Myanmar Dezembro 2016

AMSA

Membro Novo
Boa tarde a todos!

Irei estar em Myanmar durante 17 dias, já sem contar com dois dias para a viagem.
Ainda nao fiz o roteiro final, mas já fiz um esboço de alguns locais que gostaria de visitar, em que dias, como me deslocar.
Tenho é algumas dúvidas que gostaria de esclarecer com alguém que já lá tenha estado.

Obrigado desde já!
Cumpts
 

AMSA

Membro Novo
Boa noite!
Bem, três semanas era o ideal porque assim conseguia uns dias para fazer praia mas com apenas 17 dias efectivos para conhecer o país, não irá dar!
Tirando algumas ideias na web e fóruns, aqui deixo o roteiro feito para que tenha algum feedback:

29nov arriving yangon 1n
30nov yangon, night bus to kalaw 1n
1dec kalaw 1n
2dec kalaw, trekking to inle lake 2d1n
3dec inle lake 1n
4dec inle lake to bagan night bus 1n
5dec bagan 1n
6dec bagan, night bus to mandalay 1n
7dec mandalay 1n
8dec mandalay, night bus to hsipaw 1n (ou comboio)
(hsipaw trekking 2d1n?)
9dec hsipaw, night bus to yangon 1n (ou comboio)
10dec yangon, night train/bus? to mawlamyine
11dec mawlamyine 1n
12dec mawlamyine, day boat to hpa an
12dec hpa an 1n
13dec hpa an, night bus to Yangon 1n
16dec yangon to lisbon

Como já repararam ainda tenho mais dois dias disponíveis mas dado que não sei que sightseeing existe nas várias paragens (ainda tenho que fazer um levantamento), não sei se valerá a pena ficar mais uma noite numa ou noutra cidade. Qual a vossa opinião?

As outras questões são questões existenciais,
Convém levar dólares de Portugal ou pode-se trocar Euros lá? E levantar em ATMs é só Kyat?
Consegue se alugar táxi com facilidade para deslocações mais longas? Imaginemos por exemplo, em Mandalay até Amarapura. Ou faz se bem alugando uma scooter?
E as tours no Inle, trekkings, arranja se facilmente na rua como na Thai? Ou nas Guesthouses.

Bem para já será isto! Qualquer coisa que surja vou colocando aqui.
Muito Obrigado!
 

Viagens Mochileta

Membro Conhecido
O plano no geral está bom mas demasiado corrido. Mandalay precisa no mínimo de um dia só pra si, o ideal seriam 2. Os templos fecham cedo, pelo que a partir das 17h não é possível visitar a maioria deles. Mais um dia para Amarapura, Inwa e Sagaing com o por do sol em U-Bein. É fácil arranjar táxi para o dia todo por 25 USD ou 30 mil Kyats. Se negociar com paciência num local onde hajam vários táxis pode conseguir 25 mil kyats.
Hsipaw acho que não vale o desvio a não que seja pra seguir para os Himalaias.

O trekking de Kalaw não fizemos mas com quem falamos disseram-nos que a fazer tem que ser o de 3D/2N, caso contrário era só caminhar apressadamente vendo muito pouco pelo caminho. Mas como digo, não fizemos por isso não me atravesso muito.

Um dia no lago chega, em Bagan é pouco, 2 dias é o ideal para ver tudo sem correrias.

Quanto à parte Sul, parece-me bem embora tenhamos ido para Hpa-An primeiro. Cortamos a viagem com uma paragem de uma noite em Bago e outra na Golden Rock.

Yangon pelo que percebo tem pelo menos dois dias, por isso está bem.

Se quiser fazer praia, há praias na região de Mawlamyang (Mawlamyine) e na de Yangon. Contudo, as melhores começam em Dawei, o último ponto a sul acessível por via terrestre a turistas. Nós passamos lá uns dias e a praia era literalmente só nossa. Se for a Dawei, pode sempre atravessar a fronteira para a Tailândia e regressar por Bangkok (isto se não tiver já comprado os vôos). O único "senão" é o comboio, que teoricamente demora 16h mas na prática o nosso demorou quase 24h, já para não falar que era suposto sair às 4:30 da manhã e só saiu as 7h.

