Novidades

[Report] A viagem de uma vida - Península Valdés -by JJPPMM

JJPPMM

Membro Conhecido
A continuação da " Viagem de uma Vida " - segundo capítulo.

Os outros capítulos podem ler em :

Buenos Aires

As Baleias Francas

Ao final da tarde do dia 18 de Outubro , fomos até ao Aeroparque ( o aeroporto de Buenos Aires para voos internos ) para fazer o voo com destino a Trelew .
O voo teve a duração de 1h50 m e foi feito num novíssimo Boeing 737-700 . Á chegada a Trelew tivemos de fazer a ligação de 60 km que liga esta cidade à cidade de Puerto Madryn

ai1372.photobucket.com_albums_ag332_JoaoMarques_Argentina_IMG_8508_zpsa0fee52c.jpg


Trelew é a cidade com aeroporto mais próxima da Península de Valdés. Habitualmente não entra nos roteiros turísticos pois serve unicamente de plataforma para aceder a Puerto Madryn e desde aí à Península que está a 160 km.
E este é o segundo ponto de paragem da nossa viagem .

Estamos agora na
PENINSULA DE VALDÉS

A Península de Valdés é um acidente geográfico costeiro sobre o Mar Argentino. É um dos nove Patrimónios da Humanidade da Argentina.
É uma porção de terra ligada ao continente por uma faixa a que chamam Istmo Carlos Ameghino.

A Península Valdés recebe a maior população de baleias francas austrais durante a sua fase de reprodução. Foram até hoje catalogadas mais de 2000 animais pelo Whale Conservation Institute e pelo Ocean Alliance.
A região possui 6 reservas naturais e está considerada como um dos principais e mais importantes destinos de avistamento de baleias do planeta , especialmente na zona de Puerto Piramides e da cidade de Puerto Madryn .
Além das baleias ainda se podem avistar golfinhos , pinguins , elefantes marinhos , focas , orcas e uma grande variedade de aves.

As Baleias Francas podem ser observadas entre Junho e Dezembro , para as Orcas a melhor altura é de Fevereiro a Maio.
Nesta zona o avistamento de Baleias dentro da época de reprodução é 100 % garantido pois em 2014 a concentração média foi de aprox. 800 animais .

Já o avistamento de Orcas é bastante mais complicado pois como nos ensinou o nosso guia , terão de estar reunidas 4 condições , a saber :

. Que não haja vento
. Que esteja maré cheia
. Que a orca esteja com fome
. E talvez a mais difícil de conseguir “ Estar no lugar certo e à hora certa “

Muito mais complicada que a observação de baleias . Dizem os entendidos que existem turistas que passam uma semana sem conseguir observar nenhuma. A linha de costa é enorme e conseguir estar perto do local onde elas vêm até à praia é mesmo uma sorte.

A Península de Valdés tem dentro do seu limite de reserva a cidade de Puerto Madryn , onde existem todos os hotéis que suportam esta actividade turística e Puerto Piramides que é uma praia com uma pequena aldeia toda ela dependente do negócio do avistamento de baleias que hoje está concessionado a 3 empresas .
De salientar o facto de que nenhum morador da Província de Chubut pode pernoitar em Puerto Piramides de forma a evitar e controlar o crescimento demográfico da zona . Um estrangeiro como eu pode ficar hospedado nas poucas casas e quartos que existem para alugar , mas o nosso guia teria de voltar a Puerto Madryn para dormir.
Nós ficamos hospedados no Hotel Piren (www.hotelpiren.com.ar) mesmo em frente ao Golfo Novo com uma vista fantástica sobre o mesmo.

ai1372.photobucket.com_albums_ag332_JoaoMarques_Argentina_IMG_8733_zps5e5a98c1.jpg


Puerto Madryn

Puerto Madryn foi fundado em 28 de Julho de 1865 dia em que 150 galeses chegaram à costa a bordo do navio “ MIMOSA “
Este porto natural foi de imediato baptizado com o de Madryn em homenagem a Loves John Parry , Barão de Madryn .
A cidade baseou o seu crescimento nas actividades ferroviárias e portuárias .
A partir de 1970 com a instalação de uma fábrica de alumínio e com a construção de um molhe mineiro produziu-se um crescimento explosivo da cidade.
Ainda hoje a fábrica de alumínio exporta 100 % da sua fabricação . O alumínio produzido e exportado para todo o mundo regressa novamente já manufacturado J
Só mais tarde a cidade ganha o carácter turístico que hoje tem.
Não tenho fotos da cidade pois não tem interesse de maior .Limita-se mesmo a ser o dormitório para quem pretende aceder à Península

E nessa manhã de 19 de Outubro, o dia apresentava-se algo enublado. No dia anterior tinha chovido a potes , coisa rara por estas bandas já que a precipitação média anual é quase zero .
Hoje a minha mulher iria concretizar alguns dos seus sonhos . Visitar a Patagónia e poder ver as baleias no seu habitat natural .

