Agências de viagens resistem à crise, mantêm procura nas férias da Páscoa

Cravo

Membro
"
Lisboa, 07 Mar (Lusa) - Os portugueses continuam a aproveitar a Páscoa para tirar uns dias de férias e, apesar da crise, as agências de viagens contactadas pela Lusa registam uma procura semelhante ou até superior à Páscoa de 2008.
Os destinos no topo das preferências dos "turistas pascais" são principalmente Cabo Verde, Brasil, Algarve ou Madeira.
A Agência Abreu e a Top Atlântico (grupo Espírito Santo Viagens), duas das mais representativas do mercado, estão receber pedidos de viagens "ao nível de 2008", mas na Soltrópico o número de passageiros que já comprou bilhetes quase duplicou face à Páscoa do ano passado.
"As reservas estão a decorrer normalmente", disse à agência Lusa, o administrador da Top Atlântico, Helder Alves, acrescentando que "o número de pessoas reservadas se encontra dentro dos objectivos, o que quer dizer em linha com 2008".
Na Agência Abreu, "depois de um início tímido, as reservas estão a avançar a bom ritmo" e chegam ao nível do ano passado, disse à Lusa fonte da empresa que considera os resultados "positivos face à actual conjuntura".
Da parte da Soltrópico, a imagem transmitida pelo director de Marketing e Logística, Tiago Serras Rodrigues, é mais animadora pois aponta para uma subida de 91 por cento no número de passageiros com reservas para viajar na Páscoa, na comparação com 2008.
Um total de 1.674 passageiros já reservou viagens de Páscoa na Soltrópico, disse Serras Rodrigues.
Quanto aos destinos, com ou sem crise, os portugueses continuam a procurar o sol, optando na maioria por Cabo Verde e pelo Brasil, nas deslocações mais longínquas e, quando se ficam por Portugal, pelo Algarve e Madeira.
Na Soltrópico, Cabo Verde é mesmo um sucesso, com vendas Cabo Verde que mais que duplicaram face à Páscoa de 2008, um acréscimo de 135 por cento que Tiago Serras Rodrigues explica com o início de uma segunda ligação aérea não regular para a Ilha da Boavista, que se junta ao voo para a Ilha do Sal, já a funcionar desde 2004.
Mas a resposta da procura também foi "proporcional por se tratar de um destino em voga", acrescentou Serras Rodrigues.
Os clientes da Top Atlântico continuam a procurar as Caraíbas e o Brasil - embora seja um destino que registe "alguma quebra" -, para além de Cabo Verde e das Ilhas Espanholas, a que se juntam a Madeira e Algarve, no mercado interno, como especificou o administrador da empresa.
Nos balcões da Agência Abreu têm sido mais procuradas as viagens para Algarve, Disney, Tunísia, Cabo Verde e Brasil.
O mundo mágico da Disney - para além de Cabo Verde - é dos destinos que mais clientes da Abreu atrai, segundo fonte da empresa, que realçou "o grande aumento" de vendas a quem quer ver o Rato Mickey e os amigos.
Acerca das reservas para as férias de Verão, parecer ser ainda muito cedo para saber como vão os portugueses enfrentar o calor em tempo de crise, até porque se mantém a tendência de reservar mais em cima da hora da viagem.
"Ainda é muito cedo para reservas significativas para este período", disse o director de Marketing da Soltropico.
Já a fonte da Abreu disse que "as reservas ainda não têm muita expressão".
Por um lado, a programação desta agência ainda não saiu, e por outro lado, muitos portugueses "esperam a chegada da feira de Viagens Mundo Abreu, no início de Abril", para escolher as suas viagens", adiantou."
 

Nuno

Administrador
Staff
Isto significa que "há vida para além da crise" o que é muito bom.
 

Cravo

Membro
Nuno disse:
Isto significa que "há vida para além da crise" o que é muito bom.
Para as agências de viagem SIM! E no fundo para as pessoas tambem deve de ser. O pior é quando chegar a conta!
 

Nuno

Administrador
Staff
Para as agências e também para as pessoas ... não te esqueças que tudo roda à volta do consumo, que no caso das viagens, é saudável e recomendado. ;)
 

Cravo

Membro
É verdade sim senhora que o consumo estimula a economia. Mas uma das grandes razões da crise actual é do consumismo exagerado e insustentável patrocinado por bancos, agências, indústria automovel e imobiliaria etc...
 

Paulo Leite

Coordenador
Staff
Isto sim é crise......

