Cidadãos da União Europeia isentos de visto para Cabo Verde a partir de 2019

Ricardo_7

Membro Conhecido
awww.passenger6a.com.br_wp_content_uploads_2017_01_santa_maria_beach_d_p_1200x750.jpg
"A partir do próximo ano, visitar a terra das mornas, da lagosta, da cortada e do funaná vai ficar ainda mais simples — e barato. O ministro dos Negócios Estrangeiros cabo-verdiano anunciou esta segunda-feira, 17 de dezembro, que a partir do próximo ano os cidadãos da União Europeia estarão isentos de vistos de curta duração para entrar em Cabo Verde. Os vistos custam, neste momento, 45 euros.

A medida tem sido várias vezes adiada, mas segundo o ministro Luís Filipe Tavares, citado pela Inforpress, as relações de cooperação entre Cabo Verde e a UE são atualmente “muito positivas”, estando o Governo confiante de que no futuro serão ainda “muito mais fortes” e “consolidadas”.

O governante adiantou ainda que “não tem havido problemas” e que as duas partes estão a trabalhar para “afinar e ajustar” alguns instrumentos."

Em NiT
 

ploferreira

Moderador Sénior
Staff
Parece que afinal nem tudo são boas noticias, o visto foi substituído por um pre-registo online e uma taxa à entrada de cerca de 30€

Agora, só precisa de ir a um site próprio de pré-registo para deixar dados do passaporte e da sua viagem, um pouco como o ESTA, para entrar nos EUA.

Com esta medida, Cabo Verde quer melhorar o setor do turismo e duplicar o número de pessoas que visitam o país, que já é de cerca de 700 mil por ano.

Estas são as boas notícias. As más é que, para compensar a perda de receitas com a isenção de vistos, o Governo cabo-verdiano criou uma nova Taxa de Segurança Aeroportuária (TSA), que também entrou em vigor no dia 1 de janeiro.

Segundo a Lusa, citada pelo “JE”, terão de pagar esta taxa todos os cidadãos estrangeiros que desembarquem em Cabo Verde ou estejam em viagem entre as ilhas, e os cabo-verdianos, nas deslocações inter-ilhas.

Ficam isentos do pagamento os titulares de passaporte cabo-verdiano, as crianças com menos de dois anos, e os passageiros que, incluídos em missões oficiais, desembarquem em aeronaves ao serviço privativo do Estado de Cabo Verde ou Estado estrangeiro, em regime de reciprocidade.

Esta TSA custa, nos voos nacionais, entre ilhas, 150 escudos cabo-verdianos (cerca de 1,36€) a todos os passageiros (nacionais e estrangeiros). É cobrada no momento da emissão dos bilhetes de avião.

Para os voos internacionais, o valor da taxa é de 3.400 escudos cabo-verdianos (cerca de 30,86€) para os passageiros estrangeiros, cobrados através da plataforma na internet de pré-registo.

A isenção de vistos criou alguma polémica em Cabo Verde, por não ser reciproca face à entrada de cidadãos cabo-verdianos na Europa e pela perda de receitas que poderá representar para o país.
Já não precisa de visto para ir de férias a Cabo Verde — mas paga uma nova taxa
 
Top