utilizarmos o elevador, por forma a não perdermos tempo na enorme fila que existia, e até porque da parte da parte iriamos estar na zona onde o elevador nos levaria (parte baixa da cidade).

Assim, depois do guia nos ter exposto um pouco da história daquele local (ligação da parte alta à parte baixa da cidade), foi concedido algum tempo para apreciarmos o local e tirarmos algumas fotografias.







Dali seguimos a pé para o centro da cidade, onde pudemos conhecer um pouco mais da cultura e da parte arquitéctónica da cidade.

Há locais específicos onde paramos, e com os quais o guia já tem “acordo” para parar, por exemplo o tradicional espetáculo de capoeira e de música instrumental “dos mais pequenos (crianças)”, ambos realizados pelas ruas da cidade.







A zona da cidade que gostámos mais de conhecer foi o centro histórico, conhecido como “Pelourinho”, pela sua arquitectura e mistura de cores espetacular, neste último ponto fazendo lembrar um pouco a magnifica “Havana”.

Aí permanecemos algum tempo para conhecer a Fundação Casa de Jorge Amado, o Museu da Cidade, o local onde foi gravado o videoclip da música Olodum “They Don’t Care About Us” do Michael Jackson, e onde pudemos tirar a típica foto com as “Baianas”.









Ficámos pela zona do Pelourinho uma boa parte da manhã até à hora do almoço.

O almoço foi num restaurante recomendado pelo guia (estava reservado), localizado na praça principal do Pelourinho, que tinha opção “à la carte”, ou buffet (o preço é muito idêntico).

Optámos pelo “buffet”, o qual era bastante diversificado, sendo o ponto forte as típicas carnes grelhadas do estilo “rodizio”, com vários acompanhamentos (arroz, feijão preto, batata frita…), incluindo saladas.

O preço ficou-se pelos 120 reais (cerca de € 30,00) para duas pessoas, incluído bebida e café.

Depois do almoço, seguimos a pé até à igreja de S. Francisco de Assis, localizada no centro histórico, onde permanecemos algum tempo a apreciar o seu interior que, segundo relataram, é banhado com mais 600Kg de ouro.





Dali seguimos a pé pelas ruas do centro histórico até ao local onde tínhamos o autocarro à nossa espera para nos levar até à Igreja do Senhor do Bonfim, muito conhecida pelas pulseiras dos desejos, e onde permanecemos algum tempo.





Depois seguimos de autocarro até ao Mercado Modelo, localizado na parte baixa da cidade, com vista para o já referido Elevador Lacerda, onde permanecemos cerca de 45minutos para comprar algumas recordações (a um preço melhor) e comer alguma coisa.



A excursão terminou no conhecido “Farol da Barra”, onde pudemos tirar umas boas fotografias e apreciar um pôr-do-sol espetacular com vista privilegiada para a Bahia.



Entre os locais pelos quais passámos mas não parámos, destaco o lago das Orishas e o novo estádio “Arena Fonte Nova”.







A viagem de regresso ao resort foi um pouco cansativa, muito devido ao tráfego para sair da cidade, que ao final do dia é especialmente acentuado (não fosse a diminuta quantidade de semáforos, seria caótico…).

Para terem uma ideia, gastámos cerca de € 200,00 nas duas excursões (para duas pessoas), já incluindo o almoço e as recordações que comprámos.

Os restantes dias foram a aproveitar o resort, as zonas envolventes do mesmo e, como é óbvio, o sol, as praias, a comida, tudo espetacular.

Finalizando, que já vai longo, em relação ao destino e especialmente o resort, recomendadíssimo!
 

Mel C

Moderador
Staff
Obrigada pela partilha e pelas fotos espectaculares deste destino pouco comum!:D
 

Sílvia78

Membro Ativo
Muito bom, obrigada pela partilha.;)
Conheço o Palladium do México e Punta Cana e realmente são hoteis fantásticos.
 

PauloNev

Moderador Sénior
Staff
Muito obrigado pela partilha.
Um hotel a ter em conta se um dia voltar a bahia.
Boas viagens ;)
 
Top