E a primeira surpresa do dia aconteceu quando fomos chamados por um senhor muito simpático de nome Juan Cuevas , o nosso guia . Ouvimos aquilo que já começávamos a ficar habituados … “ Marques“,” Marques “ … Hola buenos dias ….. son brasileiros ? J

E lá o seguimos para fora do hotel e para nossa surpresa encaminhou-nos para um jipe particular onde um casal de espanhóis recém casados (soubemos mais tarde ) nos esperava. Yes …. Tour quase privado … maravilha.

Bem , e como poderiam imaginar não vos vou contar por ordem cronológica o nosso dia pois teria de incluir como segunda visita o “ Avistamento de Baleias “ e esse prefiro deixar para um report em separado pois acredito que justifica o tempo e a paciência de cada um de vós em o ler

Bem e vamos lá começar .

A Península de Valdés encontra-se a cerca de 100 km da cidade de Puerto Madryn . O percurso total neste dia foi de 450 km pois percorremos todo o seu interior . Uma foto para terem uma ideia do contorno da Península :

ai1372.photobucket.com_albums_ag332_JoaoMarques_Argentina_IMG_8515_zpsf528c92b.jpg


Na parte superior da foto está o Golfo de San José e na inferior o Golfo Novo onde se concentram as Baleias Francas .

Após percorrermos cerca de 90 km através de estradas com rectas sem fim e de superfície quase plana , onde quase sempre se pode avistar o horizonte já que não existem nem construções nem acidentes geográficos que impeçam , eis que chegamos à entrada da Península de Valdés . Podem obter mais informação aqui : www.peninsulavaldes.org.ar

Uma pequena paragem junto ao controlo de bilhetes ( a entrada custa cerca de 160 pesos argentinos ) pois com este controlo sabem com clareza quantas pessoas entraram e quantas saíram da Península e também para ouvir a primeira lição de como proceder quando se visita um local que além de Património da Humanidade é um Parque Nacional com Reserva Natural. Assim alertam para o facto de todo e qualquer resíduo que se produza , seja retornado a Puerto Madryn para não produzir lixo na Reserva Ecológica , não interagir com nenhum dos animais presentes pois só assim se poderá manter este “ alhear dos animais “ frente ao homem , não trazer qualquer tipo de fauna ou flora existente , utilizar unicamente os trilhos criados e não pisar qualquer outra zona , não fumar e tentar não comer sem ser nas zonas indicadas para o efeito.

E após estas explicações seguimos um pouco mais para a frente para a visita ao Centro de Interpretação onde explicam tudo o que se relaciona com a fauna , flora , história e situação geográfica da Península.
Aqui é possível observar em tamanho natural o esqueleto de um jovem macho de Baleia Austral , encontrado morto em 1985 na praia de Caleta Valdés.

ai1372.photobucket.com_albums_ag332_JoaoMarques_Argentina_IMG_8518_zps2a427c54.jpg


Além disso são exibidos também alguns outros animais presentes neste ecossistema sendo a surpresa a presença de pumas .

ai1372.photobucket.com_albums_ag332_JoaoMarques_Argentina_IMG_8522_zps52e68eb1.jpg


Depois de cerca de 1 hora a ouvir interessantes explicações fornecidas pelo guia , claro que não irei aqui reproduzir porque iria ocupar muito espaço e tempo , mas que não deixei de tomar nota no meu caderno de viagem que desta vez se tornou quase do tamanho de uma enciclopédia , seguimos para dentro do Istmo Carlos Ameghino que liga a Panínsula ao continente .
A paisagem , as sensações e as emoções parecem apoderar-se lenta e gradualmente de cada um de nós começando a tornar a visita realmente fascinante , única e maravilhosa.