Por fim, tanto pode levar euros como dólares, não achei que alguma delas fosse melhor do que a outra. Contrariamente ao que dizem alguns relatos e guias de viagem, tente pagar os bilhetes das atracções sempre em kyats porque pra eles a conversão geralmente é de 1 USD = 1000 kyats, quando na realidade é mais. Levantar dinheiro a maior parte das ATMs cobram uma taxa, casas de câmbio só existem nos destinos mais turísticos mas pode trocar nos bancos com boas taxas.

Tours arranja com facilidade excepto de Yangon pra baixo. Para ter uma ideia, tentamos organizar uma tour de barco de 2 dias em Dawei, com um alemão que vive lá, com mais de meio ano de antecedência e mesmo assim, foi cancelada à última da hora.

Daqui a uns dias devo publicar o post de Bagan no nosso blog, onde explico como evitar o bilhete exorbitante que cobram. Já em Mandalay, só o pediram no Palácio e em 2 templos de Inwa (Ava).
 

andre.doc

Membro Ativo
Boa noite! Vou seguir com atenção este post e o blog Mochileta pois tenho um projeto de viagem para o Myanmar (que para já é apenas um projeto e cuja concretização depende do alinhamento favorável de um conjunto de variáveis). Já tenho o roteiro mais ou menos definido (fi-lo para apurar os custos com algum rigor) e ficarei muito desapontado se não puder concretizar o sonho de visitar este país tão místico e belo!
 

Viagens Mochileta

Membro Conhecido
Quanto a custos, o ideal é ver o preço dos voos e ir marcando alojamentos com cancelamento gratuito para ter uma ideia. Depois lá a alimentação é muito barata assim como os transportes. Diria mesmo que a despesas mais significativas lá são as entradas nas atracções, que têm preços exorbitantes para o custo de vida do país.
 

andre.doc

Membro Ativo
Obrigado pelo feedback. Em relação aos custos das atrações, contabilizei cerca de 70€:

Yangon:
Taxas entrada monumentos: Shwedagon Pagoda +-9€ , Sule Pagoda +-3€, Botataung Pagoda +-3€
Kyaiktiyo (Golden Rock):
Kyaiktiyo Zone Fee +-5€
Inle
Inle lake Zone Fee +-10€
Kakku Stupas fee +-3€
Bagan
Bagan Zone Fee +- 20€
Mandalay
Mandalay Zone Admission Fee +- 10€
Mandalay Hill - Camera Fee +- 1€
Mingun + Sagaing Zone Fee +- 5€

Algum outro custo significativo que me tenha escapado?
 

Delicia do Mar

Membro Ativo
Vou acompanhar pois Myanmar é um destino que está no topo da minha lista para umas férias... um dia! que bom que é acompanhar-vos!
 

Viagens Mochileta

Membro Conhecido
Obrigado pelo feedback. Em relação aos custos das atrações, contabilizei cerca de 70€:

Yangon:
Taxas entrada monumentos: Shwedagon Pagoda +-9€ , Sule Pagoda +-3€, Botataung Pagoda +-3€
Kyaiktiyo (Golden Rock):
Kyaiktiyo Zone Fee +-5€
Inle
Inle lake Zone Fee +-10€
Kakku Stupas fee +-3€
Bagan
Bagan Zone Fee +- 20€
Mandalay
Mandalay Zone Admission Fee +- 10€
Mandalay Hill - Camera Fee +- 1€
Mingun + Sagaing Zone Fee +- 5€