Iberojet dá “dinheiro vivo” a agentes de viagens
por reservas Meliá nas ilhas espanholas e Caraíbas

Presstur 05-03-2009 (19h04) A Iberojet, operador do grupo Orizonia, lançou hoje uma “grande promoção de vendas” em que anuncia prémios em “dinheiro vivo” nas reservas, até 30 de Abril, de quatro hotéis Meliá e Gran Meliá nas ilhas espanholas e do Paradisus Punta Cana, na República Dominicana.
O operador indica que o prémio é para reservas de quarto duplo com estada mínima de quatro noites nos hotéis Hotel Gran Meliá Palácio Isora, Hotel Meliá Jardines del Teide, Hotel Meliá Tamarindos e Hotel Meliá Gorriones, nas ilhas espanholas, e de sete noites no Paradisus Punta Cana.
Os prémios são de 40 euros para as reservas do Paradisus Punta Cana e Gran Meliá Palácio Isora e de 25 euros para os outros três.
“Daremos informação mensal das vendas através da Agência e quando a viagem se tiver realizado liquidaremos a importância através da mesma”, indica a Iberojet na informação que começa pelo anúncio: “Agora reservar com Iberojet e Hotéis Meliá, Gran Meliá e Paradisus tem prémio monetário, porque por cada venda que realize nos seguintes estabelecimentos irá conseguir dinheiro “vivo”, além da satisfação dos seus clientes”.
A Iberojet lançou na terça-feira uma campanha de venda antecipada dos seus pacotes de viagens a Punta Cana em Maio e Junho, com descontos entre 8% e 15% consoante as datas de partida
 

BunnyCat

Membro Ativo
Olá

Isto só prova que a crise só afecta alguns... para outros, isto nunca esteve tão bom!
Eu não sei se têm reparado, mas ultimamente é promoções atrás de promoções e com preços extremamente convidativos! Quando andei a sondar as agências de viagens para ir ao México em Janeiro deste ano, os preços rondavam os 1200€ / 1400€ por pessoa, agora andam na casa dos 800€ :D e o ano passado excatamnete por esta altura, os preços para ir para a Riviera Maya andavam, na casa dos 1400€ / 1700€... Já viram bem a diferença dos preços??? Eu não me admira que haja mais pessoas a viajar este ano na Páscoa, e mesmo no Verão. Os preços estão fantásticos ...

Liliana
 

xanato69

Membro Novo
RonWelty disse:
o consumo estimula a economia. Mas uma das grandes razões da crise actual é do consumismo exagerado e insustentável patrocinado por bancos, agências, indústria automovel e imobiliaria etc...
É verdade o que o Ron diz, mas é certo que vemos cada vez mais agencias de viagem a abrir (grupos Espanhois) e se não fecham é porque dão lucro. Serão melhores promotores ou gestores?

Este comentário anterior do Paulo Leite faz-me lembrar o negócio dos medicamentos Bayer e das comissões de vendas...... Quem paga é sempre o cliente.
 

Nuno

Administrador
Staff
RonWelty disse:
É verdade sim senhora que o consumo estimula a economia. Mas uma das grandes razões da crise actual é do consumismo exagerado e insustentável patrocinado por bancos, agências, indústria automovel e imobiliaria etc...
A única razão da crise actual é a Especulação! Tudo o resto vem por arrasto...
 

Paulo Leite

Coordenador
Staff
Ola a TODOS,

Eu acho que o turismo (ag. viagens e operadores) estao em ruptura, nunca se fez isto em Portugal e esta forma de aliciar os agentes é muito perigosa e advem de as vendas estarem muito más.
O consumidor final cada vez mais tem que ter atençao ao que lhe é apresentado......

Acredito tambem que isto seja uma "guerra" de Op. Espanhois, pois pelo que sei os Op. Portugueses estao praticamente fora da Caraibas (com operaçao de risco).....

Eu sei que é MARAVILHOSO pagar 500/600/700 € por uma viagem mas, com estes preços muitas vezes nao da para o custo........
 

Nuno

Administrador
Staff
Paulo,

São medidas extremas para uma situação extrema. Com a retracção ao consumo que hoje se vê, as empresas tem que inovar para conseguir resultados, caso contrário fecham as portas.

Esta "crise" irá passar e as empresas que hoje consigam incorporar estes prejuízos revertendo-os como promoção ou campanhas, são as que vão resistir e sobreviver no futuro.

Basta ver que ainda ontem as notícias referiam que pagamos 15% a 25% mais pelos produtos energéticos que a media a 27 da UE ... se extrapolarmos para o sector das viagens, nada me diz que não possamos estar na mesma situação, o problema é que nas viagens a concorrência é global e facilmente podemos comprar em Espanha, enquanto na energia temos um um sector mais fechado sem grande espaço para manobras.
 

Paulo Leite

Coordenador
Staff
Ola Nuno,

Concordo contigo e cada um tem que utilizar todas as armas para vencer esta "guerra/crise".
Neste caso especifico dois problemas:

1º Nao nos diz respeito, mas a entidade patronal por norma nao gosta deste tido de acçoes pois quem ganha é o empregado e nao quem gere.

2º Este diz-nos muito respeito, que é a tendencia que uma venda pode ter se for conduzida no sentido da venda para receber dinheiro e nao para servir o cliente......

Nuno como eu ja estou a ver alguns(muitos) agentes a ver €€€ nos seus lindos olhos ;):D:D

1 abraço
 

Nuno

Administrador
Staff
Sim, mas este é um trunfo dos operadores que só irá durar enquanto as coisas não começarem crescer.

O "Patrão" também irá ganhar com o aumento das venda!
 
Top