Seguimos directos para o avistamento da baleia que estava marcado para as 10.30 hrs locais. Sobre este assunto falarei noutro report J

Quando terminou o avistamento J ( tenham paciência … noutro report J ) seguimos caminho por um trilho escavado na rocha e que à alguns milhares de anos era o fundo do mar , comprovado pela quantidade de fósseis existentes à superfície , até ao miradouro de Punta Piramides onde se pode observar toda a reserva natural

ai1372.photobucket.com_albums_ag332_JoaoMarques_Argentina_IMG_8666_zps7cefdbb5.jpg


Talvez com esta imagem possam compreender a imensidão da paisagem e do horizonte . Como dizia o guia existem dias em que com o céu completamente limpo se consegue observar a curvatura da terra .

ai1372.photobucket.com_albums_ag332_JoaoMarques_Argentina_PuertoPiramidesPan_zps912ba92c.jpg



Pode-se também observar a razão pela qual esta localidade se chama PUNTA PIRÁMIDE . Deve-se ao facto de este longo e estreito pedaço de terra em forma de pirâmide entrar pelo golfo e ter de ser evitado cada vez que os marinheiros pretendem aceder à praia .


ai1372.photobucket.com_albums_ag332_JoaoMarques_Argentina_IMG_8656_zps4f3d55e8.jpg


As escarpas produzidas pela erosão e pelos fortes ventos que assolam a costa especialmente no inverno produzem imagens de rara beleza geológica

ai1372.photobucket.com_albums_ag332_JoaoMarques_Argentina_IMG_8657_zps0ec63d44.jpg


Estas escarpas além de protegerem as pequenas baías e enseadas (grande parte delas só acessível por barcos ) servem também de protecção a colónias de lobos marinhos que ali passam grande parte do seu tempo durante quase todo o ano.

ai1372.photobucket.com_albums_ag332_JoaoMarques_Argentina_IMG_8646_zpsd5e081b7.jpg


Aproveitam a segurança da escarpa e o calor das pedras para se instalarem comodamente. O cheiro no ar é intenso , mesmo ainda ao longe conseguimos identificar o cheiro característico deste animal fantástico .
Mesmo sendo completamente desarticulados na forma de andar em terra , conseguem subir com rapidez e com relativa facilidade as ingremes rochas que dão acesso ao planalto. A água cristalina da enseada e do próprio Golfo Novo facilitam-lhes a busca por comida .

ai1372.photobucket.com_albums_ag332_JoaoMarques_Argentina_IMG_8647_zps2f328ed1.jpg


O macho dominante desta colónia , aqui bem visível na imagem , não permite que nenhuma das fêmeas do seu harém saia para comer sem ir na sua companhia pois o receio de que a fêmea vá mas não volte é demasiado . Coisas de lobo-marinho.

Voltámos ao nosso jipe privativo para continuar a percorrer os infindáveis caminhos patagónicos da Península de Valdés.

Enquanto viajávamos , o guia ia aproveitando para nos contar alguns factos e histórias desta zona.
Em meados do séc. XX e face ao despovoamento da Patagónia , até então povoada por uma pequena tribo indígena descendente dos Aonikenk , o governo argentino decidiu incentivar possíveis colonos a ocupar aquela imensa zona tendo total liberdade para a delimitação das terras , sendo condição essencial a de plantarem arvores de fruto , criarem gado especialmente cordeiros e estabelecerem a sua própria casa.
Esta decisão levou a que alguns ( poucos ) colonos se apoderassem de um vasto território estabelecendo “ Estâncias “ ( nome dado ás quintas ou fazendas ) de dimensões gigantescas .
Ainda hoje para toda aquela imensidão de terra existem cerca de 49 proprietários.
A título de exemplo , a maior Estância tem cerca de 260 km por 195 km . Para nós é inimaginável um terreno desta dimensão.