Algum outro custo significativo que me tenha escapado?
É mais ou menos isso. Em Sagaing não pagas bilhete, apenas Camera Fee em alguns templos. Mingun pagas. Na Mandalay Hill acho que não pagamos nada mas é uma questão de confirmar no post do blogue.
Kakku na minha opinião é um erro, que nós também cometemos. Triplica-te o valor da daytrip no lago e não é garantido que lá chegues (nós tivemos que voltar para trás ao fim de umas 3h de barco porque não dava para passar, ou pelo menos foi isso que o barqueiro nos disse...). Além disso, vais ver imensos agrupamentos de estupas similares noutras partes do lago. Se quiseres mesmo ir a Kakku, mais vale ir por terra. Consegues negociar um barco para o dia todo por 20 mil Kyats mas se incluires Kakku o preço "salta" para 60 ou 65 mil.

Essencialmente bilhetes é isso mas prepara-te para pagar camera fees em quase todo o lado (em sítios grandes e/ou abertos podes sempre guardar a câmara e depois usar com cautela ou fotografar com o telemóvel que sempre é mais discreto). No Sule Pagoda e outros do género é que não tens hipótese porque há controlo (eles dão-te um bilhete para pendurar na máquina e como aquilo é redondo e relativamente pequeno, bastam meia dúzia de mulheres a controlar).
 

andre.doc

Membro Ativo
Muito obrigado pelo feedback. Eu tinha previsto um dia inteiro para Kakku por terra, mas se há estupas semelhantes noutras partes dos lago se calhar vou prescindir de Kakku (e assim incluir por exemplo as Pindaya Caves ou Kalaw no itinerário).

É fácil arranjar barcos em Inle que não nos levem a várias lojas ou as aldeias "artificiais" em que exibem e exploram as mulheres "girafas"?

Obrigado
 

Viagens Mochileta

Membro Conhecido
Muito obrigado pelo feedback. Eu tinha previsto um dia inteiro para Kakku por terra, mas se há estupas semelhantes noutras partes dos lago se calhar vou prescindir de Kakku (e assim incluir por exemplo as Pindaya Caves ou Kalaw no itinerário).

É fácil arranjar barcos em Inle que não nos levem a várias lojas ou as aldeias "artificiais" em que exibem e exploram as mulheres "girafas"?

Obrigado
Penso que sim. Nós dissemos explicitamente que não queríamos e ele inicialmente não nos levou. No fim, quando tivemos uma discussão com ele por não chegarmos até Kakku - pareceu-nos haver barcos que seguiam até lá mas por outro lado ele só deu meia volta já lá perto, pelo que não fazia sentido se fosse só "má vontade" ou aldrabice - ele "optou" por para lá como "compensação". Entramos na loja, demos uma volta e saímos, pedimos-lhe que nos levasse outra vez aos jardins flutuantes e que parasse junto aos "pescadores falsos" para tirar umas fotos, que esses sempre estão lá de livre e espontânea vontade para ganhar uns trocos e ficam contentes com muitos poucos Kyats.
 

andre.doc

Membro Ativo
:) Vejo que levaram a lição bem estudada e sabiam ao que iam...
Sinto que já fiz um investimento de tempo muito grande a planear uma viagem que ainda não sei se poderei concretizar... a ver vamos... Se as coisas se conjugarem favoravelmente, provavelmente voltarei a "chatear"! Muito obrigado pelos esclarecimentos e continuação de boas viagens!
 

Viagens Mochileta

Membro Conhecido
:) Vejo que levaram a lição bem estudada e sabiam ao que iam...
Sinto que já fiz um investimento de tempo muito grande a planear uma viagem que ainda não sei se poderei concretizar... a ver vamos... Se as coisas se conjugarem favoravelmente, provavelmente voltarei a "chatear"! Muito obrigado pelos esclarecimentos e continuação de boas viagens!
Se puderes faz mesmo, vai ser uma das viagens da tua vida. Além disso vê-se que de facto já pesquisaste muita coisa, algo que infelizmente muita gente não faz. Quanto às mulheres girafas que lá estavam, só uma me pareceu "autêntica", as restantes pareciam locais que puseram um punhado de anéis ao pescoço. De uma forma ou doutra, são cenários a evitar. Há zonas de Myanmar onde as podes ver em "liberdade", mas é um pouco arriscado (zonas de conflito relativamente congelado) e demorado lá ir.
 