As estradas da Península são todas deste género . São rectas sem fim onde a experiência de condução conta muito pois à mínima distracção acontecem saídas de estrada.

ai1372.photobucket.com_albums_ag332_JoaoMarques_Argentina_IMG_8676_zps2b423253.jpg


A estepe Patagónica parece não ter fim , são campos enormes de mato verde rasteiro , onde se viajam quilómetros sem que se aviste sinal de vida . Só de quando em vez nos cruzamos com algum outro carro ou autocarro de turismo que fazem os mesmos trajectos.
A paisagem por norma é monótona mas fantástica pois o verde da terra enquadra na perfeição com o azul do céu pintalgado por nuvens de um branco imaculado.
Muitas vezes e separados por si podemos ver cavalos selvagens , guanacos e como dizia o guia com muita ,muita sorte talvez um puma. Dificil mas não impossível.

ai1372.photobucket.com_albums_ag332_JoaoMarques_Argentina_IMG_8688_zps672e82e7.jpg


O que eu sempre pensei encontrar em grande quantidade seria o muito famoso “ Cordeiro Patagónico “ , mas infelizmente não foram assim tantos os que vimos.
Em virtude de haver bastantes roubos entre os fazendeiros , e porque este tipo de animal é deixado à solta em plena estepe , optaram por os colocar em zonas mais longe dos caminhos de estrada pois assim torna-se também mais difícil o seu roubo.

De qualquer forma ainda deu para ver esta espécie viva , sem ser nas montras das “ PARRILLAS “ em que estão já abertos e quase prontos a consumir.

ai1372.photobucket.com_albums_ag332_JoaoMarques_Argentina_IMG_8680_zps0cbdb604.jpg


ai1372.photobucket.com_albums_ag332_JoaoMarques_Argentina_IMG_8669_zps80f95b1d.jpg


De salientar que o Cordeiro é muito utilizado na alimentação desta zona , sendo um dos seus principais pratos , mas também a lã produzida por estes animais é muito procurada nos mercados internacionais por ser de excelente qualidade. No caso desta imagem , este tinha sido tosquiado à relativamente pouco tempo .

E continuando a nossa viagem , passámos embora ao longe ,pois o acesso é complicado em dias normais e ainda mais dificil neste em que tinha chovido muito , por uma zona onde se encontram as Salinas .

ai1372.photobucket.com_albums_ag332_JoaoMarques_Argentina_SalinasPan_zps9d470326.jpg


Existem 2 salinas na Peninsula , as “Salinas Chicas “ e as “Salinas Grandes” . Esta imagem corresponde à grande.
Estas Salinas são provenientes de movimentos tectónicos que criaram uma Lagoa temporal situadas 42 m abaixo do nível do mar.
Com a evaporação da água ao longo do temo , ficou depositado estes cristais de sais que foram durante muitos anos aproveitados pelos locais para comercialização de sal de mesa.
A produção era tão grande que chegou ás 12.000 Toneladas ano que inclusivamente justificou a criação de uma linha férrea entre a Salina e Puerto Piramides de forma a escoar por mar este bem precioso.
Fecharam definitivamente em 1920 e hoje devido á oxidação de minerais aí existentes revelam este fabuloso cor de rosa que se pode observar ao longe.

ai1372.photobucket.com_albums_ag332_JoaoMarques_Argentina_IMG_8680_zps41868d9f.jpg



A seguir fomos até à zona denominada de Caleta Valdés.
Esta zona não é mais que uma albufeira que atinge os 35 km de extensão de norte para sul.
Esta franja de terra está ligada através de uma pequena boca ao Mar Argentino. Esta pequena boca , que permite a entrada de água , tinha em 1970 cerca de 3 km de extensão . Hoje não tem mais de 500 m , sendo que édos poucos luagresdo mundo em que a Terra está a tirar espaço ao mar.
Esta zona é utilizada entre os meses de Agosto a Abril pelos Elefantes Marinhos dada a protecção ao mar e aos ventos que a albufeira oferece , convertendo-se em um dos poucos refúgios mundiais desta espécie.

ai1372.photobucket.com_albums_ag332_JoaoMarques_Argentina_IMG_8708_zps5ac26519.jpg



Esta é a zona onde se podem observar os Elefantes Marinhos com as respectivas fêmeas.
Embora ao longe , pois não é permitido descer a falésia , dá para entender o tamanho destes animais. Repousam tranquilamente na areia quente e de quando em vez tapam-se com areia de forma a aumentarem o calor corporal e ao mesmo tempo de se livrarem de pequenos parasitas que lhes invadem a pele.

ai1372.photobucket.com_albums_ag332_JoaoMarques_Argentina_IMG_8692_zps1e8dd8b1.jpg



Tivémos a oportunidade de assistir in loco ao que é a tentativa de um macho mais jovem tentar “ apoderar-se “ do harén existente. O ataque foi planeado por mar quando o macho mais velho se encontrava de “ costas “ . Ao aperceber-se da situação deu dois alertas vocais estridentes , que fez com que o macho mais jovem se afastasse rapidamente.
No areal e um pouco mais acima, junto à parede da falésia encontrava-se um outro macho a descansar de uma luta violenta com o macho dominante. As marcas que tinha no dorso eram demonstrativas de quem tinha sido o vencedor e o vencido.

ai1372.photobucket.com_albums_ag332_JoaoMarques_Argentina_IMG_8695_zpsc4441faa.jpg



Enquanto tudo isto acontecia , as fêmeas mantiveram-se tranquilas e imóveis nos lugares onde estavam. De salientar que estas lutas e confrontos são muito comuns e não são provocados pela escassez de comida , mas sim pela preservação das melhores fêmeas de forma manter e melhorar a espécie e a sua dinastia.
A natureza a funcionar na perfeição . A selecção dos melhores .

E para terminar a visita à Península Valdés , atenção que pela ordem cronológica , pelo report ainda não é o final , o guia deu-nos um bónus já que no dia seguinte não iriamos fazer uma das excursões a Punta Delgada e levou-nos a ver uma “ PINGUINERA “

A par da avistagem das baleias este foi dos momentos mais altos desta visita.

ai1372.photobucket.com_albums_ag332_JoaoMarques_Argentina_IMG_8719_zpsa2d34d85.jpg


O convívio com estes fantásticos animais é feito quase lado a lado a distâncias não superiores a 1m .
È fantástico o modo como qualquer um destes pinguins se abstém da presença de pessoas. Estão de tal modo habituados a estas constantes visitas que quase nos ignoram . Como seria de esperar não é permitido nenhum tipo de contacto com estes animais , seja ele de que forma for. Pedem silêncio e calma nos movimentos de forma a não perturbar alguns machos que se encontram a chocar os ovos.

ai1372.photobucket.com_albums_ag332_JoaoMarques_Argentina_IMG_8723_zps7281cb40.jpg


São animais de uma doçura única e fascinante . Ao contrário de muitos humanos , são fiéis á sua companheira do ano anterior e é com gritos fascinantes que comemoram o facto de terem encontrado a(o) companheira após quase um ano de separação .
Após o reencontro nunca mais se separam , para onde vai um o outro segue-o , isto claro até haver um ovo .
Demonstram através de pequenos rituais o carinho e quem sabe o amor que nutrem um pelo outro . Não sei se será o amor como nós o conhecemos mas não tenho dúvidas que será algo grande e único.

ai1372.photobucket.com_albums_ag332_JoaoMarques_Argentina_IMG_8730_zpsa7a3279f.jpg



ai1372.photobucket.com_albums_ag332_JoaoMarques_Argentina_IMG_8721_zps0c51b9ee.jpg


Esta foi a primeira foto que tirei ao chegar à PINGUINERA , mesmo ali à minha frente , a menos de meio metro de mim estava este casal , nesta posição , trocando mimos e caricias.
Indiferentes a quem se aproximava continuaram assim por longos momentos .De quando em vez um pequeno som saia das suas bocas , seriam palavras ternas ? Ninguém saberá .

ai1372.photobucket.com_albums_ag332_JoaoMarques_Argentina_IMG_8720_zps77dbc69e.jpg


Sei que estiveram assim durante muito tempo , sei que a imagem de ternura que passaram a quem os observava foi única . Eu por mim prescindi de ver alguns mais para ficar ali , imóvel como eles ,observando esta cumplicidade extrema entre dois animais. Foi simplesmente fascinante sentir que na Natureza ainda existe espaço para o “ amor “ , para o tal amor que não sei se será igual ao que convencionámos , mas que de certeza será algum sentimento de ajuda, partilha e compreensão.
Muito mais tempo ficaria por ali , de coração e olhos abertos a ver este casal que impávidos e serenos continuaram a mostrar-nos que a entreajuda e a união ainda fazem a Natureza se renovar em cada ano em cada ciclo , com este ou outros pares.

SIMPLESMENTE FASCINANTE.

Próximo capítulo : A BALEIA FRANCA AUSTRAL

J.Paulo
 
Última edição por um moderador:

Ricardo_7

Membro Conhecido
Olá,

Muito obrigado pela partilha! As fotos estão fantásticas!