andre.doc

Membro Ativo
Sim, isso mesmo, habitam numa zona do Myanmar que tem das maiores densidades de minas terrestres armadilhadas em todo o mundo!
Tenho a certeza que é uma viagem de uma vida! Obrigado mais uma vez
 

Viagens Mochileta

Membro Conhecido
Obrigado!
Esqueci-me de uma dica importante: se algum jovem simpático vos abordar de mota, ignorem. Caso contrário irão ter uma trabalheira para o convencer que não querem comprar pinturas feitas em areia ou coisas do género. Irão propor-vos a visita a templos "desconhecidos" ou a bons locais para assistir ao nascer/por do sol - o que até será verdade uma vez que eles os conhecem melhor que qualquer turista. O problema é que assim que lá chegarem, num abrir e fechar de olhos terão uma dezena delas expostas no chão. Se por acaso acontecer, é preferível oferecer uma pequena quantia de dinheiro ou mesmo algum objecto de que não precisem a comprar o que quer que seja pois uma boa parte são falsas e mesmo que sejam verdadeiras, serão mais caras do que no próprio vilarejo de Nyaung U (onde podem efectivamente ver os artesão locais a pintar as ditas).

Agora vamos dormir que amanhã há comboio para apanhar até Ulan-Ude!
 
Última edição por um moderador:

AMSA

Membro Novo
Boas mais uma vez!

Sim, de facto tenho que concordar contigo quando dizes que o plano está corrido mas é o que dá quando não se tem os dias necessários e se quer conhecer o maior número possível de pontos, o que às vezes não é o mais correcto pois pode-se acabar por conhecer pouco e ser mais desgastante, dado que se irá estar sempre a saltitar.
Ora bem, revi novamente o itinerário e decidi remover Hsipaw, isto porque trata-se de um local para trekking e o mesmo já irei fazer em Kalaw. Também tem o comboio que atravessa o viaduto Goteik, e seria este um dos motivos para ir até Hsipaw. Terá que ficar para outra viagem.
Praia também irei fazer skip, não vai mesmo dar.
O novo plano, já com uma estimativa de partida/chegada de transportes, será:

29nov chegada yangon 11H (1N)
30nov yangon, night bus 22H to mandalay chegada 06H
1dec mandalay (1N)
2dec mandalay, bus 17H to bagan chegada 23H (1N)
3dec bagan (1N)
4dec bagan, night bus 20H30 to kalaw chegada 05H30 (1N)
5dec kalaw (1N)
6dec trekking (1N)
7dec trekking (1N)
8dec trekking chegada inle lake ~12H (1N)
9dec inle lake, night bus 18H to yangon chegada 06H
10dec yangon, night train 21H to mawlamyine chegada 06H
11dec mawlamyine (1N)
12dec mawlamyine, day boat 08H30 to hpa an chegada ~14H (1N)
13dec hpa an (1N)
14dec hpa an, night bus 21H to yangon chegada 04H30
15dec yangon
16dec yangon to lisbon (01H50)

Que achas deste novo rearranjo?
Disseste que um dia em Inle Lake é suficiente mas pelo que já estive a ler, o pessoal recomenda no mínimo dois dias, alguns mais até.
Por um lado acho que agora está melhor distribuído, mas por exemplo para Yangon, como é um ponto principal de passagem, irei acabar por estar lá mais tempo do que gostaria.
Relativamente ao trekking, ainda estou indeciso se faço o 2D1N ou 3D2N.
Os horários retirei do site Go-Myanmar.com, será fidigno? A mim parece-me que sim mas não sei.
Em relação ao regresso a Lisboa, irei fazê-lo via Dubai pela Emirates. O comboio para BKK seria interessante mas com mais tempo!

Obrigado mais uma vez e continuação de boa viagem!
 
Top