Que venha próximo capítulo!

Boas Viagens :)
 

Snider

Membro Conhecido
Confesso que sempre que penso na Argentina, tirando o futebol, não me vem mais nada a cabeça :blush: Talvez por ignorância. Por isso não é um destino em que no futuro eu penso ir. Espero que com estes reports, o JJPPMM, me mude de ideias! Ehehe

Quanto aos dois reports até agora,
excelente texto, cheio de (preciosa) informação, e com excelentes fotos. O que mais gostei até agora foi toda a Península Valdés. De Buenos Aires aquilo que mais me impressionou foi o teatro colon e a floralis genérica.
 

JJPPMM

Membro Conhecido
Snider disse:
Confesso que sempre que penso na Argentina, tirando o futebol, não me vem mais nada a cabeça :blush: Talvez por ignorância. Por isso não é um destino em que no futuro eu penso ir. Espero que com estes reports, o JJPPMM, me mude de ideias! Ehehe

Quanto aos dois reports até agora,
excelente texto, cheio de (preciosa) informação, e com excelentes fotos. O que mais gostei até agora foi toda a Península Valdés. De Buenos Aires aquilo que mais me impressionou foi o teatro colon e a floralis genérica.
Olá
Bom dia
Muito obrigado pelo teu comentário .
De facto estou de acordo contigo. Buenos Aires é uma metrópole , logo os motivos de interesse ou serão históricos e neste caso Buenos Aires é uma cidade " nova " ou serão paisagisticos e nessa área não tem muito interesse.
Ao contrário de ti , gosto muito do Caminito , uma zona bastante invulgar numa cidade como esta.

Quanto à Argentina tem de facto muito que ver . Fica atento aos reports pois vais descobrir o lindissimo Parque Nacional Terra Fogo , O Parque Nacional dos Glaciares entre outras coisas. É um país com uma oferta riquissima. È verdade , está longe e caro para nós , mas vale a pena.

Quanto à Peninsula de Valdés é de facto muito bonito . Verás agora as baleias e já dirás o que pensas :)
Como comentava com amigos , se me perguntarem o que gostei mais da viagem , acredita que não sei o que eleger , estou a falar muito francamente. Foi muito , muito bonito.

Espero que continues a seguir os reports . Existe ainda muito para mostrar.

Abraço
João Paulo
 

PauloNev

Moderador Sénior
Staff
Realmente o titulo do Report diz tudo. Não tenho adjectivos para qualificar este ou melhor estes reports.
Fotos magnificas e por locais por onde a maioria de nós não anda.
Todos os reports são uma mais valia para o Portal, mas este género de reports ainda mais, obrigado pela partilha e continua com estas grandes viagens, o Portal e todos os seus membros agradeçem.
 

JJPPMM

Membro Conhecido
paulonev disse:
Realmente o titulo do Report diz tudo. Não tenho adjectivos para qualificar este ou melhor estes reports.
Fotos magnificas e por locais por onde a maioria de nós não anda.
Todos os reports são uma mais valia para o Portal, mas este género de reports ainda mais, obrigado pela partilha e continua com estas grandes viagens, o Portal e todos os seus membros agradeçem.
Olá Paulo
É pelo facto de serem lugares que habitualmente não vamos que quero partilhar com todos vós.
Para mim foi dificil programar esta viagem mesmo com o operador turistico porque a informação é muito pouca
Espero que no final dos reports ( sim pq ainda faltam alguns ) que os colegas possam ter pelo menos ideias de que visitar e onde.
Não quer dizer que eu esteja certo , cada viagem e viajante é um , mas pelo menos alguma informação ficará. Espero que esta minha pequena contribuição seja útil para mais alguém
Abraço
João Paulo
 

PauloNev

Moderador Sénior
Staff
João Paulo, claro que cada pessoa (viajante) tem os seus gostos/desejos/opiniões, mas estes report's serão sem dúvida uma mais valia para quem deseje fazer uma viagem por alguns destes locais. E certamente irá abrir o apetite a outros para viajar por essas paragens.
Em relação a dificuldade eu imagino o "trabalho" que tiveste, mas falo por experiencia que quando regressamos ao nosso país e a viagem correu bem, o sentimento de felicidade e satisfação é muito maior do que ir num pacote básico organizado por terceiros e sem "influencia nossa".
 
Top